Estudar no exterior - Intercambio - Connection Line
25 Anos
Redes Sociais

Facebook InstagramTwitter

VAMOS PARA LONDRES!!!

 

Londres cosmopolita, agitada, moderna, clássica, romântica, histórica, cultural, executiva, vibrante! Quanta coisa....., organize seu tempo, para não perder os melhores passeios, museus, o castelo de Downton Abbey, a casinha de Bonecas da Rainha, os parques maravilhosos.... Londres é o máximo! Os estúdios do Harry Potter, The Shard, o prédio mais alto da Europa. Madame Tussauds, Legoland, Londres no Inverno, Natal em Londres, o parque da Peppa Pig....

 

VISITAS IMPRESCINDÍVEIS EM LONDRES

TORRE DE LONDRES

 Situada às margens do Tâmisa, a Tower of London localiza-se na região de um antigo forte romano. A Torre de Londres foi construída pelos conquistadores normandos. No reinado de Henrique VIII, suas torres foram transformadas em prisão e atualmente, a torre guarda as jóias maravilhosas da Coroa Britânica, que podem ser admiradas por todos! Imperdível! Aberta de 3ª à sáb. das 9 à s16:30h, dom. e 2ª das 10 às 16:30h.

PALÁCIO BUCKINGHAM

Buckingham Palace é a residência oficial da Família Real desde 1837. Imponente e majestosa é  possível visitar algumas alas do palácio, onde são usadas para recepções e eventos oficiais.

Se tiver muita sorte em Junho não perca o desfile de carruagens com a Rainha Elizabeth e a família real, na comemoração de seu aniversário, como uma "parada". Entre Julho à Setembro são permitidas visitas ao Palácio de Buckingham e é inesquecível! (Entre Green Park e St. James Park, metrô Green Park.

SAINT PAUL'S CATHEDRAL

Catedral de St Paul's, com o sua cúpula mundialmente, é um dos cartões-postais de  Londres, é linda e muito mais do que sua fachada feita por Sir Christopher Wren em 1673.

Seu interior de mosaicos com esculturas de pedras , são apenas algumas razões pelas quais uma visita a St Paul's seja obrigatória!!! Recentemente reformada para celebrar seus 300 anos, foram gastos 40 milhões de libras, revelando mais belezas. Não perca a experiência multímida com projeções em tamanho real contando sua história, palco de grandes acontecimentos, inclusive o casamento de Charles e Diana. Horários de segunda a sábado das 8.30 as 16.15hs, mas não é permitido fotografar ou filmar. Aproveite para conhecer o restaurante ou a cafeteria na cripta.

PALÁCIO DE WESTMISTER

O Palácio de Westminster (Palace of Westminster), também conhecido como Casas do Parlamento (Houses of Parliament), é um edifício gótico vitoriano que abriga as duas Câmaras que compõem o Parlamento Britânico. Em outubro de 1834, um assolador incêndio destruiu o antigo palácio que havia abrigado o Parlamento desde 1512. O edifício também havia servido como residência real em Londres desde a época de William o conquistador.Do antigo palácio pôde se salvar apenas uma ínfima parte, composta pelo Westminster Hall, os claustros e a cripta da St Stephen’s Chapel e a Jewel Tower, uma construção do século XIV onde se guardavam as joias e o ouro.

Dos 97 projetos apresentados para a construção do novo edifício, os ganhadores do concurso foram os arquitetos Charles Barry e Augustus Welby Pugin. Em 1847 o edifício estava praticamente terminado com a construção de 1.200 quartos, 11 pátios e 3,5 quilômetros de corredores.

A ostentosa fachada do edifício oferece um belo panorama, enquanto os pináculos dourados e as estátuas dos reis se refletem no rio. O palácio está flanqueado pela Victoria Tower, uma imponente torre que reúne as cópias de todas as leis do Parlamento desde 1497, e também pela carismática torre do Big Ben

ABADIA DE WESTMINSTER

Abadia de Westminster é o templo mais famoso e antigo de Londres. Escolhida como sede para coroações reais, a abadia também alberga as tumbas dos monarcas e figuras históricas britânicas dos últimos mil anos.A abadia, construída com estilo românico, foi consagrada no ano de 1065 para dar abrigo aos monges beneditinos. Entre 1245 e 1517, foi reconstruída com um estilo neogótico e durante o século XVIII sofreu sua maior transformação, depois da construção das duas torres da entrada principal. Embora a abadia tenha sido confiscada por Henrique VIII durante a dissolução dos monastérios em 1534 e clausurada em 1540, se salvou de ser destruída porque estava sob o controle direto da Coroa da Inglaterra, fora da jurisdição da Igreja. Esses fortes laços com a coroa também foram os responsáveis por salvar a abadia dos ataques produzidos pelos iconoclastas durante 1640.Desde a coroação de Guilherme o Conquistador em 1066, todos os monarcas ingleses foram coroados na Abadia de Westminster utilizando um trono de coroação medieval do século XI que ainda se conserva.Alguns dos acontecimentos mais recentes celebrados na abadia foram o funeral da princesa Diana e o casamento entre o Príncipe William e a Duquesa de Cambridge. 

Autor: connectionline
Data: 16/11/2016

O que fazer em Buenos Aires

Conheça os Pontos Turísticos

 

A capital argentina é, muitas vezes, a primeira viagem dos brasileiros ao exterior. A boa quantidade de voos e a frequência com que as companhias aéreas oferecem promoções são um incentivo a mais para que a cidade entre na lista de desejos de muitos viajantes. Buenos Aires se renova a cada dia e quem se apaixona pelo lugar faz questão de voltar outras vezes, fazer novos passeios e conhecer novos lugares.

 

Grande centro urbano que é, Buenos Aires sofre das mazelas de uma cidade grande, mas também oferece tudo que se espera de uma metrópole. Além da arquitetura charmosa, a cidade tem diversos pontos turísticos, parques, variedade de restaurantes, opções de entretenimento noturno e muitas lojas. 

1 – Casa Rosada – A sede da presidência da Argentina é um dos símbolos do país e passou a ter seu exterior pintado de rosa por volta de 1870. Há várias explicações para a cor, desde que representaria a união de dois partidos políticos até quanto ao uso de sangue bovino misturado à tinta naquela época.

2 – Plaza de Mayo – A Praça de Maio é o coração político de Buenos Aires. O local é palco frequente de manifestações populares, entre elas a manifestação das Mães da Plaza de Mayo que ocorre às quintas-feiras, e está cercado por edifícios como a Casa Rosada, o Congresso e a Catedral. Arborizada e com vários bancos, essa praça costuma ser um local de descanso dos portenhos que trabalham ou vivem na região.

3 –  Av. 9 de Julho, Av. Corrientes o Obelisco – O Obelisco é um monumento histórico de Buenos Aires criado para comemorar os 400 anos de fundação da cidade. Ele está localizado no cruzamentos entre as avenidas Corrientes e 9 de Julho, ambas muito movimentadas. A Av. 9 de Julho já foi, inclusive, considerada a avenida mais larga do mundo.

4 – Caminito – As janelas e paredes coloridas fazem parte do cenário no Caminito, uma rua-museu a céu aberto extremamente turística, que abriga restaurantes, lojas de lembranças e ateliês. O assédio é chato, mas quando se fala em turismo em Buenos Aires, esse é um dos locais mais tradicionais a ser conhecer. O nome se deve a um tango, cujas letras estão gravadas em algumas paredes do lugar. A variedade de lembranças de viagem no lugar é enorme, entretanto, negociar o preço é a melhor tática.

5 – Teatro Colón – O Teatró Colón é motivo de orgulho dos portenhos e impressiona pela riqueza de detalhes em seu interior. Pela acústica apurada, ele é considerado um dos melhores teatros de ópera do mundo e quem visita a cidade pode aproveitar a viagem para assistir a um espetáculo. Caso não consiga assistir a uma apresentação, faça a visita guiada, que mostra a arquitetura e decoração interna do edifício. 

6 – Museu de Arte Latinoamericana – MALBA é a versão encurtada do nome do museu, que abre suas portas para exibir quadros de artistas como Tarsila do Amaral e Frida Kahlo. O local é interessante pois reúne obras de artistas de diversos países e possui algumas obras interativas, deixando o passeio mais leve. 

7 – Museu Nacional de Belas Artes – O foco do museu é contar a história da Argentina e alguns dos períodos mais importantes de sua história através de obras de artistas locais. O lugar tem quadros muito bonitos e além das obras nacionais há obras de artistas como Monet, Pissarro e El Greco. Fazer a visita guiada é indicado para conhecer com mais propriedade e história das obras. 

8 – Puerto Madero, área portuária revitalizada e que hoje tem excelente restaurantes, é um ótimo passeio em Buenos Aires, principalmente para conhecer esse lado moderno da cidade. Passeando por lá, aproveite para visitar a Puente de la Mujer e a Fragata Sarmiento, que atualmente funciona como museu.

9 – La Bombonera – O adorado estádio do Boca Juniors é um dos pontos que os fãs de futebol mais gostam de conhecer. Visitas ao museu e ao estádio possibilitam conhecer mais de perto a história do clube, suas conquistas e ter até a oportunidade de ver de pertinho o campo e visitar os vestiários.

10Cemitério da Recoleta – Pode parecer estranho, mas é isso mesmo: o cemitério da Recoleta é um dos “pontos turísticos” mais visitados de Buenos Aires. No lugar estão enterradas algumas celebridades argentinas, entre elas o General Alvear e Evita Perón, cujo túmulo sempre está com flores. Na visita guiada gratuita dentro do cemitério é possível conhecer detalhes dos túmulos mais importantes, alguns deles são considerados monumentos históricos nacionais.

11 – Floralis Generica – O monumento metálico criado pelo arquiteto Eduardo Catalano chama a atenção mesmo de longe. Trata-se de uma enorme flor de metal, cujas pétalas se abrem durante o dia e se fecham durante a noite. O parque ao seu redor é procurado para tomar sol e descansar.

Autor: connectionline
Data: 01/11/2016

As principais atrações de Toronto e o que fazer na cidade

 

Veja a lista de o que fazer em Toronto para aproveitar ao máximo sua viagem no Canadá. A cidade, situada na margem norte do lago Ontário, é considerada a maior do país e agrega um dos principais centros culturais e científicos do Canadá. Não é à toa que foi eleita, segundo levantamento da revista "The Economist", uma das cinco melhores do mundo para se viver. . 


Toronto é encantadora e conta com um sistema que dá certo, moradores muito receptíveis, além de uma cultura incrível. Entre diversos pontos turísticos, centros de compra, festivais, há um transporte público impecável, segurança, organização, limpeza e pessoas sempre dispostas a ajudar. Isso acaba refletindo na vontade de querer conhecer mais e mais o lugar, de querer ficar mais tempo e de retornar. E como a lista do que fazer em Toronto é grande, vale se programar para não perder seus principais pontos turísticos.


A fantástica CN Tower

CN Tower Toronto é um dos símbolos de Toronto. Com 553 metros de altura, é possível ter uma vista incrível da cidade, seja de dia ou de noite. A torre tem quatro níveis de observação e já foi considerada a mais alta do mundo. Em um de seus níveis, destaca-se o mundialmente famoso Piso de Vidro, onde, olhando para baixo, é possível ter a dimensão da altura do observatório.
 

Conheça o Royal Ontario Museum

O Royal Ontario Museum apresenta exposições sobre arte, arqueologia e ciências. O Museu é lindo por fora, com uma arquitetura moderna e diferente, e com diversas atrações por dentro. Entre elas, a caverna dos morcegos, o Tiranossauro rex e também uma das melhores coleções do museu, composta por tesouros da Terra, como meteoritos, rochas, minerais e pedras preciosas.
 

A encantadora Casa Loma

Sem dúvida, a Casa Loma é um dos pontos mais encantadores de Toronto. É um castelo, em estilo medieval, com 98 cômodos, uma das maiores residências do Canadá, que dá vontade de ficar por horas desbravando-o, seja sentado observando sua vista nos 20 mil metros quadrados de jardins super bem cuidados, apreciando seus cômodos ou até mesmo descobrindo suas passagens secretas e túneis. Com certeza, o castelo é essencial na lista do que fazer em Toronto.
 

 

As aventuras no Toronto Zoo

Com aproximadamente 5 mil animais residentes, o Toronto Zoo é o principal zoológico do Canadá. O espaço é enorme e abriga os únicos pandas gigantes do país, uma das maiores casas de girafas em área interna do Canadá, além de uma dinâmica família de gorilas que encanta todos os turistas. Dá para passar um dia inteiro conhecendo-o nos mínimos detalhes.
 

 

A criançada no Ontario Science Centre

A atração é bem interessante, principalmente para os pequenos. O local conta com mais de 500 exposições divertidas ou interativas, além de demonstrações ao vivo, que fazem a festa da criançada. Entre os destaques, um planetário moderno, meteoritos de Marte, raios cósmicos e buracos negros. Baratas gigantes e sapos venenosos também são expostos do local.
 

 

Essas são algumas das opções do que fazer em Toronto. Com exceção do Ontário Science Centre, que é um pouco mais dedicado aos pequenos – o que é legal para quem vai com a família com crianças, o turista não pode deixar de visitar as demais. Também dá para comprar um City Pass, que garante entrada nas cinco atrações acima com um preço mais barato do que se for comprar cada estabelecimento separadamente. A economia chega a 45% e ele pode ser adquirido online ou em qualquer uma das atrações parceiras.

 

O Queen's Park e o Ontario's Legislative Building

Cercado por instalações da Universidade de Toronto, o Queen’s Park é um local muito agradável para caminhar, encontrar os amigos e fazer piqueniques. Também na região, situa-se um dos prédios mais bonitos da cidade, o do Ontario's Legislative Building, que vale a visita para conhecer um pouco de sua história. O estabelecimento oferece tours gratuitos para os visitantes que duram aproximadamente 30 minutos.
 

 

Um passeio na Toronto Islands

Para escapar da correria do cotidiano e ter um dia tranquilo, com calma, paz e com muita natureza ao redor, tem que ir até as encantadoras ilhas de Toronto. O acesso é feito com um ferry e o trajeto, que também propõe uma vista incrível da cidade, dura cerca de 20 minutos. O local é muito adequado para a prática de exercícios físicos, pois há quadras e também é possível alugar bicicletas. Com certeza, um lugar ótimo para colocar na lista de o que fazer em Toronto.

 

Uma partida no Rogers Centre

O Rogers Centre é casa do Toronto Blue Jays Baseball Club™. Se você estiver em Toronto em época de jogos, uma partida no estádio é realmente imperdível, tanto pela adrenalina, como também para conhecer mais o esporte, que é muito tradicional no país. O estabelecimento também recebe outras atrações; desde sua abertura, em junho de 1989, foram mais de 2000 eventos e de 60 milhões de visitantes, então vale checar sua programação e garantir um passeio diferenciado. 
 

 

Conheça o Hockey Hall of Fame

O museu Hockey Hall of Fame é dedicado ao hóquei no gelo e aos principais jogadores do esporte do Canadá. Como não é muito famoso no Brasil, para os amantes de esporte, vale a visita para conhecê-lo. Suas instalações são compostas por exposições sobre jogadores, clubes, registros da National Hockey League (NHL), troféus da NHL, entre outros.
 

 

Compras no Eaton Centre

Para quem procura por lojas variadas e preços para todos os bolsos em um ambiente agradável, o Eaton Centre é o local certo. Com mais de 230 marcas internacionais e canadenses, além de restaurantes e serviços, o mais famoso shopping da cidade está em um local de fácil acesso, próximo à várias estações de metrô. Aqui, vale destacar que o local onde o shopping está localizado é muito bom para compras. Suas ruas ao redor, além de uma arquitetura bem moderna e atraente, estão repletas de lojas e restaurantes para gostos variados. Ainda mais para os brasileiros que adoram comprar, esses passeios sempre estão na lista de o que fazer em Toronto.
 

 

A Chinatown de Toronto

Na Spadina Avenue cruzando com a Dundas St W, localiza-se a Chinatown. Com diversas lojas, que remetem ao mundo asiático, o turista pode encontrar os mais variados produtos e preços mais baratos. Quem gosta da culinária chinesa, também encontra várias opções de restaurantes e casas de chá.
 

 

Economizando muito com o CityPass Toronto

O CityPass Toronto é uma ótima forma de economizar nos ingressos da cidade, para quem for passar por lá. Com ele, você adquire cinco dos principais pontos turísticos de Toronto e economiza 43% do valor que você ia gastar se fosse adquirir os ingressos separadamente. É sensacional, pois além dos ingressos saírem muito mais barato, você não pega fila na bilheteria das atrações. Só para você ter uma ideia, o preço que você pagaria comprando cada uma separadamente é de US$102,05 + impostos e o preço do CityPass Toronto é de apenas US$58,30 + impostos. Só a CN Tower, que é parada obrigatória para todo turista, tem o ingresso no valor de C$35. 

Autor: connectionline
Data: 27/10/2016

Você sabe da importância de viajar com um seguro saúde?

Você sabe da importância de viajar com um seguro saúde?
 

Somos seres humanos suscetíveis e se acontecer algo com a nossa saúde no exterior, teremos que dispender de um valor alto.

Por um valor muito pequeno teremos benefícios como:

1- Assistência médica por acidente (de acordo com o valor do seu plano)

2- Assistência por Pré-existência

3- Assistência odontológica

4- Cobertura para prática de esportes

5- Assistência de Fiança Judicial

6- Reembolso de gastos por por demora de bagagem

7- Seguro de bagagem extraviada

8- Repatriação Sanitária]

9- Garantia de viagem de regresso

10- Seguro por invalidez permanente

E muitos outros benefícios,  faça seu orçamento Aqui

Autor: connectionline
Data: 22/10/2016

Lugares legais para conhecer em Vancouver no Canadá

Veja o que fazer em Vancouver para aproveitar ao máximo sua viagem. Vancouver é uma cidade litorânea e a terceira maior do Canadá, mas não se engane, sua temperatura pode chegar a -10º C no auge do inverno. Já no verão o clima é mais ameno, ficando por volta dos 25º C. Dessa forma, Vancouver é o destino ideal em qualquer estação do ano. Preparamos uma lista dos lugares que valem a pena serem incluídos no seu roteiro:
 

Stanley Park

O primeiro item da nossa lista de o que fazer em Vancouver é considerado o melhor parque do mundo pelo TripAdvisor. O Stanley Park em Vancouver é a principal atração da cidade e com certeza o parque mais conhecido do Canadá. O espaço possui mais de 400 hectares de vegetação e é completamente cercado por água. O ideal é tirar um dia inteiro para poder aproveitar e conhecer o parque. As opção de lazer são inúmeras, desde realizar trilhas pelos 200km de estradas e caminhos do parque, passar a tarde na praia, conhecer e apreciar os diversos monumentos históricos e naturais ou ainda visitar o maior aquário do país, o Vancouver Aquarium, onde é possível ver uma grande variedade de animais aquáticos e até baleias.
 

Grouse Mountain 

Grouse Mountain é uma montanha localizada próximo ao centro da cidade e que possui mais de 1230 metros de altura. Fica aberta durante o ano todo, mas é no inverno que recebe a maior quantidade de visitantes. O lugar é um point tanto para aqueles que moram no Canadá quanto para os turistas. As pessoas que são fãs de esportes radicais vão adorar, pois possui mais de 20 pistas para a prática de ski e snowboarding. Durante o verão é possível fazer trilhas, andar de gôndola ou até descer a montanha dentro de um bondinho, como no Pão de Açúcar. Uma das peculiaridades do lugar é que é o refúgio de um casal de ursos Grizzlies, que vivem na área há anos e andam a vontade pelo espaço. 

O museu de Antropologia 

Museu de Antropologia de Vancouver  fica perto da cidade e faz parte da universidade Columbia Britânica. Grande parte do acervo do museu é constituída de artefatos dos povos nativos do Canadá, como totens gigantes, que podem ser vistos espalhados por todo o território, esculturas de madeira e objetos do dia-a-dia. Também pode-se ver artefatos e obras de arte do mundo do todo, especialmente de países como África, China, Indonésia e Oceania. O foco do museu é celebrar o passado cultural dos povos nativos da região. Fica a 20 minutos do centro da cidade e é possível chegar utilizando o transporte público. Vale a pena colocá-lo na sua lista de o que fazer em Vancouver.

Kitsilano Beach 

Kitsilano é a praia mais famosa de Vancouver, é o destino preferido daqueles que estão passando o verão por lá. O espaço conta com piscina aquecida, quadras de tênis e basquete, lanchonete, restaurante com vista para o mar e lojinha de lembranças. Espalhadas por toda a praia, as mesas são usadas para fazer picnics e aproveitar o pôr-do-sol, considerado um dos mais bonitos da cidade. É possível alugar equipamentos para a prática de windsurf e stand up paddle. É o passeio ideal para aqueles que querem aproveitar um dia de sol em um ambiente bacana. Não deixe de conhecer as melhores praias de Vancouver.
 


 

Granville Island 

Grandville Island é um mercado municipal, conhecido pela qualidade da comida e pelo preço em conta. Parada obrigatória para aqueles que gostam de experimentar sabores novos. O cardápio varia entre sopas, pratos orientais e comidas locais. Além dos restaurantes, também encontramos lojas que vendem carnes, peixes, especiarias e doces caseiros. Durante a visita ao mercado, reserve um tempo para conhecer a fábrica de cerveja Granville Island, que produz a cerveja eleita como a melhor de Vancouver. A cervejaria fica perto do mercado e dispõe de uma loja que vende seus produtos e um bar confortável e badalado. O acesso ao mercado é fácil, pois fica localizado em uma das avenidas mais conhecidas da cidade.

Bairro Gastown em Vancouver

Gastown é o lugar mais frequentado por turistas que estão em busca de compras. Andando pelo bairro podemos encontrar desde lojinhas de lembrança até artefatos típicos do Canadá, além de lojas de bijuterias e artigos de luxo. O passeio também vale a pena pela paisagem e arquitetura, o bairro é muito charmoso, cheio de cafés escondidos e restaurantes. Não deixe de visitar o relógio a vapor, construído em 1875. O relógio continua a marcar as horas com a famosa precisão britânica. É o lugar ideal para um passeio com a família e os amigos.

Le Bistro Chez Michel

O bistrô mais famoso da cidade é conhecido não só pela comida excelente mas também pela vista incrível do horizonte que proporciona aos clientes. O restaurante possui uma grande variedade de entradas e pratos com um preço acessível e um ambiente agradável. Durante o horário do almoço é possível que enfrente fila, mas vale a pena. Fica localizado próximo ao centro da cidade e o acesso é tranquilo.

Vancouver Aquarium

O Vancouver Aquarium, como dito anteriormente, é parte do complexo Stanley Park e é o mais famoso do Canadá.É uma das atrações que mais faz sucesso entre o público, atraindo especialmente as crianças. O lugar é lindo e muito grande, algumas das principais atrações são os shows com golfinhos e baleias. Além de proporcionar diversão, também é um centro de pesquisa e especializado na reabilitação e recuperação de animais aquáticos. Esse é um lugar que não pode ficar de fora da sua lista de o que fazer em Vancouver.

A cidade oferece ainda muitos outros passeios, lugares para visitar e atrações turísticas. Caso você tenha alguma dica, deixe um comentário para a gente. Esperamos que você aproveite sua viagem à Vancouver.
 

Autor: connectionline
Data: 13/10/2016

Dicas de Toronto

Viver em Toronto é seguir o lema desta cidade incrível: "Diversidade é Nossa Força".
Uma metrópole multicultural que recebeu imigrantes de diversas nacionalidades, oferece uma variedade enorme de opções de lazer, cultura, gastronomia, esportes e arte.
A vida em Toronto pode ser bastante agradável para estrangeiros, afinal quase metade de sua população não nasceu no Canadá, incluindo portugueses, chineses, gregos, indianos, irlandeses e diversos outros povos.
 
Quer saber mais sobre como é viver em Toronto? Confira algumas dicas que separamos sobre esta que é considerada uma das melhores cidades do mundo para se viver.
 
5 dicas de como é viver em Toronto
 
CN Tower
 
1 - Viver em Toronto é ter muito o que fazer
Muitos museus, parques, parques temáticos, teatros, ópera e tmabém eventos esportivos. Toronto abriga mais de 50 companhias de dança, 6 grupos de ópera e 2 orquestras sinfônicas, sem falar em 6 grandes equipes de hóquei sobre o gelo, o grande esporte nacional, além de basebol, basquete e outros esportes. Veja alguns dos pontos mais visitados na cidade: 
Bonde Eletrico
 
2 - Viver em Toronto é usar ótimo transporte público
Esta é uma característica que ajuda muito a viver em Toronto. As opções são variadas: ônibus, metrô e até bondes. Sem falar nas balças que te levam até as ilhas da cidade.
O metrô opera com muita agilidade. Nos horários de pico os trens passam, em média, a cada 2 minutos, já nos demais horários o intervalo pode chegar a 5 minutos. O sistema de bondes
de Toronto é o maior da América do Norte. Os pontos de embarque e desembarque de passageiros são assinalados com um porte vermelho e branco com um ícone de bonde. Se você
quer se locomover pela zona portuária ou central, sabia que os bondes estão concentrados nessas regiões.
 
O transporte público de Toronto conta com 4 linhas de metrô, 11 de bondes e mais de 140 de ônibus, além de 13 linhas de ônibus para cidades vizinhas. O sistema transporta
em torno de 525 milhões de passageiros por ano, ou seja: 1 milhão e 600 mil passageiros por dia. O sistema de tarifas é bem simples, principalmente se você comprar passes semanais
ou mensais.Para ter informações sobre tarifas e horários de cada um dos tipos de transporte público oferecidos em Toronto, acesse o site da Comissão de Transporte de Toronto e fique
por dentro desta grande facilidade para quem vive em Toronto.
 
Path - a cidade subterranea de Toronto
 
3 - Não perca: Frio em Toronto: Conheça o PATH, a cidade subterrâenea que tem de tudo
 
 
4 - Viver em Toronto é se acostumar com um clima variado
Como é viver em Toronto durante o inverno? Frio, claro, mas a cidade está superpreparada para essa época do ano, assim como para o verão, que pode ser surpreendentemente
quente em certos dias, para espanto de quem não vive na cidade.
As 4 estações do ano são bem definidas e o outono é particularmente belo com as folhas de plátamos (aquela que aparece na bandeira do país) colorindo os parques da cidade em
variados tons de cores que vão do amarelo ao vermelho, passando por diversos matizes de laranja. Mas como já ressaltamos, viver em Toronto significa experimentar temperaturar
extremas, tanto frias quanto quentes, e também temperaturas amenas e agradáveis na primavera e outono, principalmente. Mas não se preocupe: além da verdadeira cidade subterrânea
que existe por lá para você caminhar no inverno, no verão, por mais que haja alguns dias muito quentes, e facilmente suportável porque todos os ambientes são climatizados. Confira alguns
números:
Como você percebeu, as variações são bastante intensas. Tanto que mesmo sendo uma das cidades mais quentes do Canadá, a temperatura no inverno pode registrar até
-30C, já no v erão a temperatura em certos dias pode passar de 30C.
 
Festivais de Verão Archives
 
5 - Viver em Toronto é participar de Festivais
A cidade fervilha com os mais variados festivais, seja em que época do ano for. Listamos apenas alguns deles, mas muitos outros existem para quem quer curtir a vida em
Toornto.
Deu para perceber como é viver em Toronto? Acreditamos que sim. E se essas histórias te deram vontade de conhecer a cidade, por que não aproveitar a fazer um intercâmbio por lá?
 
 
 

 

 
Autor: Marta
Data: 06/10/2016

AS 10 MELHORES CIDADES PARA SE VISITAR NO CANADA

1.Toronto

A maior cidade do Canadá é possivelmente, a mais conhecida. Toronto não é a capital do país. Como uma cidade de Nova York mais civilizada, limpa, Toronto tem seus arranha-céus no centro da cidade, lojas chamativas em Yorkville e distritos boêmios na Queen Street West. É também lugar da CN Tower, com 553 metros de altura, a atração é a mais visitada na cidade.

2.Niagara Falls

Ocupando a fronteira dos Estados Unidos-Canadá, Niagara Falls fica há 1 hora de Toronto, e vale muito a pena visitar. As três quedas, Horseshoe Falls, American Falls e Bridal Veil Falls, formam a maior taxa de fluxo de qualquer cachoeira do mundo (cerca de 2.400 m3 por segundo). Uma vez que você viu as cataratas, explore a cidade, que vive de apelo turístico da maravilha natural.

3.Montreal

A segunda maior cidade do Canadá, Montreal é a França fora de casa. A língua oficial da cidade é o francês e falada por mais da metade da população. Os canadenses também dão à cidade o seu sentido de legal, descontraído chique. É um centro cultural com mais de alguns sabores internacionais e possui mais de 100 festivais por ano.

4.Vancouver

Vancouver foi nomeada o "melhor lugar para se viver no mundo" algumas vezes. A cidade da costa oeste em British Columbia possui uma vida cultural de entretenimento, rica em etnias, diversos restaurantes e uma população cosmopolita.

5.The Canadian Rocks

As Montanhas Rochosas canadenses abrangem British Columbia e Alberta e é uma das mais impressionantes cadeias montanhosas do mundo. Com cenários incompreensíveis e uma série de picos mais altos do Canadá, a região é ideal para os exploradores. Há também um número de estações de esqui na Serra, incluindo Banff.

6.Whistler

Uma das maiores e mais populares estações de esqui da América do Norte, sediou os Jogos Olímpicos de Inverno em 2010 e possui cerca de 8.000 acres de pistas e 1,610m de vertical. Sua área de esqui em duas montanhas, Whistler e Blackcomb, dispõem de uma longa temporada de novembro a maio e uma camada de neve média impressionante e confiável.

7.Yukon

O lado noroeste do Canadá é uma extensão escassa de picos, vida selvagem e de aventura. O Yukon é o lar da mais alta montanha no Canadá, o Monte Logan (5,959m) e é um tesouro da natureza intocada. Os adeptos aos esportes podem remar pelos lagos e rios em canoas e caiaques, passeios a pé pelas trilhas ou por ski e snowboard. Podem experimentar também a escalada no gelo e andar nos trenós puxados por cães.

8.Quebec e Quebec City

Quebec, a maior província do Canadá, e sua capital, Quebec City, estão na costa leste do país, e palco de algumas das mais belas paisagens do Canadá. Quebec City é um dos mais antigos assentamentos na América do Norte, de língua francesa e abriga o Château Frontenac, um hotel do século 19, que domina o horizonte da cidade. A província de Quebec, dos quais Montreal é uma parte, tem pequenas vilas pitorescas, estações de esqui e alces.

9.Otawa

Para a capital do Canadá, Ottawa é pequena e amigável e em nenhum lugar perto do tamanho das cidades de Toronto e Montreal. A cidade é charmosa e simpática, pacífica e civilizada, e uma excelente base para explorar a região selvagem canadense à sua porta, em Ontário.

10.Nova Scotia

Nova Scotia é famosa por seus frutos do mar, património náutico e clima moderado. Sua capital,Halifax, desempenhou um papel no resgate de sobreviventes do Titanic mais de um século atrás, e que antes era o ponto final para o cruzamento do navio Royal Mail Britannia do Liverpool em 1840, chegando ao porto histórico depois de apenas 12 dias no ma

Autor: connectionline
Data: 06/10/2016

New York

Nova York: Conheça os melhores rooftop bars do verão da cidade

Procurando um lugar para descontrair? Dá uma olhadinha nas opções que separamos
 
O Refinery Rooftop tem uma vista incrível para o Empire State Building
 

Não é à toa que Nova York é um dos destinos mais procurados para viagens de férias. A Big Apple é cheia de atrações incríveis, que vão desde parques a céu aberto e museus a restaurantes e bairros super descolados. Falando nisso, você sabia que a febre do verão na cidade que nunca dorme são os rooftops?

Os famosos bares localizados nos terraços dos prédios da cidade atraem muitos visitantes em busca de um lugar descontraído para beber e conhecer gente nova. Acredite, antes mesmo do sol se pôr eles já estão cheios.

Se você está planejando uma viagem para Nova York, precisa incluir alguns no seu roteiro. Você não irá se arrepender de beber uns drinks ao som de música boa, com gente animada, e vendo um pôr do sol de tirar o fôlego.

Veja alguns a seguir!

Refinery: Acredite, esse bar vale só pela vista! Admirar o Empire State Bulding, um dos principais cartões postais de Nova York, já vale, não? Se não, saiba que seus drinks e pratos são de cair o queixo. O cardápio do Refinery é todo voltado para cozinha molecular e com muito tempero, sendo que eles podem variar de acordo com a estação. Você vai amar e vai querer voltar... Por sorte, pode até conhecer novos pratos em sua próxima vez no Refinery

Esse é o visual do rooftop Penthouse 808!

Rooftop Pod 39: Localizado no topo do hotel de mesmo nome, o Pod 39 tem vista para East River, Midtown e não decepciona. Pequeno e com uma decoração aconchegante, com cara de cidade do interior, o bar é super famoso por seus tacos e tequila

Attic: Localizado no terraço no hotel Hilton Garden Inn, em plena Times Square, o Attic é uma opção mais chique e nada barata. Seu antigo nome era Luís XVI, e o lugar faz jus a sua decoração de época. Não é à toa que o bar é popularmente conhecido como Verisailles in the Sky.

Spyglass: Com uma decoração no estilo dos anos 40 e 50, o Spyglass, localizado próximo ao Empire State Building, é famoso por seus coquetéis. Você vai querer provar todos!

O Bar Hugo é um dos mais chiques da cidade

La Birreria: Localizado no terraço do Eataly, mercadinho italiano super hippado na cidade, o La Birreria é perfeito para quem quer jogar conversa fora acompanhado de uma cerveja artesanal deliciosa e muito prosciutto

Penthouse 808: Queridinho dos nova iorquinos, o Penthouse 808, localizado no topo do hotel Long Island City Ravel, conta com pratos inspirados na culinária asiática e havaiana. Acredite, não tem como não gostar! Sem contar com a vista, que por sinal é incrível. De sua área externa, você pode ver Manhattan, East River e a ponte de Queensboro

Bar Hugo: Considerado um dos rooftops mais chiques de Manhattan, o Bar Hugo, localizado no Soho em um hotel que também leva seu nome, tem uma vista incrível da Estátua da Liberdade e do rio Hudson. Olha, a conquista não para por aí não! O menu de drinks do Bar Hugo vai fazer você se emocionar

Autor: Marta
Data: 26/07/2016

Explore o Canadá, Toronto

 

Obtenha todas as informações necessárias para preparar sua viagem para Toronto. A única coisa a se fazer é decidir em que tipo de aventura você deseja embarcar quando chegar.

Capital da província de Ontário e vibrante centro urbano

  • 5.583.064 de habitantes
  • Quinta maior área metropolitana da América do Norte
  • 128 idiomas e dialetos podem ser ouvidos nas ruas de Toronto.

Toronto, a capital de Ontário, é uma cidade vibrante e multicultural com um grande número de atrações e eventos. Talvez seu marco mais famoso seja a CN Tower, um ícone nacional e um dos edifícios mais altos do mundo. Os visitantes sobem em 58 segundos numa velocidade de 24 km/h em um vertiginoso elevador e depois curtem uma vista de 360 graus da cidade no requintado restaurante localizado no topo do prédio. Quem visita Toronto pode aproveitar para conhecer obras de arte e todo o movimento de lojas, galerias, teatros e cafés do Distillery District reservado aos pedestres ou conhecer as requintadas butiques da Bloor Street ou o centro de Eaton. Mais tarde, os turistas podem assistir a uma maravilhosa peça, ópera ou sinfonia, entre outras atrações, no bairro teatral ou ir para Beaches, o popular bairro à beira do lago da cidade, onde cafés com mesas na calçada, restaurantes da moda e bares recebem todos os tipos de pessoas, de artistas boêmios a empresários.

Aventura urbana

  • Vista o equipamento de segurança e sinta um frio na barriga no Edgewalk na CN Tower, muito acima da cidade.
  • No verão, divirta-se na área de atrações da Centre Island ou aproveite para remar ou nadar nas praias arenosas do lago Ontário.
  • No inverno, patine em Kew Gardens ou no Nathan Phillips Square, caminhe pelos calçadões para ver as formações de gelo reluzindo na praia e depois se aqueça com um chocolate quente em um aconchegante bistrô.
  • Jante no Distillery Historic District, que apresenta a mais bem preservada arquitetura industrial da era vitoriana na América do Norte.
Arte e cultura
  • Descubra as tendências de arquitetura e design mais descoladas na megacidade do Canadá, cheia de projetos altamente criativos que estão redefinindo a paisagem da cidade.
  • Visite a surpreendente Art Gallery of Ontario, reprojetada pelo visionário arquiteto Frank Gehry e que hospeda obras d'O Grupo dos Sete além da coleção de 2.000 itens doada pelo empresário Ken Thomson.
  • Explore os tesouros guardados no Royal Ontario Museum, que não só conta com uma coleção permanente impressionante do Canadá e do mundo como também recebe exposições de alto nível.
  • Visite o fascinante Bata Shoe Museum e veja 10.000 pares de calçados, inclusive os sapatos vermelhos de Marilyn Monroe e as plataformas prateadas usadas em 1973 por Elton John.
  • Veja o melhor de espetáculos teatrais, sinfonias, óperas, entre outros, no Roy Thompson Hall, no Canadian Opera House, no Ed Mirvish Theatre, no Royal Alexandra Theatre e em outras casas.

Eventos e festivais

  • Veja as estrelas no Festival Internacional de Filmes de Toronto, realizado anualmente, quando as celebridades desfilam pelas calçadas para celebrar o melhor do cinema.
  • Divirta-se com os espetaculares fogos de artifício e as apresentações de arte e música nos vários dias do Festival Luminato.
  • Anime-se com as boas vibrações do Festival de Jazz de Toronto.
  • Celebre a igualdade na Semana do Orgulho de Toronto.
  • Visite o Air Canada Centre e torça pelo Raptors ou pelo Maple Leafs de Toronto ou pelo time do Toronto Rock Lacross, ou vá ao Rogers Centre e veja os Blue Jays mandarem uma bola para fora do estádio ou o Toronto Argos marcar um touch down. Há uma atração para todo amante de esportes.

Gatronomia e bebida

  • Experimente os sabores locais no Mercado de St. Lawrence, onde se encontram excelentes produtos regionais, entre outros.
  • Experimente os sabores do mundo nos bairros étnicos de Toronto. Divida um prato cheio de calamare grego, devore uma montanha de massas artesanais cozidas por uma mama que ainda fala italiano ou se aventure nos "novíssimos” enclaves étnicos da cidade.
  • Converse com o sommelier da mais alta adega de vinhos do mundo, localizada no topo da CN Tower.

Acomodações e relax

  • Entregue-se à elegante hospitalidade do histórico Fairmont Royal York Hotel, hospede-se no recém-concluído Shangri La, no majestoso King Edward ou no Ritz Carlton, onde luxo é o principal produto.
  • Usufrua o encanto espirituoso dos boutique hotéis como o Gladstone, em que cada quarto é uma obra de arte de um artista com murais e decoração criativa.
  • Encontre seu lugar feliz nos diversos estúdios de yoga e pilates, nas academias e nos spas da cidade.

Clima e estações

  • O clima quente do verão começa no fim de maio e vai até setembro.
  • O inverno, de dezembro a abril, traz frio, normalmente, com temperatura bem abaixo de zero, e neve. Leve calçados e casacos quentes para que seja possível explorar a cidade com conforto.
  • A primavera vai do fim de março ao começo de junho e tem temperaturas amenas, sendo a época ideal para jantar nos vários cafés com mesas ao ar livre.
Autor: Marta
Data: 08/07/2016

Explore o Canadá, Vancouver

 
Cidade do mar às montanhas da British Columbia
 
Obtenha todas as informações necessárias para preparar sua viagem para Vancouver. A única coisa a se fazer é decidir em que tipo de aventura você deseja embarcar quando chegar.

Caminhe, corra ou ande de bicicleta pelo dique que circula o mundialmente famoso Stanley Park e veja a estátua da Garota em roupa de mergulho pelo caminho. Visite o Aquário de Vancouver para ver de perto polvos e anêmonas, nativos das águas da British Columbia. Passe um tempo com seus amigos tomando um café orgânico em um pátio da Galeria de Arte de Vancouver. Siga para a amigável Kitsilano ou para a colorida Commercial Drive para encontrar casas de massas, sushi bares e autênticos restaurantes italianos. Compre nas lojas da Main Street modelos exclusivos de designers locais. Dê um toque de sofisticação, passando pela megametropolitana Yaletown para avistar celebridades nos premiados bistrôs. Compre no Granville Island Market queijos artesanais e batatas fritas na gordura de pato. Pegue um teleférico para Grouse Mountain para ver o esqui noturno ou andar de patins em um lago ao ar livre no Natal. Aprenda windsurfe em English Bay, bem no centro da cidade.

Aventura ao ar livre

  • Faça um voo duplo de parapente ou escorregue pelas alturas na tirolesa do circuito de 5 linhas de Grouse Mountain.
  • Entre no Eye of the Wind (Olho do Vento), a única cápsula de observação feita de vidro dentro de uma turbina eólica
  • Faça uma caminhada em cantiléver sobre um penhasco, por um caminho de quase 1 km no ar, no Capilano Suspension Bridge Park.
  • Caminhe do centro da cidade até o país dos ursos em uma Aventura guiada na Floresta Tropical de Vancouver
  • Faça um voo panorâmico com pessoas locais em um hidroavião Aero-Mail Run, de Vancouver Harbour para as vilas exóticas das Gulf Islands.
  • Dirija por 15 minutos para esquiar à sombra dos atletas olímpicos em Cypress Mountain
  • Patine até Prospect Point no quebra-mar em torno do Stanley Park.

Aventura urbana

  • Pessoas observam e olham vitrines durante o passeio na Robson Street.
  • Procure uma pedicure em um day spa nos elegantes distritos de moda Kitsilano ou South Granville Street.
  • Pegue o aquabus para visitar estúdios de artistas e o Mercado Público em Granville Island.
  • Visite Chinatown para provar um dim sum e aproveitar a serenidade do Jardim Chinês Clássico Dr. Sun Yat-Sen.
  • Jogue 21 em um cassino na orla do centro da cidade da Plaza of Nations, onde aconteceu a Expo '86.

Arte e cultura

  • Assista ao teatro ao vivo a céu aberto no Malkin Bowl do Stanley Park.
  • Contemple os 10 totens em tamanho real das Primeiras Nações no BC Museum of Anthropology.
  • Passeie pela coleção permanente da famosa pintora canadense, Emily Carr, parte das 10.000 obras em exibição na Galeria de Arte de Vancouver.
  • Assista escandalosas comédias com sua refeição no Giggle Dam Dinner Theatre.

Gatronomia e bebida

  • Conheça os segredos de um chef profissional em um grande passeio no Granville Island Public Market; experimente as batatas fritas com gordura de pato.
  • Experimente o Pale Ale em Granville Island no bar e churrascaria local Crazy Raven em Cypress Mountain.
  • Jante acima das luzes da cidade de Vancouver no observatório de Grouse Mountain.
  • Petisque peixe com batatas fritas no deck com vista para a cidade do Jericho Beach Sailing Centre.
  • Encontre celebridades nos restaurantes e bistrôs superelegantes de Yaletown.

Natureza e vida selvagem

  • Tenha uma visão panorâmica de uma floresta de abetos de Douglas em uma Treetops Adventure em Capilano Suspension Bridge Park.
  • Veja ursos cinzentos órfãos brincarem em um santuário de 20.000 m2 em Grouse Mountain.
  • Vá au naturel para Wreck Beach, onde roupas são opcionais.
  • Veja crocodilos tomando sol na Galeria Amazônica no Aquário de Vancouver.

Clima e estações

  • Os meses quentes de verão se estendem entre meados de junho e setembro, com temperaturas médias diárias em julho de 17,5 ºC em Vancouver.
  • O inverno, de dezembro a março, traz um clima frio e úmido. Janeiro em Vancouver tem médias de 3,3 ºC. Prepare-se para neve nas montanhas.
  • A primavera vai de março ao início de junho, com temperaturas brandas. A média em abril, em Vancouver, é de 9,2 ºC.
  • O outono vai do final de setembro até novembro, com um clima brando e frio. Em outubro, a média de Vancouver é de 10,1ºC.
 
Autor: Marta
Data: 08/07/2016

Visto para Irlanda

Visto de Estudante com direito à trabalhar

Antes da Viagem

A Irlanda não exige que o estudante tenha visto antes da viagem, todo o processo é feito após a chegada no país. O estudante precisa providenciar antes da viagem os seguintes itens:

+ matricula em um curso;
+ acomodação para primeira semana;
+ seguro saúde;
+ pelo menos 3 mil euros;
+ passaporte com validade mínima de 06 meses após o término do curso.

 

Chegada na Irlanda

Assim que o estudante chega na Irlanda ele recebe, no aeroporto, um visto provisório com duração de 30 a 90 dias para que ele possa ter tempo para providenciar o visto definitivo. Com este visto em mãos, começa o passo-a-passo para obter o visto definitivo com duração de 01 ano e permissão para trabalhar.

 

Passo 01: Endereço Fixo

O primeiro passo é procurar uma acomodação fixa, pois todos os outros exigirão comprovante de endereço e não será aceito endereço da escola e/ou da acomodação reservada para primeira semana na Irlanda. Então antes de qualquer coisa, procure um local para morar.

 
Passo 02: Conta Bancária

O segundo passo é abrir uma conta bancária, o estudante deve solicitar na escola a “Bank Letter” (Carta para Banco).

Comparecer no banco descrito na carta com os seguinte documentos:
+ Bank Letter
+ Passaporte
+ Comprovante de residência

Aguardar o recebimento do cartão e senha, que deve ser enviado pelo correio. Assim que os receber, voltar ao banco e depositar a quantia mínima de 3 mil euros e solicitar um extrato. Por motivos de segurança, não deposite o dinheiro antes de receber o cartão.

O extrato leva em média de 3 a 5 dias para chegar, porém após 24 horas de ter solicitado já é possível movimentar a conta.

 
Passo 03: Seguro Governamental

O Seguro Governamental é um seguro oferecido pela escola, portanto é preciso solicitar sua apólice na secretaria da escola. Você precisará apresentar comprovante deste seguro na imigração.

 
Passo 04: Visto de Estudante (GNIB)

Tendo completado todos os passos anteriores é hora de solicitar seu visto de estudante com permissão de trabalho. Para isto o estudante deve comparecer na imigração portando os seguintes documentos:

+ Passaporte
+ Extrato Bancário
+ Seguro Governamental
+ Acceptance Letter (Carta de Matricula da escola)

Será necessário pagar uma taxa de 300 euros, este valor pode ser pago com cartão de crédito internacional, VTM (cartão de euro pré-pago), cartão de débito (com chip) ou dinheiro em espécie*.

*No caso de pagamento em dinheiro, a imigração emitirá um boleto para ser pago no banco e você deverá voltar na imigração 4 dias depois para retirar seu visto. Se for pagamento em cartão, recebe o visto na hora.

 
 
Autor: Marta
Data: 06/05/2016

Irlanda Comemora 100 anos de independência

Irlanda comemora 100 anos de revolta que levou à independência

'Revolta da Páscoa' foi uma rebelião armada contra o domínio britânico.
Cerca de 4 mil militares e policiais participaram do evento neste domingo (24).

 
 
O ano de 1916 foi marcante para a história irlandesa. Entre os dias 24 e 30 de abril daquele ano, ocorreu a conhecida Revolta da Páscoa, guerrilha que levou a Irlanda à independência seis anos depois. Na ocasião, a Irlanda se revoltou contra o domínio britânico e iniciou uma sangrenta rebelião.
No entanto, após seis dias de combate, a batalha cessou e foi criado um documento, assinado por sete intelectuais e sindicalistas, que proclamava a República da Irlanda. Embora pouco reconhecido internacionalmente, isso fez com que o republicanismo tivesse ainda mais força no país e que movimentos seguintes conquistassem a desejada liberdade irlandesa. Inclusive, o neto de Eamon de Valera, um dos participantes da rebelião, disse que o levante “deu às pessoas a coragem de acreditar que poderíamos aspirar a completar a independência”, que ocorreu de fato em 1922.
Neste ano, o Governo Irlandês organizou um desfile de 4,4km para percorrer a capital diante de centenas de milhares de espectadores. Cerca de 4 mil militares, policiais e membros de serviços de resgate participaram do evento.  O primeiro-ministro Enda Kenny afirmou: “É importante homenagear, neste ano do centenário, a todos aqueles que perderam suas vidas durante (a revolta) de Páscoa de 1916″.
Além disso, foi criado um programa nacional e internacional de eventos para comemorar o 100° aniversário da Revolta. A “Ireland 2016” é uma iniciativa que abrange sete temas principais com um amplo calendário de eventos: ceremonial, historical, cultural, gaeilge, youth, community participation, global. A programação completa você pode ver no site oficial do governo irlândes.
 
Visitar o país neste ano pode ser uma boa ideia!
 
Estude e Trabalhe em Dublin!

ISE ( The International School of English ) é uma escola de qualidade,dedicada a fornecer os mais altos padrões educacionais aos estudantes internacionais. A escola foi fundada em 1997 e é credenciada pelo ACELS e membro do MEI.

Pacote promocional por R$ 9.960,00 ( para inscrição até 10 de maio )

Inclui no pacote:

- 25 semanas de curso de inglês geral + conversação

- 08 semanas de férias

- 01 semana de acomodação

- Seguro governamental

- Taxas de inscrição e acomodação

- Material

- Exame TIE

Autor: Marta
Data: 28/04/2016

Conheça Cork

Sabia que Cork é um ótimo destino para quem quer fugir de Dublin?
 
Cork é a segunda maior cidade da República da Irlanda e a terceira mais populosa da ilha da Irlanda, depois de Dublin e Belfast. É a capital e a principal cidade do condado de Cork e também a maior cidade de Munster
 
Cork é uma cidade que transmite boas sensações, totalmente inusitada. Conta com colinas e caminho de aguas, grandes desfiles da Geórgia e com 
personalidade onde levam você diretamente ao século 17 com suas ruas e avenidas cheias de estilos. Restaurantes com reputação internacional 
em servir o melhor da produção local, e uma proliferação de bares tradicionais que oferecem o melhor da música ao vivo.  
A cidade tem uma população de 190.000 pessoas e oferece uma recepção única, charmosa e simpática a todos os que caminhar por suas ruas e visitar as 
suas muitas atrações.  

* Cork City é apenas o tamanho certo para se sentir em casa rapidamente, e ainda tem todas as características de uma cidade cosmopolita*.
 
A cidade é listada como um dos dez melhores lugares para se visitar no mundo de acordo com o guia Lonely Planet, que diz Cork ". . . sempre 
teve uma confiança inabalável e senso inato de orgulho " 
 
A população de Cork é orgulhosa pela sua cidade. A cidade é conhecida por sua música caseiro, cinema, teatro e cena de arte, além 
de diversos festivais.
 
Cork sempre foi um importante centro para as artes na Irlanda, mas, desde a sua designação 
como Capital Europeia da Cultura em 2005, a cidade investiu ainda mais. 
 
O calendário de grandes festivais hospedados em Cork ao longo do ano para todos os gostos, com eventos em performance e artes visuais, canto 
coral, comédia, filme, música folk, jazz, literatura, escrita e música tradicional, para citar apenas alguns.  
 
Custo de Vida em Cork 
 

 

Dublin

Cork

Monthy rent – Single room

Eur 450 to Eur 800

Eur 300 to Eur 500

6 Months rents – Single room

Eur 2.700 to Eur 4.800

Eur 1.800 to Eur 3.000

Monthly cost – Food

Eur 120

Eur 90

6 Months – Costs – Food

Eur 720

Eur 540

Monttlhy utility biils

Eur 40

Eur 30

6 Months coasts utility biils

Eur 240

Eur 180

Grand Total for 6 months

Eur 3.660 to Eur 5.760

Eur 2.520 to 3.720


Em Cork você poderá estudar 6 meses, sem a necessidade de um emprego trazendo 3 mil euros conforme solicitado pela imigração!! 
*O Custo de vida é 45% inferior a Dublin. 
 
A nossa escola Cork English Academy está localizada no centro da cidade, a menos de cinco minutos a pé da St Patrick Street, 
principal rua comercial no centro da cidade. Cork English Academy está no meio de todas as principais instalações e serviços voltados 
para os estudantes.
 
Por que escolher a Cork English Academy? 
 
Somos uma escola de Inglês independente localizada no coração da cidade de Cork, no sul da Irlanda. Fundada para atender as 
necessidades daqueles cuja língua materna não é o Inglês, o nosso objetivo é o de proporcionar excelente instrução no idioma Inglês 
em um ambiente amigável que dá aos nossos alunos a oportunidade de uBlizar o idioma Inglês com naBvos e práBca com o outro 
enquanto ganha uma maior compreensão da vida e da cultura irlandesa. 
 
Queremos garantir que o seu tempo em Cork seja o mais agradável e produtiva possível. 
Você se beneficiará da experiência e entusiasmo da nossa equipe de formadores e total apoio aos nossos alunos. 
 
Confira nossos pacotes promocionais:
 
PACOTE 15 HORAS 

25 semanas de curso – 15h semanais - Segunda A Sexta 9 as 12:15
+ Periodo de férias concedido pela imigração
+ Matricula e material completo - em classe
+ Traslado aeroporto de Dublin até Cork (Aircoach**Refund)
+ Seguro Saude
+ 3 aulas adicionais de Gramatica, Pronuncia e conversação (período da tarde)
+ certificado de conclusão de curso
+ Exame TIE
+ Business English  OU Preparatorio Exame - 4 semanas
+ Chip telefônico METEOR
+ 2 semanas residência estudantil – quarto individual

Valor Total:  3220 EUROS / R$ 13.170,00*
 
**************************************
 
PACOTE GE + ADD ON - 04 semanas    
                                                                              
04 semanas de curso – 15h semanais - Segunda A Sexta 9 as 12:15                      
+ Matricula e material completo - em classe                                                       
+ Traslado aeroporto de Dublin até Cork (Aircoach**Refund)                                 
+ 3 aulas adicionais de Gramatica, Pronuncia e conversação (período da tarde)   
+ certificado de conclusão de curso                                        
+  Preparatorio IELTS ou FCE - 4 semanas - tarde                                                                  
+ 4 semanas residência estudantil – quarto individual  
 
Valor Total:  1405 EUROS / R$ 5.746,00*
 
************************************************
 
PACOTE GE + ADD ON - 12 SEMANAS       
 
12 semanas de curso – 15h semanais - Segunda A Sexta 9 as 12:15
+ Matricula e material completo - em classe
+ Traslado aeroporto de Dublin até Cork (Aircoach**Refund)
aulas adicionais de Gramatica, Pronuncia e conversação (período da tarde)
+ certificado de conclusão de curso
+ Business English / Preparatorio IELTS ou FCE - 4 semanas - tarde
+ 2 semanas residência estudantil – quarto individual

Valor Total - 1856 EUROS / R$ 7.591,00*                                         

* valores sujeitos a alteração conforme variação cambial
Autor: Marta
Data: 19/04/2016

Austrália tem duas cidades entre as cinco melhores do mundo para estudantes internacionais

Todos os anos, a consultoria britânica em educação superior QS lança um ranking com os principais  destinos para os estudantes e, em 2016, a Austrália apresentou o melhor desempenho. O país classificou duas de suas cidades no Top 5 da lista - Melbourne conquistou a segunda posição do ranking, ficando atrás de Paris, e Sydney ocupou o quarto lugar, aparecendo logo após Tokyo.  

Para chegar no resultado final, a QS analisou cinco aspectos diferentes: a colocação das universidades da cidade em um ranking mundial, a qualidade de vida, a diversidade dos estudantes, o custo de vida e o desempenho na carreira após a graduação. Além de Melbourne e Sydney, outras 5 cidades australianas apareceram na lista: Camberra (17º lugar), Brisbane (18º), Adelaide (26º), Perth (35º) e Gold Coast (69º).  

No caso de Melbourne, quesitos como a diversidade de nacionalidade dos estudantes, as perspectivas de trabalho e a qualidade de vida foram determinantes para o seu sucesso que, nesse ano, também foi eleita (pela quinta vez consecutiva) como a melhor cidade para viver pela revista The Economist.

Mas os bons resultados do país não param por aí! Ano após ano, a Austrália confirma suas universidades entre as melhores do mundo. Em 2016, a Australian National University apareceu na 19ª posição do ranking, enquanto a University of Melbourne ocupou a 42ª posição, a University of Sydney a 45ª e a University of New South Wales e University of Queensland ficaram empatadas no 46º lugar.

Vale destacar que, anualmente, a Austrália investe US$200 milhões em bolsas de estudos para alunos internacionais, o que desperta ainda mais o interesse de novos estudantes. Além disso, sempre existe a possibilidade de se candidatar para os projetos de bolsas integrais ou parciais oferecidos por cada instituição. Desse jeito, nem dá para inventar muitas desculpas para não tentar uma vaguinha, não é mesmo!?

Autor: Marta
Data: 08/04/2016

Intercâmbio para +50

 

Intercâmbio aos 50 anos

Quer aprender uma língua, mas acha que intercâmbio é só pra jovens? Pois existem cursos de intercâmbio para quem já passou dos 50

Se você sempre quis fazer um intercâmbio, mas acha que não tem mais idade, está muito enganado. Pessoas com mais de 50 anos estão fazendo as malas para aprender ou melhorar o idioma em outros países. E, de quebra, ainda conhecem outra cultura e fazem novas amizades.
Estrategicamente localizadas em cidades bem charmosas, as escolas oferecem cursos para diferentes níveis de aprendizado, do básico ao avançado. E combinam passeios guiados para descobrir a cultura de cada lugar além de aulas de história.

A médica ginecologista Ana Lúcia Sampaio Fernandes, de 67 anos, há muito tempo sonhava em fazer um intercâmbio para aprimorar o inglês. “Eu tinha receio em fazer aulas com adolescentes, que têm idade para serem meus netos. E que muitas vezes não encaram um curso com tanta seriedade”.

Ao saber de programas voltados para a “melhor idade” , Ana Lúcia não teve dúvidas e embarcou sozinha para Bournemouth, na Inglaterra. “Eu me sentia mais à vontade com pessoas da minha idade. Nós tínhamos os mesmos interesses, e as aulas abordavam temas que fazem parte do nosso universo”.

Falar português? Nem pensar. Na classe de 12 alunos, Ana Lúcia era a única brasileira. Havia alemães, suíços, japoneses, espanhóis, poloneses... O jeito foi destravar a língua para se comunicar.

Além disso, os cursos são mais culturais. À tarde, o professor acompanhava os alunos em passeios pelas cidades vizinhas, verdadeiras aulas práticas onde explicava a história dos locais e monumentos. “Eu já havia viajado para Londres três vezes. Mas o interior da Inglaterra é lindo e sem toda aquela agitação. Conhecemos Stratford-upon-Avon onde Shakespeare nasceu e os lindos castelos de Christchurch. Foi muito divertido”.

Na bagagem, Ana trouxe ótimas lembranças e boas amizades que mantêm até hoje em trocas de e-mails. E também um sotaquezinho britânico

Autor: Marta
Data: 01/03/2016

12 dicas para você estudar fora em tempos de crise econômica

Por Andréa Tissenbaum, do Blog da Tissen

Em tempos de crise parece que uma nuvem cinzenta paira sobre as nossas cabeças. Como se nunca mais pudéssemos realizar sonhos, como se por um período indeterminado tivéssemos que colocar planos na gaveta porque a situação não permite que a gente faça nada além disso.

Mas, tempos de crise são momentos em que temos que reavaliar planos, mudar algumas rotas, ser mais criativos e flexíveis na forma como planejamos sonhos. Especialmente o de estudar fora.

Vale um exemplo pessoal. Há muitos anos, eu pude literalmente ver meu sonho se desmanchar, como em um desenho animado. Mas, não desanimei. Organizei-me de outra forma e criei um intercâmbio “caseiro”. Escrevi para uma família que conhecia em Long Island, região próxima a Manhattan, e acertei com eles ficar por um mês em sua casa. Foi bárbaro. Falava inglês o tempo todo, pegava o trem sozinha todos os dias para ir a Manhattan passear e ver coisas incríveis. Pude vivenciar intensamente a vida de uma família americana dessa região.

Tempos de crise não são necessariamente momentos em que não podemos realizar. Segundo dados da Belta, associação que congrega instituições de intercâmbio de todo o Brasil, a procura por cursos de idioma com foco em áreas específicas passou de 21% para 40% entre janeiro e julho de 2015 na comparação com o mesmo período no ano passado.

O momento é muito oportuno para investir na carreira e buscar uma melhor qualificação profissional. A vivência internacional e a fluência em um outro idioma são pontos altamente positivos em um currículo.

Então sopre a nuvem cinzenta, tome uma dose de otimismo e dê uma boa lida nas 12 dicas abaixo que te permitirão rever o seu plano de estudar fora:

1. Visite sites que oferecem informações sobre o custo de vida das cidades no mundo e faça a sua pesquisa. Os sites Expatisan e Numbeo oferecem dados interessantes e detalhados.

2. Reajuste seus planos: fuja das grandes cidades (que em geral tem um custo de vida muito alto) e opte por cidades menores.

3. Escolha destinos diferentes, saia do lugar comum. Lugares mais econômicos como a Irlanda, Malta, Canadá, África do Sul, Espanha e Portugal podem ser uma excelente opção. Acesse aqui um guia de 10 lugares fora do comum para fazer intercâmbio

4. Pense em fazer um intercâmbio na América do Sul. Sim, ArgentinaChile, Colômbia, Costa Rica eMéxico tem ótimas instituições de ensino superior com uma variedade imensa de cursos a um custo super razoável. O site da Universia oferece um guia de mobilidade internacional de universidades Ibero-Americanas que vale a pena conferir.

5. Reveja suas contas e ajuste o seu orçamento mensal no exterior. É possível viajar sem gastar muito e ainda assim aproveitar demais seu tempo fora.

6. Considere destinos em que o seu visto te permita trabalhar. A Irlanda, a Nova Zelândia, a Austrália e o Canadá permitem que você trabalhe enquanto estuda fora por períodos mais prolongados. E se você tem um passaporte europeu esse leque se abre ainda mais.

7. Reduza o tempo da sua viagem e mergulhe de corpo e alma na atividade que se propõe a fazer. Será mais breve e mais intenso, mas não menos proveitoso.

8. Considere fazer um voluntariado no exterior.

9. Pesquise as opções oferecidas pela AIESEC, o intercâmbio de Jovens da Rotary e a AFS.

10. Se viajar com uma agência, negocie sua forma de pagamento. Muitas agências neste momento estão oferecendo descontos para quem quer estudar fora.

11. Aproveite as mega-promoções de passagens aéreas.

12. Corra atrás de uma bolsa de estudos. Dá trabalho, é verdade, mas compensa demais. 

Por fim, planeje sua viagem com pelo menos um ano de antecedência. Organize-se. Faça uma pesquisa minuciosa, crie tabelas e escolha, com calma, qual experiência de estudar fora melhor se encaixa com as suas condições.

Este texto foi originalmente publicado no Blog da Tissen

_____________________________________________________________________

Sobre a autora – Andrea Tissenbaum é formada em História e Psicologia pela PUC-RJ. Concluiu o mestrado e o doutorado na California School of Professional Psychology, nos EUA. Já coordenou a área de Relações Internacionais do Insper, em São Paulo, e viajou o mundo para conhecer e fazer parcerias com instituições de ensino internacionais. Como consultora, orienta jovens e adultos que buscam oportunidades para estudar fora do Brasil.

Autor: Marta
Data: 05/11/2015

5 Países da Europa que podem ser conhecidos em apenas 01 dia

Viajar ao continente europeu normalmente permite que você visite mais de um país numa mesma viagem. Esse roteirinho já é comum pra muita gente que planeja ir pra lá. Mas já pensou em conhecer alguns deles em um único dia? Será que daria tempo?

Sim, daria, se você levar em conta os menores países da Europa, como na lista abaixo sugerida pelo pessoal do buscador KAYAK. Vale ainda lembrar que graças aoAcordo de Schengen, os brasileiros nem precisam de visto (veja lista completa).

1. VATICANO

 

Talvez você não saiba, mas o Vaticano é considerado um país (o menor do mundo). A sede da Igreja Católica fica no coração de Roma e tem apenas 0,44Km². É a menor nação do mundo. Além de cumprir o ditado e ver o Papa, dá pra conhecer todas as atrações, como a Basília de São Pedro, o Museu e a Capela Sistina

 

2. LUXEMBURGO

 

Com pouco mais de meio milhão de habitantes, Luxemburgo está encravado entre Bélgica,França e Alemanha. Tem apenas 82Km de extensão e sua capital também se chamaLuxemburgo, onde estão as principais atrações, como os museus, o Palácio Grand-Ducal e a Catedral de Notre Dame.

 

3. ANDORRA

Entre Espanha e FrançaAndorra tem paisagens incríveis e arquitetura medieval, além de uma famosa estação de esqui. Os serviços também ganham destaque, como restaurantes, lojas e a vida noturna.

 

4. MÔNACO

 

Esse principado tem menos de 2Km e fica apenas atrás do Vaticano na lista dos menores países do mundo. Apesar de pequeno, é muito rico e famoso por sediar o GP de Fórmula 1. Quem visitaMônaco fica impressionado com as mansões e os automóveis de luxo que circulam pelas ruas.

 

5. LIECHTENSTEIN

 

Outro pequeno principado, está localizado nos alpes entre Áustria e Suíça. Além de um dos países com maior renda per capita do mundo, é famoso pela produção de queijos e vinhos. Sua capital é Vaduz e tem pouco mais de 5 mil habitantes.

 

 

Autor: Marta
Data: 30/10/2015

Programa NFP oferece bolsas integrais para estudar na Holanda.

Financiado pelo Governo Holandês, programa oferece cursos ministrados em inglês para profissionais brasileiros. 

Um dos sistemas educacionais mais internacionalizados do mundo, a Holanda tem uma política de estímulo à diversidade cultural que privilegia a atração de talentos globais. Com 80% das universidades de pesquisa listadas entre as 200 melhores do mundo pelo Times Higher Education Ranking, o país é a prova de que essa fórmula pode dar certo. Para atrair estudantes estrangeiros de alto desempenho, o Governo holandês aposta no rigoroso controle de qualidade das suas universidades e na oferta de bolsas de estudos a alunos de excelência.
 
Outro grande objetivo do governo holandês é estimular a capacitação profissional de países em desenvolvimento, incluindo o Brasil. Para isso foi criado o NFP – The Netherlands Fellowship Programmes, programa que oferece bolsas integrais para cursos de curta duração, mestrado e doutorado em diversas áreas de estudo. Voltado para profissionais de meio de carreira, o candidato deve estar empregado e escolher um curso que contribua para o desenvolvimento da organização em que ele trabalha.
 
O NFP complementa o salário que o beneficiado deveria continuar a receber enquanto está fora do país de origem. A bolsa também pode cobrir custos de anuidades, vistos, viagem e de pesquisa para a tese.
 
Os três principais requisitos são:
- Ser apoiado pela sua empresa
- Proficiência no idioma inglês
- Ser aceito pelo curso escolhido na universidade holandesa.
 
Quem não se enquadra no perfil pode tentar participar dos programas de bolsas institucionais oferecidos pelas universidades holandesas. Ao todo, são mais de 60 opções para estudantes brasileiros. Os critérios de seleção variam de acordo com a instituição e o curso escolhido, mas inglês fluente é sempre mandatório.
 
A Nuffic Neso Brazil, fundação subsidiada pelo Ministério da Educação Holandês, orienta e informa gratuitamente estudantes interessados em ingressar no ensino superior do país.. Para conhecer os cursos e obter mais informações sobre o Netherlands Fellowship Programme e outras opções de bolsas, acesse www.nesobrazil.org/nfp2012.
Autor: Marta
Data: 21/10/2015

Os 10 países mais baratos do mundo para viajar

Com a desvalorização do real, a inflação nacional, entre outras condições que acabam reduzindo o poder de compra dos brasileiros atualmente, está mais difícil viajar para os destinos tradicionais do exterior como: Estados Unidos, Inglaterra, Itália, Espanha, dentre outros. Mas ainda existem opções de lugares mais econômicos para você ter férias incríveis.

Para quem tem espírito aventureiro, gosta de conhecer novos lugares, mas está com o orçamento limitado, para essa seleção foram levados em consideração a segurança dos lugares para os turistas e os custos gerais envolvidos em uma viagem, por pessoa, por dia. Confira:

Indonésia

submarino viagens

A Indonésia é um arquipélago formado por mais de 17 mil ilhas e apresenta uma oferta bem variada em termos de turismo. É um destino interessante para quem adora praias maravilhosas e busca por preços mais em conta. Algumas das ilhas mais famosas são Bali, Sumatra e Comodo. Na Indonésia é possível encontrar voos locais low-cost e hotéis para todos os bolsos. De acordo com relatos de turistas, é possível gastar em torno de US$ 40 por dia, levando em consideração passeios, hospedagem, alimentação e compras.

Egito

submarino viagens

O Egito possui cultura única, cheia de mistérios, que atraem turistas de todo o mundo. O país recebe cerca de 9 milhões de visitantes por ano, números que fazem do turismo um dos pilares da economia nacional. Dentre as principais atrações do país estão as diversas pirâmides construídas no Egito Antigo, o Vale dos Reis, o Templo de Luxor, a Mesquita de Muhammad Ali e a viagem pelo Cairo. A hospedagem no local é uma das mais baratas do mundo, em média, gasta-se com tudo incluso, em torno de US$ 35 por pessoa, por dia.

Índia

submarino viagens

A Índia é um país muito procurado por visitantes alternativos, recebe mais de 7 milhões de visitantes anuais, e tem se desenvolvido bastante nos últimos anos em termos de turismo. Como lá o transporte é barato, as comidas nas ruas são boas e a hospedagem está entre as mais em conta do mundo, é o destino ideal para quem quer gastar pouco e conhecer um lugar totalmente diferente. É incrível pensar que a Índia é 70% mais barata se comparada aos Estados Unidos. Em média, em uma viagem à Índia gasta-se, chutando alto, em torno de US$ 40 por dia.

Nepal 

submarino viagens

O Nepal é um destino espiritual, localizado nas encostas da Cordilheira do Himalaia. Os turistas que exploram essa região se aventuram no trekking e nas trilhas com paisagens incríveis. Lá você encontrará hospedagens baratas mesmo na capital, Katmandu, e irá gastar pouco com refeições e guias. Para os interessados em religião, há templos sagrados maravilhosos e festivais que acontecem durante o ano todo. É um lugar rico em cultura asiática clássica e belezas pitorescas. No Nepal é possível gastar uma média de US$ 25 por dia, por pessoa, considerando guias e passeios.

Polônia

submarino viagens

A Polônia é um lugar incrível, porém ainda pouco explorado no roteiro de viagem dos que vão para a Europa. E também por esse motivo, é um local mais em conta para os viajantes em busca de economia, tanto na hospedagem como nas refeições e cervejas artesanais. A Polônia é rica em tesouros culturais e históricos, cidades medievais com castelos, montanhas maravilhosas e museus. Para aproveitar a cidade, sua gastronomia e uma boa hospedagem, é possível gastar em torno de US$ 45 por dia.

Laos 

submarino viagens

O Laos é um dos mais belos países da Ásia, localizado entre a Tailândia e o Vietnã, tem em torno de 70% de seu território coberto por montanhas e florestas tropicais. Além disso, possui templos e palácios históricos, envoltos por paisagens incríveis. O mais interessante deste país é a grande presença de elefantes, inclusive como meio de transporte. O Laos é um ótimo destino para quem busca turismo econômicoLaos recebe anualmente, aventureiros de todos os cantos do mundo, que relatam gastos em torno de US$ 30 por dia, com tudo incluso.

Honduras

submarino viagens

Honduras é um país situado na América central, banhado pelo Mar do Caribe. Sua paisagem predominante é de montanhas, florestas tropicais e praias maravilhosas. É o lugar perfeito para exploradores e aqueles que gostam de curtir a tranquilidade de lindas praias pagando pouco, se comparado aos destinos tradicionais. Uma das principais atrações de Honduras é a cidade de Copán, o maior sítio arqueológico da civilização Maia. Os preços diários com hospedagem, alimentação e turismo ficam em torno de US$ 35 por dia.

Marrocos 

submarino viagens

O Marrocos é um país muçulmano com cultura e tradições que atraem muitos turistas pela curiosidade. Como é separado da Espanha apenas pelo Estreito de Gibraltar, é uma opção muito explorada pelos europeus que buscam um destino exótico. Além do conhecido deserto, no país você encontra muita riqueza cultural e histórica, como belas mesquitas, uma gastronomia deliciosa, comércios tradicionais, praias tranquilas e montanhas incríveis. Os preços no Marrocos variam de acordo com a experiência que você deseja ter e o quanto souber negociar mas, em média, as despesas ficam em torno de US$ 40 por dia.

Bolívia

submarino viagens

A Bolívia é um dos destinos turísticos mais baratos das Américas, levando em consideração a hospedagem, a alimentação e o transporte. É ideal para os aventureiros e para quem possui boa disposição física, pois muitos passeios envolvem viagens longas de ônibus. Algumas das principais atrações do país são a montanha Illimani, o sítio arqueológico Tiwanaku, o Mercado de Las Brujas, o Museu da Coca, dentre outras. As despesas diárias ficam em torno de US$ 25 por pessoa.

Tailândia

submarino viagens

A Tailândia é um país incrível, cheio de mistérios, praias paradisíacas e gastronomia exótica. É o destino ideal para mochileiros e aventureiros que procuram um lugar com cultura rica e preços acessíveis. Além das praias maravilhosas, alguns pontos turísticos interessantes são os templos e santuários milenares, como o do Buda Reclinado (Wat Pho), as feiras de rua e o Thai Elephant Home, onde é possível realizar passeios com elefantes. Os custos com hospedagem, alimentação, transporte interno e compras ficam em torno de US$ 35 por dia.

 

Autor: Marta
Data: 08/10/2015

Programação para crianças em São Paulo de 1 a 7 de outubro

Vamos aproveitar o que São Paulo tem a oferecer!

Na semana de 01/10 a 07/10:

Beatles para crianças

Este final de semana acontece uma única apresentação do espetáculo “Beatles para Crianças”.

A apresentação é gratuita e acontece no sábado, às 15h e às 17h, no Shopping Cidade Jardim.

A banda tocará sucessos de Beatles com uma versão especial só para os pequenos.

Mais informações:

Data: 03/10/2015

Brincadeiras e show gratuitos

Horário das Brincadeiras: a partir das 15h

Horário do Show: das 16h às 17h

Local: Shopping Cidade Jardim – 4º piso (ao lado da Casa da Árvore)

Avenida Magalhães de Castro, 12.000 (Marginal Pinheiros – pista local) – 3552-1000

Conheça mais clicando aqui
 
beatles
 

Chácara Turma da Mônica – Restaurante & Loja

Estamos bem curiosos para conhecer o primeiro restaurante totalmente temático da Turma da Monica, aqui em São Paulo. As Laranjinhas são fãs da Turminha (veja o post sobre o Parque da Monica aqui)!

O restaurante está previsto para inaugurar este final de semana, em Pinheiros, onde ficava o Chácara Santa Cecília. O espaço é bem grande com bastante área verde e foi totalmente remodelado.

Agora há espaços para que as crianças possam brincar bastante, além de um cardápio com menu infantil. Pelas fotos que vi, deve ter ficado bem legal.

Como estão abrindo neste final de semana, vale a pena ligar para confirmar os horários de funcionamento e se há necessidade de reserva.

Mais informações:

Data: Abre 1 de outubro

Horário: Café da Manhã Domingos e Feriados. Almoço 12hàs 15h30 seg a sexta. Sáb e Feriados das 12h às 16h . Domingo, das 12h às 17h. Jantar/bar Terça a sábado das 18h às 22h.

Local: Rua Ferreira de Araújo 601, Pinheiros – SP.

Show do Patati-Patatá

A dupla de palhaços se apresenta em turnê no Theatro Net até o dia 12/10.

As apresentações acontecem aos sábados e domingos, 3,4, 10 e 11 de outubro às 11h e as 14h30.

No dia das crianças, 12 de outubro, haverá duas sessões especiais às 11h e às 16h.

Mais informações: 
Theatro Net São Paulo

Shopping Vila Olímpia – Rua Olimpíadas, 360 – Itaim Bibi – Shopping Vila Olímpia – 5 piso

De 3 a 11 de outubro | 11h e 14h30;

Sessão especial Dia das Crianças – 12 de outubro | 11h e 16h.

Platéia Central: R$120,00 | Platéia Lateral: R$ 100,00 | Balcão I: R$80,00 | Balcão II: R$ 50,00*

chacara da monica

Show do Patati-Patatá

A dupla de palhaços se apresenta em turnê no Theatro Net até o dia 12/10.

As apresentações acontecem aos sábados e domingos, 3,4, 10 e 11 de outubro às 11h e as 14h30.

No dia das crianças, 12 de outubro, haverá duas sessões especiais às 11h e às 16h.

Mais informações: 
Theatro Net São Paulo

Shopping Vila Olímpia – Rua Olimpíadas, 360 – Itaim Bibi – Shopping Vila Olímpia – 5 piso

De 3 a 11 de outubro | 11h e 14h30;

Sessão especial Dia das Crianças – 12 de outubro | 11h e 16h.

Platéia Central: R$120,00 | Platéia Lateral: R$ 100,00 | Balcão I: R$80,00 | Balcão II: R$ 50,00*

Patati & Patatá

Exposição Na Era dos Dragões

No mesmo shopping Vila Olímpia, está em cartaz até 18/10 a mostra “Na Era dos Dragões”, que reúne mais de 10 espécies animatrônicas com até 8 metros de altura, emitem sons e se movimentam.

A exposição recria o ambiente que os dragões supostamente viviam.

É uma mostra internacional inédita no Brasil, que já fez sucesso no Rio de Janeiro.

Mais informações:

ShoppingVilaOlímpia

Rua Olimpíadas, 360 – Vila Olímpia, São Paulo – SP, 04551-000 | Tel: (11) 3047-6002

Fica em cartaz até dia 18 de outubro.

A entrada é gratuita.

Dragoes
 

Exposição Barbie Terras Distantes

Para quem curte Barbie está é uma exposição bem legal. O evento traz as bonecas da série Dolls of the World, com Barbies colecionáveis que homenageiam 50 países, além de brinquedoteca com jogos digitais e brincadeiras monitoradas. Com mais de 200 Barbies, a exposição trará também exemplares raros da boneca, entre eles a Barbie Brazilian Bonanza, criada pelo estilista americano Bob Mackie em homenagem ao Brasil.

Para as meninas, a diversão começa com o “check-in” em um balcão de aeroporto cenográfico e continua na Brinquedoteca Barbie, onde elas são recebidas por monitoras caracterizadas como comissárias de bordo e ganham um Passaporte Barbie que pode receber carimbos de diversos países. Um avião da Barbie cenografado para que as meninas façam fotos como recordação do evento também faz parte da atração.

Os meninos também terão lugar na brincadeira. No espaço Hot Wheels eles poderão se divertir com os amigos em diversas atividades, entre elas uma minipista, com curvas, túneis e garagens para brincarem com os vários modelos de Hot Wheels.

Uma iniciativa bacana é que durante a exposição, o Shopping arrecadará brinquedos para serem doados a crianças carentes. Aproveite e leve algo para doação.

Mais informações:

Local: Shopping Metro Tucuruvi – Piso Plataforma

Endereço: AVENIDA DR. ANTÔNIO MARIA LAET, 566

Quando: de 16 de setembro a 12 de outubro

Horário da exposição: todos os dias das 12h às 20h

Horário da brinquedoteca: de quinta a domingo, das 12h às 20h

Encontro com personagens: Pilotos Hot Wheels – 04/10, às 12h | Barbie – 11/10, às 12h

Entrada gratuita

barbie tucuruvi
Autor: Marta
Data: 03/10/2015

Estudantes podem levar Conjuge e filhos para Trabalhar e Estudar no Canada

 

Profissionais hoje em dia não precisam abandonar o sonho de estudar em um College ou fazer uma pós graduação no Canadá após o casamento ou o nascimento dos filhos. Atualmente é sim  possível, passar uma temporada de estudos fora, junto com a família. A atual política de imigração Canadense permite que cônjuge e filhos menores em idade escolar acompanhem o estudante para também trabalhar e estudar.

Ao solicitar o visto de estudante, deve ser informado os dados de todos os membros da família que acompanharão o estudante para o Canadá. É importante frisar a importância que o aluno e sua família devem ter ao mostrar que possuem recursos suficientes para se manter durante a estadia no país, para que então a aplicação seja aprovada.


Conjuge   Para as pessoas que estão casadas ou estão em uma união estável (commom-law), o seu  cônjuge poderá estar com você no Canadá como residente temporário com direito a trabalho remunerado, por meio do Open Work Permit.  Para ter direito a solicitar a permissão de trabalho, algumas regras se aplicam aos seguintes perfis:   Cônjuge de estudantes que estejam matriculados em uma instituição pública de ensino pós-secundário, como universidade ou College e em período integral.

No caso de instituições particulares, é preciso que elas estejam autorizadas por cada província a fornecer diplomas ou que recebam pelo menos 50 por cento de financiamento do governo, como acontece com alguns colleges em Quebec.  Cônjuges de trabalhadores temporários (NOC 0, A ou B) ou High Skill ability; Cônjuges de estudantes que se formaram em uma Instituição de Ensino canadense (Post Graduate Work Permit).

O cônjuge ou companheiro poderá aplicar para um visto de trabalho que permite  trabalhar legalmente em qualquer emprego no país. O Candidato não precisará de uma oferta de trabalho formal.  A duração desta permissão será a mesma ao período de estudo ou trabalho do(a) parceiro(a). Desta forma, os cônjuges ou parceiros de estudantes internacionais podem adquirir não só uma grande experiência no mercado de trabalho canadense, mas também podem ajudar a sustentar a família financeiramente.


FILHOS   A idade escolar no Canadá é de 5 anos, com exceção da província de Ontario que é a partir dos 4 anos de idade. Portanto, em idade escolar, os filhos possuem direito a escola gratuita, contanto que um dos pais possuam um visto de estudo, sem ser curso de inglês ou vocacional, ou um visto de trabalho atrelado a alguma empresa. Os filhos não precisam de uma autorização para frequentarem a escola. Porém quando este filho atinge a maioridade na sua província, você deve solicitar um Study Permit para que ele possa continuar estudando legalmente dentro do Canadá.

Maioridade no canadá   A maioridade varia de acordo com cada  província e território Canadense. Em Alberta, Manitoba, Ontario, Prince Edward Island, Quebec, Saskatchewan é 18 anos Já em British Columbia, New Brunswick, Newfoundland and Labrador, Northwest Territories, Nova Scotia, Nunavut, Yukon, a maioridade é de 19 anos.  
 
A família não precisa ser obstáculo para estudar no exterior   O Canadá possui algumas das faculdades e universidades mais conceituadas do mundo, e o interesse do país em juntar a família significa que os estudantes internacionais e seus dependentes têm a oportunidade de experimentar a vida canadense juntos.
 
Muitos alunos permanecem no país após a formatura e se tornam membros valiosos da força de trabalho e na sociedade em geral imigrando para o país.  
 
Referência: MJ Consultoria - Maria João Guimarães
 
 
Autor: Marta
Data: 29/09/2015

Horário de Verão 2015-2016: Quando começa e oque muda nas suas viagens

 

Horário de Verão 2015-2016 começa à zero hora do dia 18/10/15 e termina à zero hora do dia 21/02/16, ambas as datas na noite de sábado para domingo. Nesse período, moradores das regiõesSulSudeste e Centro-Oeste devem adiantar seus relógios em uma hora.

Pra quem tem viagem marcada nessas datas das mudanças ou até mesmo dentro do período do Horário de Verão, vale consultar a companhia aérea e até mesmo empresas de ônibus sobre possíveis alterações nos horários das partidas ou chegadas. Como essas regiões, inclusive Brasília, ficam uma hora à frente das demais áreas onde não há a mudança, é comum surgirem ajustes nas malhas, principalmente para viagens ao Nordeste, que acaba ficando uma hora atrás do Horário Oficial Brasileiro.

HORARIO DE VERÃO 2015-2016

Começa: 18/10/15
Termina: 21/02/16
Alteração: Moradores do Sul, Sudeste e Centro-Oeste devem adiantar seus relógios em uma hora

Autor: Marta
Data: 26/09/2015

Qual é o voo mais longo do mundo sem paradas?

Emirates, uma das melhores empresas aéreas do mundo, anunciou que, a partir de fevereiro de 2016, operará o voo mais longo do mundo, sem escalas.

A rota Dubai – Cidade do Panamá percorrerá aproximadamente 13.800Km sem nenhuma parada em 17 horas e 35 minutos. Você encararia passar quase 18h dentro de um avião?

 

O VOO MAIS LONGO DO MUNDO

Os voos serão operados em um Boeing 777-200-LR com capacidade para até 256 passageiros. O novo voo da Emirates sairá às 8h05 de Dubai e chegará à Cidade do Panama às 16h40. A volta tem horário previsto pra deixar o Panamá às 22h10 e chegar em Dubai às 22h55 do dia seguinte. Cada trecho deve custar cerca de US$2,2 mil na classe econômica.

O atual voo mais longo do mundo é entre Dallas e Sydney, com duração de 16h55, seguido pela rotaJohannesburg  Atlanta, com 16h40 de viagem.

Já houve um voo direto mais longo que o anunciado pela Emirates, mas que foi descontinuado por questões financeiras. A rota Sydney – Nova York, que já foi operada pela Singapore Airlines, levava incríveis 18h50.

E aí, você encara?

Autor: Marta
Data: 24/09/2015

Canadá oferece bolsas para pesquisa

Programa tem a duração de 3 meses e é destinado a universitários. Corra: as inscrições vão somente até o dia 24/9. Veja como participar!

 

Estão abertas até o dia 24 de setembro as inscrições ao Mitacs Globalink Research Internship, programa que oferece bolsas de estudo integrais para estudantes universitários realizarem pesquisas em universidades canadenses.

Além de brasilieros, o programa contempla também estudantes da China, França, Índia, México, Arábia Saudita, Tunísia e Vietnã. Os selecionados ficarão três meses no Canadá, a partir de maio de 2016, realizando pesquisas supervisionadas em universidades locais. Diversas áreas de estudo são aceitas, de engenharias a ciências sociais.

As bolsas de estudo incluem passagens aéreas, seguro saúde e hospedagem, além de mentoria na universidade e certificado ao término do programa.

Como se candidatar – Para concorrer às bolsas de estudo, é preciso ter ao menos 18  anos de idade e estar matriculado em um curso de graduação, tendo realizado pelo menos um semestre e com três ainda remanescentes.  Os candidatos também precisam apresentar excelência acadêmica (notas acima de 8) e ter obtido 600 ou mais pontos no Enem.

O processo de seleção inclui envio de currículo e carta de recomendação de um professor. Saiba mais no site do Mitacs Globalink e faça sua inscrição

 

Autor: Marta
Data: 16/09/2015

O que saber antes de passar na imigração no Canadá

Independente da cidade que você for chegar no Canadá, durante o vôo, os comissários de bordo te entregarão o “Declaration Card” (Carta de declaração) ­que deverá ser preenchido com atenção. Se preferir você já pode levá-lo preenchido usando esse link (pode ser preenchido um por família, desde que todos morem no mesmo endereço, e reparem que tem 4 espaços para colocar o sobrenome, nome, data de nascimento e nacionalidade de cada membro).

Como passar a imigração no Canadá

Exemplo do Declaration Card

Tenha na bagagem de mão os seguintes documentos, pois você precisará mostrar para o Oficial de Imigração:

Chegando em Toronto … passo a passo:

Se estiver voando via Air Canada, você desembarcará no Terminal 1 em Toronto onde passará imigração, do contrário, quase 100% de chance que o desembarque seja no Terminal 3. (PS: Todas as fotos desse post são baseadas no Terminal 1)

Como passar a imigração no Canadá

Corredor de desembarque

Ao desembarcar do avião, você será encaminhado ao lobby de imigração, onde você apresentará sua documentação de entrada no Canadá para um oficial do Canada Border Services Agency (CBSA)

Como passar a imigração no Canadá

Esteira rolante em direção a area de imigração

Independente de ficar em Toronto ou seguir conexão para outras cidades, você passará por esse processo inicial de imigração e pela alfândega.

Como passar a imigração no Canadá

Sempre que surge dúvida pra onde ir ao desembarcar de um avião, procure por “baggage claim” (coleta de bagagem)… que eventualmente você vai parar no lugar certo ;)

 

Como passar a imigração no Canadá

Essa escada rolante final te levará aos oficiais de imigração (nessa parte não pode usar o celular e por isso não tirei foto), entre na fila correta e tenha a documentação que falamos no início do post em mãos.

O “Declaration Card” junto com todos seus documentos serão devolvidos e nunca um oficial de imigração te pedirá dinheiro ou pagamento extra.

Algumas das perguntas que o oficial de imigração pode fazer: 

– O que está vindo fazer no Canadá? (Turismo, estudo, visitar familiares…)

– Quanto tempo irá ficar no Canadá? 

– Está trazendo mais de C$10,000 em espécie ou qualquer produto acima da cota pré-estabelecida? (Está tudo explicadinho no sidebar do documento do declaration card, Part B)

– Está trazendo alcool ou tabaco? Quanto?

– Está trazendo presentes para alguém que mora no Canadá? O que? 

– Está trazendo produtos alimentícios não embalados? 

Guarde todos os documentos e deixe a mão somente o “declaration card”. Siga para pegar sua bagagem (no terminal 1 da Air canada, você tem que descer a escada rolante).

Como passar a imigração no Canadá

Siga para o carrossel da sua bagagem

Com as malas nas mãos, dirija­-se para saída, entregue o “Declaration Card” para o oficial da alfandega e siga em frente. REPARE NA FOTO ABAIXO:

Como passar a imigração no Canadá

Para quem vai ficar em Toronto, siga reto e “Welcome to Toronto”… Para quem for fazer conexão, vire a esquerda e siga as indicações de “connections“.

Saindo para o portão de desembarque em Toronto …

Saindo para o saguão de desembarque do aeroporto de Toronto, eu só posso dizer uma coisa pra você : WELCOME TO TORONTO!

Mirella no Canadá

Eu de cara lavada e sonolenta, mas feliz por estar em Toronto

Autor: Connection Line
Data: 02/09/2015

Formatura de Beatriz Ferreira

ESTUDANTE: Beatriz Ferreira
PROGRAMA: 01 ano de High School nos Estados Unidos
 
Sabe 'High School Musical - Ano da Formatura'? Foi tipo isso, só que melhor: foi real!
Foram exatos dez meses de muito aprendizado em Decatur, vila localizada no interior de Michigan, casa da Beatriz Ferreira durante o seu intercâmbio nos Estados Unidos. "Fechei a viagem um ano e meio antes da data de embarque. Minha mãe me incentivou desde o começo, mas meu pai foi mais difícil de convencer. Depois de muita insistência, e de mostrar para o meus pais diversos estudos comprovando que pessoas mais novas aprendem outros idiomas com mais facilidade (risos), arrumei minha mala e parti em busca do meu sonho", conta Bia, que ganhou a viagem como presente de 15 anos.
 
 
A paulistana ficou hospedada em uma casa de família e precisou se adaptar à rotina da hostfamily. "Eu entrava no colégio às 7h50. As aulas iam até às 15h10 e depois eu ia direto para o meu treino de vôlei. Isso foi no primeiro semestre. No segundo, comecei a fazer atletismo e um curso de design gráfico. Ah! E toda a quarta à noite eu ia para a igreja", conta a intercambista, que voltou dos EUA em junho.
 
No primeiro dia de aula, Bia estava uma pilha de nervos! "Era pânico misturado com cansaço, pois não tinha conseguido dormir direito por conta da ansiedade", lembra. No fim, deu tudo certo! Quer dizer, quase tudo. "Aqueles lockers, os famosos armários das escolas norte-americanas, me tiravam do sério! Eles eram difíceis de abrir e o intervalo entre as aulas eram curtíssimos! Não tinha paciência", brinca Beatriz, que conta ainda que o High School era dividido em grupinhos, exatamente como vemos nos filmes: "tinha a turma das meninas e dos meninos dos times titulares da escola, o pessoal da banda, que eram os mais geeks, a galera que curtia country (tipo a turma do sertanejo, no Brasil), os roqueiros e os mexicanos. Nossa, tem muito mexicano em Michigan, mesmo o estado sendo longe da fronteira. Mas foi bom, porque consegui praticar meu espanhol também".
 
Beatriz garante que o prom (baile de formatura) é como nos cinemas e até rola aquela típica cena dos formandos jogando o capelo (chapéu de formatura) para o alto na graduação. "Tivemos três festas no senior year (último ano do colegial), mas a última foi a melhor de todas: o tão esperado baile de formatura! Foi 'A' festa! Antes dela, rolou a colação de grau. Cena de filme! Foi muito legal e emocionante!".
 
 
."Comprei meu vestido de formatura em Kalamazoo, uma cidade que fica a trinta minutos de Decatur. Fui com a minha irmã de coração e tirei o dia só para isso! Acabei encontrando esse vestido branco na loja Macy's. Era o único que tinha e serviu direitinho em mim. Muita sorte!", lembra
 
O intercâmbio foi decisivo para o amadurecimento da Beatriz, que garante que mudou em todos os sentidos depois de cursar o terceirão nos Estados Unidos. Aliás, para que ela pudesse validar suas notas no Brasil, precisou cursar cinco matérias obrigatórias: matemática, inglês, uma matéria relacionada a ciências, uma na áera das ciências sociais e um esporte. "Aprendi a ter minha própria opinião, a me virar sozinha e a não depender 100% dos meus pais. Com a viagem, eu também perdi a enorme timidez que tinha, descobri inúmeras culturas, fiz vários amigos e percebi que o mundo não gira em torno do meu umbigo".
 
A amizade foi o ponto alto da experiência de High School, apesar de a galera do terceirão da Decatur High School, escola onde estudou, ser bem mais fechada do que a turma da escola em que estudava no Brasil. "Aqui, somos mais unidos. A melhor pessoa que conheci por lá foi a Mônica, uma menina da Guatemala que se transformou em minha melhor amiga. Ela me ajudava muito com o espanhol e eu a ajudava com o português. (risos) Ela é um amor e até hoje conversamos pelo Facebook", conta.
 
 
Bia afirma que a experiência de cursar o tão famoso e cobiçado Senior Year nos Estados Unidos é indescritível! E para quem está planejando o seu intercâmbio, mesmo que, por enquanto, apenas em sonho, a estudante dá cinco dicas:
#1: não vá pensando apenas em meninos, festas e popularidade. Cursar o High School nos EUA é realmente coisa de cinema, mas os filmes sempre aumentam um pouquinho, né? 
#2: tenha a mente aberta e muita paciência. Os primeiros dias de adaptação são difícieis e você vai sentir saudades dos seus pais e da galera do Brasil. Calma, quando você menos perceber, já vai estar querendo prorrogar seu intertcâmbio.
#3: coma tudo que sentir vontade e não ligue para os quilinhos extras que você pode ganhar. Quando voltar, você perde!
#4: não gaste todo o seu dinheiro em coisas materiais. É claro que uma coisinha ou outra você vai comprar, mas priorize as lembranças sentimentais e as fotos. Tire muitas!
#5: aproveite cada segundo! Vai ser a melhor experiência da sua vida, com toda certeza. Faça seu sonho virar realidade! ;)
Autor: Beatriz Ferreira
Data: 28/07/2015

A terapia da viagem

Tem dias na vida que você quer sumir, mas parece que entrar num avião já resolve.

Quem nunca teve o coração partido e resolveu fazer uma viagem para ver se curava? Uma amiga se decepcionou com um namorado, pegou um avião para a Nova Zelândia e nunca mais se ouviu falar no nome do sujeito que partiu seu coração. Aliás, voltou meses depois com um novo amor, argentino.

Às vezes a viagem tem mesmo esse poder de deixar no passado o que já é passado. Uma espécie de detox, um divisor de águas para começar uma nova etapa da vida.

Outra amiga, cansada do emprego infeliz que tinha há anos, pediu demissão, ligou para a Tam e perguntou: “O que você tem aí com essa quantidade de milhas para a Europa nos próximos dias?”. E assim, dois dias depois, embarcava para Roma sozinha com a intenção de viver o dolce far niente e então decidir o que faria a partir daí com a  nova vida em suas mãos.

Eu já fiz o contrário. Pedi demissão de um emprego que detestava depois de uma viagem de oito dias no Caribe onde fiquei apenas deitada numa cadeira olhando para o mar azul e bebendo margaritas. “O que eu estou fazendo da minha vida” – me perguntava. Não tinha a resposta, mas sabia que estava tudo errado. Voltei e joguei o emprego para o alto depois da coragem que veio do México até aqui dentro da minha mala.

Não é que a viagem resolve o problema. Mas ajuda a ver as coisas sob outra perspectiva, esfria a cabeça e preenche o coração. Qual o problema de fugir de vez em quando se isso vai ajudar você a pensar melhor?

A viagem ajuda os solitários a conhecerem pessoas novas, famílias a se reconectarem, amigos a fortalecerem a amizade e casais a descobrirem de verdade se querem ficar juntos ou não.

E ainda existe a possibilidade de ser outra pessoa em qualquer lugar do mundo – um aventureiro no Himalaia, um cara mais culto na França ou um cara mais moderno em Berlim – você escolhe quem quer ser, se redescobre, se reinventa.

A ideia não é viajar para resolver um problema que, sabe-se bem, estará te aguardando na volta. Mas fazer a jornada pelo prazer da busca, pela possibilidade de expandir a mente e encontrar respostas mais simples para as aflições da vida.

De todas as razões para viajar, certamente esta é a minha preferida – enxergar a vida de uma maneira mais fácil diante da grandeza do mundo.

#terapia #viajar #viagem

Texto retirado do blog: http://viagem.estadao.com.br/blogs/amanda-viaja/

Autor: Connection Line
Data: 14/07/2015

Agora brasileiros podem entrar em mais de 60 países sem visto

O site de viagens Mundi fez um levantamento dos países que os brasileiros não precisam de visto. O Brasil e a Geórgia realizaram no último dia 11 de março um acordo bilateral para liberar a entrada de turistas de ambos os países sem a necessidade do visto, permissão legal de entrada em qualquer local estrangeiro. “Porém, fica as suas burocracias referente a permanência do turista. Isso varia de país para país. Agora sem burocracia ( exceto:nos países do Mercosul, onde os brasileiros podem entrar somente com a carteira de identidade).

A não exigência de visto também não significa burocracia zero. Alguns países podem exigir a apresentação de certas garantias, como confirmação de hospedagem, passagem de volta e comprovante de que possui dinheiro suficiente para se sustentar no país durante a permanência.
Lembre-se também de que a não exigência de visto é válida para viajantes com previsão de estada temporária (geralmente, o prazo para permanência sem visto é de três meses, mas isso varia de país a país). Entradas para estudo, trabalho ou residência definitiva exigem vistos específicos.
Os viajantes de plantão podem embarcar sem medo nos 66 países logo abaixo, mas sempre se precavendo com suas exigências. Segundo o Itamaraty:

Fonte: www.guiameds.com.br

 

Autor: Connection Line
Data: 01/04/2015

5 aplicativos que todo viajante tem que ter no celular

Com o advento dos aplicativos, tudo ficou ainda mais fácil. Cada dia surgem novos apps que tem realmente transformado as viagens em experiências bem diferentes. O difícil mesmo é separar o trigo do joio e encontrar, em meio a tantas opções, apps que realmente são práticos e eficientes, e que realmente terão uma utilidade. Por isso, demos uma ajudinha, e hoje trouxemos uma lista com 10 apps para você usar na sua próxima viagem. Confira:

1- Trip Advisor

Uma das maiores ferramentas da rede, o aplicativo reúne dicas, roteiros, hotéis, restaurantes e passeios, além de avaliações de pessoas que já estiveram no local, podendo ser em qualquer lugar do mundo. O usuário tem a possibilidade de classificar as informações e também dar sua opinião em cada página escolhida por ele. O app também auxilia na hora de elaborar uma lista de férias e destinos, e indica atividades para se fazer por lá. Gratuito e disponível para iOS e Android.

2- Suitcases

Fácil de usar, é o app ideal para os viajantes que exploram a natureza e não podem esquecer de levar alguns itens essenciais na mala. É possível reunir em uma lista tudo o que é necessário na mala, de acordo com viagens para acampamentos, negócios ou praia. Os itens são muitos, para que o usuário não se esqueça de nada. Disponível apenas para iOS e atualmente custa US$ 0,99.

3- MetrO

Um bom aplicativo para aqueles que amam explorar as cidades a pé, de uma maneira rápida e de baixo custo. Pelo MetrO é possível encontrar o mais barato e eficiente caminho a ser feito com transporte público, incluindo metrôs, trens e ônibus, em mais de 400 cidades ao redor do mundo. O app permite que o usuário faça download e salve os mapas da cidade no celular, para então facilitar a escolha de rotas quando não há sinal de internet. Compatível com Blackberry e iPhone, possui um ótimo ranking na Apple Store e é gratuito.

4- Flight+

Quem nunca passou pela situação de chegar no aeroporto e descobrir que o vôo estava atrasado? Poxa! Você bem que poderia ter almoçado com mais calma ou ter descansado no hotel antes de fazer o check out… Da próxima vez, fique atento: com o Flight +, você recebe atualizações sobre atrasos de vôos em mais de 16000 aeroportos no mundo.

5- EatWith

Claro que viajar e conhecer os melhores restaurantes é muito bom sempre, mas imagina ter uma experiência gastronômica na casa de nativos? Baixe agora mesmo o EatWith para ir jantar uma comida típica na casa de alguém em mais de 30 países. Os preços variam entre R$ 60 e R$ 300.

Autor: Connection Line
Data: 11/03/2015

6 lições para entender que você não precisa ser rico para viajar

Uma amiga chegou esses dias com uma ótima notícia: ela e o marido irão passar 7 meses na Alemanha, sendo que essa é a primeira vez que ela faz uma viagem internacional. Por ser uma professora do pré primário, o marido um estudante de doutorado e por terem comprado um apartamento em São Paulo há menos de um ano, muitos se espantam quando ela conta essa novidade. Afinal, como ela conseguiu dinheiro para viajar?

Na verdade essa notícia não me surpreendeu. A Luíza sempre foi organizada com seu dinheiro e muitas vezes atuou como minha consultora de economias. Para mim, ela é só mais uma prova de que você não precisa ser rico para viajar. Você precisa ter algum dinheiro, claro. Mas principalmente fazer alguns ajustes nos seus hábitos de vida e entender algumas coisas. Vou explicar melhor:

1. Viajar não precisa ser luxuoso. Muita gente ainda tem aquela concepção de que viajar é ficar num super hotel na Europa ou Nova York, pegar um voo na melhor companhia aérea, comprar um pacote que inclui todos os passeios dos guias de viagem e jantar nos melhores restaurantes da cidade. Esquece isso. Quem tem pouco dinheiro pra fazer uma viagem, passa um tempão pesquisando na internet os voos e hotéis mais baratos, não se limita a países onde se gasta em dólar ou euro e sabe que os melhores momentos da viagem não são aqueles comprados no pacotão, mas os que acontecem de surpresa.

2. Economizar significa mudar o seu estilo de vida. Sabe aquele happy hour que você faz toda semana? E quanto você gasta com o seu carro? A diarista que você paga? É necessário ir ao salão de beleza com tanta frequência? Economizar é rever os seus gastos e dispensar o que é dispensável. Não se esqueça do que dizem por aí: “Viajar é a única coisa que você compra que te deixa mais rico”.

3. Viajar é prioridade. Quem quer viajar de verdade mas não tem muito dinheiro, sabe que com um iPhone 6 dá pra comprar uma passagem internacional pra qualquer lugar do mundo.Você prefere ter o celular ou viajar? São escolhas que precisam ser definidas quando não dá pra ter os dois. E quando viajar é definido como prioridade, é fácil dispensar até as coisas mais baratas. Meu namorado me perguntou por quê não faço um upgrade no meu plano de TV a cabo por “apenas R$30 a mais por mês”. A resposta é simples: porque eu não preciso. Isso não é prioridade.

4. Quem quer viajar, se vira pra economizar e ter dinheiro. Começa a ir pro trabalho de ônibus, faz as unhas em casa e até trabalha mais pra ter um dinheiro extra. Eu vivo fazendo uns trabalhos de traduções além do meu emprego regular. E a minha amiga passou um tempão dobrando os horários dela na escola para aumentar seu salário. E isso não tem nada a ver com ser pão duro (talvez um pouco). Eu prefiro chamar de “buscar a realização de um sonho”.

5. Se organizar para viajar. Houve uma época em que eu não tinha coragem de olhar a fatura do meu cartão. Até que percebi que, se quisesse ter dinheiro para viajar, precisaria controlar o que estava gastando e me organizar. Então comecei a fazer planilhas, checar meu extrato bancário com frequência, baixei aplicativos de controle de gastos e defini exatamente o quanto eu tenho que guardar mensalmente.

E o que você precisa entender para não desanimar é que…

6. Ter dinheiro para viajar não acontece da noite pro dia. Tem que trabalhar muito, economizar muito, talvez até trocar de emprego para ter uma promoção, se organizar e ter foco. É por isso que muita gente desiste de viajar no meio do caminho e acaba comprando o iPhone parcelado em dez vezes (só se esquecem que viajar deixa as pessoas mais felizes do que bens materiais…).

Não vou negar que é mais fácil ficar em casa reclamando da economia do país, do seu chefe que não te dá aumento, que o dólar está caro e que viajar é coisa pra gente rica. Mas adivinha? Nada disso vai te ajudar a fazer a viagem que você deseja. E querer viajar é importante, mas se você não se organizar pra fazer acontecer, nunca vai entender porque uma viagem é mais valiosa do que tudo o que você economizou até hoje.

 

Fonte: www.behappynow.com.br

Autor: Connectione Line
Data: 19/02/2015

Café da manhã em todo o mundo

Quando viajamos para outro país, uma das principais preocupações é: “como é a comida?”. Uma das perguntas mais comuns dos nossos novos alunos: “O que eu posso esperar para o café da manhã?

Se você está prestes a fazer um intercâmbio para estudar inglês com a Kaplan e gostaria de saber o que é costume em seu destino, descubra aqui mais sobre: Café da manhã em todo o mundo

Reino Unido

Dia-a-dia, as pessoas no Reino Unido normalmente comem cereais e torradas pela manhã. Claro, eles também são famosos pelo chá inglês.

Algumas pessoas optam pelo”Full English Breakfast” Café da manhã inglês completo, que é composto de ovos, feijão, bacon, salsichas, batatas fritas e legumes como cogumelos e tomates grelhados.

Na Escócia, o café da manhã também inclui haggis. Haggis é uma salsicha tradicional escocesa feita de estômago de carneiro recheado com fígado, aveia, cebola e temperos.

EUA

Muito parecido com o Reino Unido, as famílias americanas terão torradas e cereais durante a semana, com bagels tostados em lugares como Nova York. Para ocasiões mais especiais e nos fins de semana, há muito o que escolher. Panquecas são muito populares nos Estados Unidos e são servidas com maple syrup (Xarope de ácer ou xarope de bordo, proporciona um gosto adocicado característico), e talvez bacon ou salsichas ao lado.

O suco de laranja é a bebida mais popular para ter na hora do café da manhã. As pessoas também acham difícil começar o dia sem uma xícara de café!

No sul dos EUA, grãos são um café da manhãq diário e popular. Milho moído, semelhante à farinha de aveia ou polenta.

Canadá

No Canadá são os ovos cozidos, fritos salsichas de porco ou bacon, frito ou batatas fritas, pão torrado, panquecas e cereais, ou mingau de aveia quente. Eles são muito semelhantes aos cafés da manhã nos EUA. O maple syrup é popular no Canadá, então você provavelmente o terá como opção em seu café da manhã.

Austrália

Na Austrália, eles também têm cereais, aveia (também chamado de mingau) e torradas durante a semana. Vegemite é um condimento composto de extratos de vegetais, é um dos favoritos na Austrália. No entanto, algumas pessoas acham que é bastante forte. Se você não tiver certeza, prove um pouco antes!

Suco de laranja é bastante comum no café da manhã, frutas e legumes são normalmente incluídos em cada refeição australiana. Pão de banana também é muito popular em Sydney.

Nova Zelândia

O Café da manhã na Nova Zelândia é muito semelhante ao australiano. Nos fins de semana ou em um restaurante, você pode encontrar outras refeições, como ovos Benedict, às vezes com bacon, salmão ou espinafre. Você também pode encontrar feijão na torradas, panquecas, iogurte e smoothies.

Você já tomou café em outros lugares do mundo?

 

Autor: Connection Line
Data: 09/02/2015

Diferenças culturais nos Estados Unidos, o que fica?

As experiências de intercâmbio, sem dúvida, são inesquecíveis. São novas descobertas todos os dias, que podem ser levadas sempre como um novo aprendizado. Estando em um outro país, é preciso criar uma compreensão cultural da nova realidade e adaptar-se da melhor maneira possível. Esse artigo ” Diferenças culturais nos Estados Unidos, o que fica? ” foi preparado especialmente para você que procura por uma imersão no inglês num dos destinos mais procurados.

Comportamento 

Os americanos gostam de focar em objetivos, estão sempre fazendo alguma coisa e isso se reflete no dia a dia das cidades – algumas mais agitadas, outras menos, mas sempre em movimento. São pessoas amigáveis, mas tendem a se relacionar de maneira mais cautelosa do que em outras culturas. O tempo é precioso. Não gostam de esperar, nem de atrasos. Pontualidade é sinônimo de respeito, seja no trabalho ou num compromisso com os amigos.

Para sair de casa com tranquilidade e com a roupa adequada, o costume é checar a temperatura nos canais do tempo ou em aplicativos no celular. O dia, as atividades, passam a ser programadas a partir das condições do tempo. Não estranhe se uma conversa iniciar pelo clima.

Lazer

Nos Estados Unidos a prática de esportes é muito presente no cotidiano das pessoas, principalmente dos jovens, que são incentivados desde cedo a prática de alguma modalidade, visando as famosas bolsas de estudos nas melhores universidades, destinadas aos esportistas. O esporte nacional é o beisebol, reunindo família e amigos em uma partida. Mas também são fãs do futebol americano – considerado o mais popular, hóquei no gelo e basquete.

 

Culinária

A alimentação é uma das grandes diferenças do país. Apesar de se encontrar de encontrar um pouco de tudo pelas ruas, os hábitos são bem diferentes. O café da manhã típico se faz com os tradicionais ovos batidos, bacon, panquecas, cereais e pão com pasta de amendoim. Já para o almoço, preferem um simples lanche pela rapidez e praticidade. A janta, por sua vez, pode ser considerada a refeição mais importante do dia, com um pouco mais de tranquilidade. Mas, lembre-se: nos Estados Unidos o que mais atrai são as famosas redes de fast-foods. Por isso, cuide da alimentação e procure balancear. Se sobrar um pouco, das porções bem servidas nos restaurantes, é bem comum levar para a casa.

Além de tudo isso, os Estados Unidos tem uma porção de lugares inesquecíveis que só eles sabem como fazer, as festas, as comemorações, e muito mais para sua experiência ser incrível. Conheça as escolas Kaplan nos Estados Unidos e vivencie tudo isso com segurança e qualidade, com muitas histórias boas para contar!

Autor: Connection Line
Data: 09/02/2015

Atrações baratas, ou gratuitas, para visitar em Dublin

Dublin Castle

Com passeios guiados ou livres, esse é um dos pontos mais conhecidos e importantes da cidade. Por 700 anos, desde sua construção, no século 13, o Dublin Castle serviu de fortaleza, prisão, casa do tesouro e da justiça e sede da administração inglesa para os ingleses. Foi ao ser redor que Dublin (chamada Dubh Linn) nasceu e se desenvolveu e o prédio que hoje abriga somente uma torre original, de 1226, é onde acontecem as recepções oficiais do país. A entrada custa atualmente €4.50 para adultos e €3.50 para estudantes! 

Kilmainham Gaol

Prisão mais importante da Irlanda, construída em 1796, ela serviu de cenário para execuções, torturas, prisões de rebeldes e o enclausuramento de figuras notórias. É uma maneira inusitada (e um tanto sangrenta) de conhecer a história de Dublin. As visitas pela cadeia são sempre guiadas e o valor de entrada é mínimo comparado à aula de história que ela proporciona. Atualmente a entrada para adultos é de €6.00 e estudantes pagam €2.

The National Museum of Ireland – Natural History

Popularmente conhecido como Dead Zoo, o museu de História Natural é um dos mais legais de Dublin, pois há uma enorme variedade de bichos empalhados e esqueletos que demonstram, em especial, a fauna irlandesa. E se liga, nesse a entrada é gratuita.

St. Patricks Cathedral

A St. Patrick s Cathedral é a mais jovem das duas catedrais de Dublin. Ela foi construída apenas em 1191, enquanto a Christ Church Cathedral data de 1028. Trata-se da maior igreja da Irlanda, ela encontra-se no epicentro da história de Dublin e da Irlanda há mais de 800 anos. Atualmente a entrada é de €5,50.

National Botanic Gardens

O National Botanic Gardens é lindo. Oferece uma variedade enorme de plantas, flores e árvores que enchem os olhos. O espaço é calmo, tranqüilo e um passeio por ele é inesquecível, além de tudo o espaço é muito bem mantido e organizado apoiando iniciativas de preservação, educação e pesquisa. Mais um passeio com entrada gratuita por Dublin.

Casino Marino

O Casino Marino (que significa algo como Casinha de Marino) fica afastado do centro de Dublin e permite um passeio diferente. O prédio é um belíssimo exemplar de construção neo-clássica que carrega inúmeras curiosidades e segredos arquitetônicos. Primeiro que todo o trabalho foi criação de um arquiteto que nunca pisou na Irlanda e se você acha que ele é pequeno vai ficar espantado ao descobrir que seus 3 andares (sim, três andares) contém na verdade 16 cômodos! A entrada custa €3 para adultos e €1 para estudantes.

Phoenix Park

O Phoenix Park possui 702 hectares e é o maior parque fechado da Europa. Localizado a 3 km do centro de Dublin, próximo à Fábrica da Guinness, o Phoenix Park é o lugar ideal para um passeio demorado. Você vai poder admirar os belos jardins, os monumentos, e se estiver com tempo, pode até fazer um piquenique em um dos gramados rodeados de árvores.

No interior do parque, o turista também terá acesso ao Zoológico de Dublin, um dos zoos mais antigos do mundo, com 28 hectares. O zoológico abriga cerca de 400 animais, divididos em diversas áreas ambientadas, como as “Planícies Africanas”, “Margens do ártico”, “Mundo dos Primatas” e “Fazenda urbana”, para os animais típicos de fazenda. O zoológico é um atrativo a mais para quem for visitar o Phoenix Park. A entrada para o parque é gratuita, já para o zoo ela custa €15,50.

Autor: Connection Line
Data: 27/01/2015

Quando ir para a Europa? E por quê?

Clima, custos… são tantos detalhes! Afinal, qual é a melhor época do ano para desembarcar na Irlanda ou em qualquer outro lugar da Europa? Em primeiro lugar, devemos conhecer um pouco do clima do país.

O clima da Irlanda, por exemplo, é estável e muito diferente do Brasil, pois venta e chove na maior parte do tempo. Devido à grande quantidade de chuvas durante o ano, é possível observar vegetação verdinha por todo o território. Nos primeiros meses do ano, a temperatura costuma atingir entre 3º C e 5º C. A variação de aproximadamente 15º C ocorre apenas no meio do ano, entre os meses de maio e junho. Portanto, se não gosta de frio, evite desembarcar na Ilha Esmeralda em janeiro! As melhores épocas para desembarcar na Europa são durante a primavera e o verão, pois esses são os períodos em que os termômetros costumam se assemelhar ao que estamos acostumados. Abril, maio, junho e setembro são boas pedidas.

Já em relação aos custos de passagem, evite a alta temporada. Você pode economizar até R$ 1000 se comprá-la em meses como setembro ou outubro. Os meses de dezembro, janeiro e julho são os que mais caros, podendo ultrapassar R$ 3200 nas mais econômicas.

Quando é a alta temporada europeia? Junho a Agosto

Em meados de junho começam as férias escolares na Europa e, consequentemente, os europeus costumam cair na estrada para aproveitar as temperaturas mais amenas que se aproximam juntamente com o verão. Todo esse movimento, assim como no Brasil, significa que é hora de a rede hoteleira, as companhias aéreas e todo o mercado de turismo ganhar dinheiro, logo, os valores sobem bastante. Se tem a possibilidade de viajar em outras épocas do ano, faça isso.

Os pontos positivos para cair na estrada nesse período não são mistério. O clima é o principal deles. Sem falar que nesse período acontecem muitos festivais. A programação em toda a Europa é intensa e os dias são mais longos, portanto, aproveita-se muito mais.

Como nem tudo são flores, devemos avisar que existem também aspectos negativos. Um deles é o fato de tudo ficar lotado. As melhores atrações serão sempre repletas de filas e você precisará de um pouco mais de paciência para curtir as férias dos seus sonhos. Além de muita gente, tem ainda os altos custos. Sim, porque nessa época do ano tudo custa mais caro que o normal.

Quando começa a baixa temporada?

Começa em novembro e dura até abril.

O maior desejo de quem se aventura a vir do Brasil para a Europa em baixa temporada, além de economizar, é curtir o lindo período natalino, aproveitando tudo o que se tem direito, incluindo neve em alguns países. Os preços são bem mais bacanas e você dificilmente encontrará locais cheios, afinal, com o friozinho chegando o povo começa a hibernar.

Lado positivo: Preços baixos; Abertura da temporada dos esportes de inverno; Locais ficam muito mais simpáticos com os estrangeiros, já que não há muita correria como no período do verão.

Lado negativo: Frio, frio e frio! (Não dá para fugir dele); Os dias são, geralmente, mais curtos. Muitas vezes, por exemplo, às 16h já está tudo escuro;

Em suma: vale se programar pontuando exatamente seus interesses, pois a programação será a garantia de que você estará indo na época certa e poderá aproveitar ao máximo o destino escolhido!

Autor: Connection Line
Data: 27/01/2015

Os 10 melhores países para viajar em 2015

O Lonely Planet (colocar hiperlink - http://www.lonelyplanet.com/best-in-travel/countries) criou uma lista bastante interessante que nos lembra que o mundo não é só “Paris – Nova York”. O mundo é enorme e podemos ousar quando o quesito é destino. Confira a lista e se joga nesse mundão! :)

  1. Singapura. O país está comemorando o seu Jubileu de Ouro ou 50 anos de independência. Ou seja, é um ano de festa no país. Além das atrações que já possui, como hotéis modernos e um cenário fashion e de restaurantes em expansão, novos desenvolvimentos são esperados, como as melhorias de seu já premiado aeroporto de Changi.

  2. Namíbia. As areias da Namíbia ficam prateadas esse ano pela comemoração dos 25 anos de sua independência. O país tem feito progressos inovadores de desenvolvimento sustentável no continente africano, como incluir a proteção de seu habitat na constituição.

  3. Lituânia. Em 2015, a Lituânia se tornará parte da zona do euro. Além disso, possui belíssimas praias como a Curlândia, que é apoiada pelo maior movimento de dunas da Europa; e também a cidade barroca de Vilnius, que entrou na lista de Patrimônio da Humanidade.

  4.  Nicarágua. Apesar de ser um país com festas folclóricas, belezas naturais e aparência colonial, a Nicarágua está chamando a atenção como um destino de ecoturismo de luxo. Ela ganhou seu primeiro resort 5 estrelas e bons restaurantes que vêm tornando a capital Manágua em um capital gastronômica.

  5. Irlanda. Esqueça Dublin. A Irlanda está na lista pela Wild Atlantic Way, a estrada de 2500 quilômetros pela costa do litoral ocidental, de Donegal a Cork.

  6. República do Congo. Não confundir com a República Democrática do Congo. O Congo está a beira de uma nova era: tem óleo, madeira, uma infraestrutura em expansão e, depois de anos turbulentos, é segura e estável. O governo congolês começou a reabilitar parques nacionais antigos e melhorar a infraestrutura turística. Para quem gosta de natureza, é uma prato cheio.

  7. Sérvia. A melhor notícia: é barato. Mas seja rápido pois o festival Exit, que acontece todo mês de julho, foi considerado o melhor festival da Europa. Além disso, Belgrado está prestes a ser considerada tão cool quanto Berlim e Ibiza. E o ski e rafting que acontecem lá são mais baratos do que no resto da Europa e por isso vem atraindo muitos turistas que curtem esse tipo de esporte.

  8. Filipinas. Além de suas 7100 ilhas de águas cristalinas (quer motivo melhor para conhecer?), em 2015 o governo fará algumas festas para elevar a moral do arquipélago: desfiles de rua, festivais de gastronomia, torneios esportivos e música ao vivo.

  9.  Santa Lúcia. Provavelmente você não sabe nem onde fica, mas é ali no Caribe, pertinho de Barbados e da Venezuela. E tem tudo aquilo que achamos bom: montanhas para fazer trekking, florestas para fazer hiking, areia dourada para descansar, praia cristalina para mergulhar e ainda um vulcão. Para melhorar, é cheia de tartarugas e golfinhos que você pode ver de perto.

  10.  Marrocos. Em 2015, além dos vales, montanhas e praias próximas à Europa; os visitantes de Marrocos poderão visitar a cidade de Fez com mais estilo e sofisticação, uma vez que a cidade terá grandes estreias de qualidade e glamour em 2015.


 

Fonte: http://viagem.estadao.com.br/blogs/amanda-viaja

 

 

Autor: Connection Line
Data: 23/12/2014

Dezembro em Paris

Dezembro em Paris … nossa, até parece nome de filme, não é? Bem, é quase isso, pois estar em Paris nesta época mágica é realmente como estar participando de um lindo filme, onde quase tudo parece perfeito, a paisagem, o clima, as lojas enfeitadas, os monumentos iluminados, as pessoas ao nosso redor falando os mais diferentes idiomas, enfim, tudo encanta. Em Paris no Final de Ano além dos passeios normais, tem feirinhas de rua, que são montadas em diversos pontos da cidade, chamadas de “Marche de Noel”, tem uma bem grande na avenue des Champs Élysées  e outra na Esplanada de Lá Defense – são graciosas barraquinhas brancas de madeira onde se compra de tudo, comidas, roupas e objetos de todas as regiões da França, até vinho quente tem! É uma verdadeira festa regional.

No dia 31 de dezembro, contrariando a outros anos, não teremos espetáculo de fogos de artifícios na Torre Eiffel,  em contrapartida nesta noite, turistas e locais se reúnem na avenue des Champs Élysées, que já está toda enfeitada – para dar boas vindas ao novo ano, todos na maior alegria se confraternizam brindando com Champagne! Realmente uma experiência única. No mês do Papai Noel a cidade oferece uma programação cultural incrível, com apresentações de balé, óperas e espetáculos em geral. A escolha é sua. Veja algumas sugestões :
Ballet La Source de Jean-Guillaume Bart / Opéra Garnier
De 29 de novembro até 30 dezembro 2014
Ballet Nouvel An à L’Opéra Bastille – Casse-Noisette de Rudolf Noureev
Somente no dia 31 dezembro
Ballet Nouvel An au Palais Garnier – La Source de Jean-Guillaume Bart
Somente no dia 31 de dezembro
Opéra La Bohème de Puccini / Opéra Bastille
De 30 novembro até 30 dezembro 2014
Concerto Sinfônico: Beethoven por Philipe Jordan / Opéra Bastille
Somente no dia 14 de dezembro.

Autor: Connection Line
Data: 13/12/2014

Brasil - País Maravilhoso!

No vídeo do pessoal da Uncage the Soul Productions é possível sobrevoar São Paulo; pegar um sol no Pão de Açúcar, no Rio de Janeiro, mergulhar os dedos dos pés na areia quente de Natal, explorar a arquitetura de Brasília, observar, em uma montanha de Chapada Diamantina, a Via Láctea em seu caminho, e ouvir as ondas na praia de Bonete, em Ilhabela (SP). Vamos assistir porque é sempre bom lembrar de como nosso país é maravilhoso!

 

Autor: Connection Line
Data: 08/12/2014

O melhor da viagem é esperar por ela?

Recentemente o jornal americano The New York Times publicou um estudo que indica que toda preparação que envolve a viagem adiciona uma "felicidade extra" à ela. 

O estudo citado no artigo aponta que a fase de planejamento e pesquisa pode trazer até mais felicidade que a prórpia viagem. O argumento é que, além de aprender sobre o lugar, pesquisar ajuda a construir o seu sonho com empolgação e expectativas positivas. 

E você? Curte essa fase de planejar ou acha que ela só gera ansiedade? Confira aqui na íntegra o artigo com o mais detalhes sobre o estudo. 

#morarnoexterior #planejar #viajar #viageCL

Autor: Camilla Conde
Data: 24/11/2014

Paris - Torre Eifel

Para quem estava em dúvida sobre viajar a Paris, eis que surge uma novidade no ponto turístico mais romântico da capital da França! Depois de 30 anos sem sofrer alterações, a Torre Eiffel, ganhou no dia (06/10) um novo piso, todo feito de vidro transparente. Fica a 57 metros de altura, no primeiro andar do monumento.

De acordo com o site oficial da atração, a intenção desta renovação é passar ao turista a sensação de estar andando sobre a estrutura de ferro do monumento.
Confira as imagens divulgadas no site:
 
Mulher deita para foto no novo piso transparente da Torre Eiffel (Foto: Francois Mori/AP)
Funcionário limpa o novo piso (Foto: Lionel Bonaventure/AFP)
O arquiteto Alain Moatti mostra o novo piso ao lado da prefeita de Paris Anne Hidalgo; transparência permite ver pessoas na rua, 57 metros abaixo (Foto: Lionel Bonaventure/AFP)
 
 
Autor: Connection
Data: 10/10/2014

Por que visitar Londres no Outono

Muita gente acha que a melhor época para visitar Londres é o verão, onde pode-se aproveitar os dias mais longos, o sol na Europa, o verde das árvores. Mas será  mesmo? Nesse post listei algumas razões para tentar convencer vocês de que visitar Londres no Outono também é uma ótima opção. 

1 - As manhãs são douradas. Nessa época do ano, as cores vivas do verão são substituídas por cores mais quentes. Os dias amanhecem mais alaranjados, fazendo qualquer paisagem com cara de quadro do Monet. 
 
Tamisa visto de Blackfriars Bridge
Tamisa e as Casas do Parlamento - Monet
 
2 - A famosa fog, neblina Londrina, está de volta. Muita gente tem o sonho de conhecer Londres do jeito que a gente vê nas fotos, nos filmes, a paisagem coberta de neblina. Pra quem quer ver dias típicos londrinos o Outono é a época ideal pois da pra curtir a fog sem o frio intenso do inverno. 
 
 
3 - As folhas do Outono. As ruas e os parques ficam lindos, a grama verde vai cedendo espaço para as folhas alaranjadas que vão caindo e adornando o chão.
  
Green Park no Outono
 
4 - Pra quem está planejando fazer uma viagem romântica essa época é ideal! Além das paisagens serem lindas, o clima frio é super propício para os casais que querem ficar abraçadinhos e passar a noite dormindo de conchinha. 
 
Casal em Greenwich
 
5 - Usar roupas de frio. Quem vem do Brasil quer mais é aproveitar a viagem a Europa para usar aquelas roupas de frio que ficam escondidas no armário. Botas, jaquetas, meias, cachecóis e tudo o mais que tiver direito e vontade. Essa é a melhor estacão para abusar das camadas e dar uma de fashion! Até porque no inverno a gente pouco se preocupa com o look, a gente quer mais é se proteger do frio.
 
 
6 - Beber muito vinho tinto e bebidas quentes. Você está na Europa, pertinho dos maiores e melhores produtores de vinho do mundo. Vinho aqui é bom e barato então não tem desculpa para não abusar de um bom vinho nas férias. Aqui você pode ver uma seleção dos melhores "Wine Bars" de Londres.  E durante o dia, porque não aproveitar os maravilhosos chás ingleses ou um bom chocolate quente?
 
 
 
7 - Um dia com 25 horas. Tudo bem que os dias são mais longos no verão mas no Outono nos ganhamos um dia com uma hora a mais! Quando termina o horário de verão, ganhamos uma hora a mais de sono ou de passeio em Londres. 
 
8 - Curtir um Halloween. Em Londres a festa de Hallowen não é tao popular quanto nos Estados Unidos. Mesmo assim acontecem vários eventos temáticos na cidade, pessoas fantasiadas, crianças batendo nas portas pedindo doces e ameaçando uma travessura. Pra quem quer curtir a data você pode ver opções de festas, eventos para crianças, casas de terror e etc nesse link com dicas para o Halloween em Londres.
 
 
9 - Participar de uma típica comemoração inglesa, a Bonfire Night. Não sabe o que é isso? Já falei aqui no blog sobre. Pra quem perdeu, aqui vai o link explicando o que é a Bonfire Night e sugerindo os melhores locais para curtir.
 
 
10 - Fazer as compras do Natal. O ano passa tão rápido que quando menos esperamos já é Natal. Que tal então visitar Londres e aproveitar para comprar os presentes aqui? Aqui você acha de tudo, lembrancinha, artigos luxuosos, presentes alternativos, roupas, etc. E tem para todos os bolsos! Da até para conhecer a cidade e ainda economizar nas compras do Natal
 
 
Tenho certeza que existem ainda mais motivos para tentar convencer alguém de vir a Londres no Outono. Vocês tem alguma sugestão? Algo que ficou faltando na minha lista?
 
Se eu conseguir convencer vocês de que vale a pena vir a Londres no Outono que tal aproveitar e fazer um passeio com uma guia brasileira em Londres? Posso sugerir e acompanhar roteiros, sugerir hotéis, restaurantes, tudo com a segurança e tranquilidade de estar acompanhado de uma pessoa que fala a sua língua. Aguardo contato de vocês. 
Autor: Thais Lima
Data: 18/08/2014

Verão em Londres

Verão em Londres

26/07/2014

Festivais em Londres

Na Inglaterra acontecem os melhores festivais de música do mundo, abrangendo estilos musicais para todos os gostos. Os mais famosos acontecem em junho, julho, agosto e setembro e muitos deles são em cidades próximas de Londres. As galochas são uma peça fundamental no figurino, pois os terrenos dos festivais viram autênticas pistas de lama com as chuvas. Se é para se divertir, que seja vestido à rigor!
Para além de música, Londres também fica cheia de festivais de dança, comida, cervejas artesanais e comédia.

Cinema ao ar livre

Até 31 de agosto, na Battersea Power Station e de 7 a 20 de agosto, na Somerset House o cinema ganha espaço debaixo das estrelas. Filmes clássicos como Pulp Fiction, O Grande Lebowski, Toy Store e Annie Hall são alguns exemplos dos filmes que você pode ver. Alguns bilhetes se esgotam rapidamente, mas vale a pena conferir a programação.

Parques e jardins

Os parques talvez sejam as praias dos londrinos. Por serem tão valorizados na cultura inglesa, são bem preservados e muito frequentados. No verão ou simplesmente nos dias sem chuva, são lugares ideais de lazer e uma opção econômica. Pedalar, caminhar, fazer picnic, tomar sol, jogar bola, ler um livro ou tirar um cochilo…você pode aproveitar os espaços verdes como quiser! E não importa a região da cidade em que você esteja ou se está no meio de grandes edifícios, certamente terá um parque ou um jardim por perto. Os mais famosos de Londres são: Hyde Park, Victoria Park, Green Park, St. Jamess Park, Regents Park, Clapham Common, Richmond Park (mais afastado, a oeste da cidade), Primrose Hill, Hampstead Heath (norte da cidade) e Bushy Park. Também vale a pena visitar os jardins do Palácio de Hampton Court (mais afastado da cidade, a sudoeste de Londres).

Carnaval de Notting Hill

Mas carnaval em agosto?! Pois é, em Londres todos os pedacinhos do verão estão valendo! O Carnaval de Notting Hill acontece desde 1964 e atrai todos os anos uma multidão de gente para prestigiar o desfile de carnaval. Nos dias 24 e 25 de agosto, máscaras, plumas, muita cor, música e dança vão preencher as ruas de Notting Hill.

Passeios de Barco

Que tal atravessar a cidade de Londres de oeste a leste pelo rio Tâmisa? Você pode embarcar num dos vários píers ao longo do rio. Comprando o passe diário “River roamer”, você tem direito a “hop-on, hop-off”, isto é, entrar e sair do barco quantas vezes desejar. Existem várias companias de barco (por ex: Thames Clippers, City Cruisers),  que oferecem o passeio e rotas diferentes, que vão parando pelos pontos turísticos da cidade.

Conheça o Palácio de Westminster, sede do Parlamento Britânico

Verão em Londres é tempo de recesso e o Parlamento fica aberto para receber visitantes. A visita guiada, que dura cerca de 1h15, começa em Victoria Tower, passa por Queens Robing Room, Royal Gallery, Princes Chamber, the Chamber of the House of Lords, Central Lobby, House of Commons, Members Lobby e St Stephens.

Conheça os salões do Palácio de Buckingham

Aproveite para matar a curiosidade de saber como é o tão famoso palácio real por dentro. Poderá visitar o salão de festas, o jardim e ver pinturas de artistas como Rembrandt, Claude, Vermeer e Poussin; esculturas de Canova e Chantrey e ainda os mais requintados móveis ingleses e franceses do mundo.

Comidas e Bebidas 

Bebidas geladas e comidas frescas sempre caem bem no verão! As cervejas e sidras (cervejas com toque cítrico) têm boa fama aqui na Inglaterra, por isto aproveite o verão em Londres para experimentar estas bebidas. Nas feirinhas e mercados tem sempre alguma barraquinha vendendo sucos naturais e muitas delas, têm frutas e verduras frescas. O sorvete é outra delícia que combina bem com verão e Londres tem carrinhos típicos que vendem sorvete nos parques e nas ruas. Para além disso, você vai encontrar sorveterias famosas, como a Amorino, Geluppo, Scoop e muitas outras, com lojas em diferentes pontos da cidade. Londres também tem a vantagem de oferecer restaurantes do mundo todo, mas nada melhor que experimentar os pratos locais. Saiba aqui quais são os pratos típicos de Londres. E se você é fã de carne assada, não deixe de experimentar um suculento “roast Sunday” – veja os TOP 20 restaurantes de Londres.

Autor: Connection Line
Data: 26/07/2014

Estação de esqui argentina ganha hostel nesta temporada 2014; diária é de US$ 30

Coloque as luvas e o gorro na mochila: deslizar na neve vai deixar de ser um ~esporte de rico~ para se tornar um hobby de mochileiro! A estação de esqui argentina Las Leñas vai inaugurar um hostel no dia 21 de junho (data do início oficial da temporada de esqui no local). Hostel Leñas terá mais de 70 camas, distribuídas em 10 quartos com banheiros e chuveiros compartilhados ou privativos. Ideal para quem quer curtir cada minutinho do dia (e da noite — a estação tem pistas iluminadas) em cima dos esquis e snowboards. Armários com chave, roupa de cama e recepção 24 horas estão inclusos na diária, que deve ser de US$ 30 por pessoa.

O ambiente do hostel é todo aquecido – calma, não é só calor humano. :) Há cozinha e sala de refeição comuns, e um deck com vista para a neve que, conhecendo o clima mochileiro mundo afora, vai acabar se tornando uma excelente área de convivência. Ah, e durante a Copa, os proprietários prometem que vão manter telões ligados nos jogos – principalmente os do Brasil.

Sobre a estação de esqui Las Leñas A estação de esqui fica perto da cidade de Malargüe, na província de Mendoza, centro-oeste argentino. Em 2014, a temporada de inverno começa  oficialmente no dia 21 de junho. Os hotéis, alojamentos, lojas, restaurantes, supermercado e centros de convivência ficam a 2.240 metros acima do nível do mar – neste nível, o ar ainda não está tão rarefeito para quem (como eu) sofre muito na altitude. Já o topo chega a 3.430 metros – levando em conta que a gente não fica muito tempo lá em cima, porque a graça do esqui é sair deslizando pista abaixo, tá óóótemo! Para esta temporada de 2014, a estação preparou algumas novidades que vão alegrar a vida dos profissionais: duas pistas serão inauguradas. Uma é a Minerva III, com 405 metros de comprimento. Ela termina no teleférico Vulcano. A outra é a Return Mars, que leva o esquiador para a pista Apollo com mais rapidez. Para quem não se bastar no esqui e precisar de mais emoções fortes, há outras novidades. Entre elas, a tirolesa Canopy Neve, que passa por cima de uma pista. O cabo de aço tem quase 400 metros de comprimento e inclina-se a 50 metros - fazendo o aventureiro ganhar velocidade durante o percurso.

Autor: Ludmilla Balduino - Blog Mochila Pride
Data: 20/06/2014

Chicago

Chicago, a cidade dos ventos, uma das maiores e mais dinâmicas dos Estados Unidos, surpreende por suas diferentes facetas. Cenário da guerra dos gangsters de Al Capone e os mocinhos de Eliot Ness na época da Lei Seca, também é o divertido palco das peripécias de Ferris Bueller em Curtindo a Vida Adoidado. Nos esportes, enquanto o querido Chicago Cubs amarga décadas sem títulos, Michael Jordan eternizou os Bulls como uma das maiores equipes de basquete de todos os tempos.

Localizada às margens do gigantesco lago Michigan, a cidade possui uma agradável atmosfera urbana, entre as águas e seus arranha-céus. A Willis Tower (antiga Sears Tower) domina o perfil da cidade, tendo sido por um quarto de século o maior edifício do mundo. Outra vista deslumbrante fica no John Hancock Center, não tão alto, mas mais próximo da margem do lago.

Outras boas atrações na área são o Art Institute of Chicago – onde você encontrará obras de Edward Hopper, Paul Cézanne, Vincent van Gogh e a magnética obra-prima do pontilhismo de Seraut –, uma partida de beisebol no legendário Wringley Field, o Field Museum of Natural History e o Shedd Aquarium. Isso sem falar em um grande número de teatros, parques e até praias para ocupar o seu tempo. Digno de nota é o Millenium Park, que abriga muitos eventos de dança e música abertos ao público em uma ampla área verde. Uma de suas novas marcas registradas é o “feijão” prateado de Anish Kapoor.

Uma outra coisa que você prontamente irá notar por aqui é que enquanto Miami é latina e Nova York uma mistura de tudo que há no mundo, Chicago é bem europeia. Ao menos em termos populacionais. A maior parte de seus habitantes é descendente de alemães, poloneses, ucranianos, gregos e suecos, uma formação étnica que se traduz na gastronomia local. De comidinhas de rua como o gyros (o nosso churrasquinho grego) a alguns dos mais aclamados chefs da América, a cidade oferece uma ampla gama de opções para o turista comilão.

Outra coisa que atrai visitantes à cidade é sua íntima história com a música. Apesar de jazz e blues terem alma no baixo Mississipi, foi mais ao norte, na próspera Chicago, que muitas lendas surgiram. Algumas, literalmente, das calçadas e praças para o palco de grandes clubes. A variedade de boas casas para ouvir obras clássicas e inspiradas jam sessions se concentra nos arredores de Bronzeville, mas há outras alternativas que merecem atenção em outros bairros. Se quiser apreciar este clima musical de forma mais intensa, não perca o Chicago Blues Festival (junho) – que atrai nomes como B.B. King, LilEd Williams e John Lee Hooker – e o Chicago Jazz Festival, no final de agosto.

Além destes dois eventos culturais e as temporadas esportivas, vale a pena pensar no clima para escolher a melhor época para uma visita. Afinal, os extremos climáticos por aqui são extremos. Não é raro a temperatura ultrapassar os 30 graus no verão úmido, superando ocasionalmente os 35 e até os 40. Já o inverno congelante traz nevascas pesadas, ventos cortantes e a marca dos termômetros pode cair próxima a -20 °C. Nem é preciso dizer que primavera e outono são boas épocas para visitar a cidade.

COMO CHEGAR (aéreo)

Como cidade-sede da United Airlines, da Star Alliance, o aerporto internacional de OHare (www.ohare.com) recebe alguns poucos voos diretos (10h30 de duração) da companhia desde São Paulo. Com ao menos uma escala, a mesma United e outras aéreas como American Airlines, Air Canada e Copa, entre outras, chega-se à cidade a partir de 12h30.

OHare (ORD) localiza-se a 28 quilômetros do centro da cidade e é um dos mais movimentados aeroportos do planeta. Espere filas gigantes e muitos atrasos em caso de nevascas. Para se chegar ao centro as opções são os táxis (a partir de US$ 40, mas o tempo depende do trânsito). Se necessitar de transporte para cadeirantes, contate 1-800-281-4466. Mais rápido e mais barato é o trem CTA Blue Line (US$ 2,25, 45 minutos), que funciona 24 horas por dia. Vans de traslado (shuttle buses) são uma opção interessante para os que querem descer diretamente na porta do hotel. Companhias como Omega e Go Airport Express oferecem o serviço a partir de US$ 25.

O outro aeroporto da cidade, Midway (MDW), é utilizado principalmente por companhias menores e fica mais próximo do Centro. As opções de transporte terrestre são basicamente as mesmas e há muitas opções de transporte entre aqui e OHare, incluindo trens, ônibus, táxis e vans.

COMO CHEGAR (terrestre)

Como toda cidade norte-americana, Chicago é dominada pelos carros. Prepare-se então para um trânsito que pode irritar nas horas do rush. Estacionamentos normalmente não são problema.

Por terra, apesar de companhias como a clássica Greyhound oferecerem várias linhas como o Meio-Oeste, são os trens que oferecem os melhores serviços. Chicago, aliás, é provavelmente a cidade norte-americana mais bem servida pelo serviço ferroviário. A Amtrak (www.amtrak.com) utiliza a muito bem localizada Union Station (Canal Street com Jackson Boulevard). Dali chega-se a cidades como Saint Louis (5h30), Memphis (10h30) ou Nova York (20h).

Autor: Connection Line
Data: 15/05/2014

Seis motivos para te encorajar a estudar fora

Aprender uma segunda língua hoje em dia é tão importante quanto estudar matemática, ok, isso a gente já sabe! Mas se tem uma maneira mais legal e tão eficaz quanto as tradicionais aulinhas de inglês semanais (ou espanhol, ou francês, ou albanês…rs) são os cursos de língua no exterior.

Não se desespere, não é necessário tirar um ano sabático para aprender outro idioma. Um mês pode bastar, seja para aprender o básico ou dar uma reciclada e aprimorada no que você já estudou.

Ainda não se encorajou para pegar seu caderninho de estudos e cair nesse mundão? Aqui vão alguns motivos pelos quais um curso no exterior é beeem mais interessante do que as semanais e sonolentas (as vezes, né) aulinhas:

Autor: Connection Line
Data: 15/05/2014

Os 20 lugares mais bonitos do mundo para conhecer

Reunimos, nesse especial, 20 lugares belíssimos para se conhecer! Se você pretende viajar para um lugar inesquecível, veja aqui as opções de seu destino e encante-se! O que não falta nesse mundo são lugares belíssimos para se visitar, afinal, ele é imenso, não é mesmo? Mas há determinados locais que se sobressaem nessa imensidão de pontos turísticos. Se você e sua família querem fazer uma viagem dos sonhos e conhecer lugares simplesmente fantásticos, veja aqui algumas dicas e encante-se desde já:

Amsterdã – Holanda

Se você é amante de museus, Amsterdã é o lugar certo para você conhecer! É uma cidade rica em cultura, possui os mais variados tipos de museus que você imaginar. Se você curte passeio de barco, pode desfrutar desse lazer e conhecer vários pontos, além de poder apreciar as pessoas andarem de bicicleta pela cidade!

Barcelona – Espanha

Capital de Catalunha, Barcelona é uma das cidades mais populosas da Espanha. Rica em obras arquitetônicas, museus, praias e ótimos restaurantes, Barcelona é o lugar onde exala a cultura e sensibilidade urbana. Um excelente lugar para se conhecer!

São Francisco – Califórnia (EUA)

Uma das cidades mais populosas da Califórnia, São Francisco é conhecida por receber milhões de turistas por ano, exatamente por ser uma cidade que envolve uma belíssima arquitetura, gastronomia e diversos passeios. Se você gosta de frio, essa é uma boa pedida! São Francisco possui uma das obras arquitetônicas mais famosas do mundo: a Ponte Golden Gate.

Coliseu de Roma – Itália

Denominado como uma das "Sete maravilhas do mundo moderno", o Coliseu de Roma é uma das maiores construções arquitetônicas da Roma Antiga. Sem sombra de dúvidas, o Coliseu de Roma é uma das principais atrações turísticas de Roma, além da sua forte ligação com a igreja, o catolicismo e o Papa.

As Pirâmides de Gizé – Egito, Africa

Construídas no Antigo Egito, as Pirâmides de Gizé é um dos monumentos mais emblemáticos da África. As Pirâmides possuem um alto grau de complexidade arquitetônicas, que envolve muita cultura, lendas e beleza. O monumento é belo tanto por fora quanto por dentro: possui uma estrutura subterrânea com corredores e salas, cheios de riquezas e detalhes!

Mesquita Azul – Istambul, Turquia

Sem dúvidas, a Mesquita Azul é uma das construções mais importantes e famosas da Turquia. Não é à toa que foi criada no século 16, daí você tem a noção da riqueza e tradição que ela representa para o país. Todo esse requinte atrai milhares de turistas, porém o lugar é extremamente sagrado: ao entrar na Mesquita, é preciso tirar os sapatos. Homens devem estar bem vestidos e as mulheres precisam cobrir os cabelos em respeito a religião muçulmana e a tradição do lugar.

Cristo Redentor – Rio de Janeiro, Brasil

O Brasil é um país lindo, cheio de riquezas e lugares fantásticos e o Cristo Redentor é um deles: simplesmente é uma das construções brasileiras que é mais conhecida internacionalmente. Situado no topo do Morro do Corcovado, na cidade do Rio de Janeiro, há mais de 700 metros acima do nível do mar, o Cristo Redentor atrai milhares de turistas durante o ano todo, além de ser acessível, podendo subir de carro, de elevador, escada rolante e trem.

Dubai – Emirados Árabes

Se você admira lugares futuristas, Dubai é a cidade ideal para você conhecer, pois a estrutura é super moderna, com ruas e avenidas largas e muitos prédios enormes, os chamados arranha-céus. Dubai é um dos sete emirados dos Emirados Árabes Unidos (EAU), considerada uma cidade pequena, mas populosa. Possui obras arquitetônicas invejáveis, como o Hotel Burj Al Arab, construído em uma ilha artificial.

Estátua da Liberdade – Nova York, EUA

Localizada na Ilha da Liberdade, nos EUA, a Estátua da Liberdade é considerada o maior símbolo de Nova York e dos EUA. Os turistas que vão à Nova York, geralmente querem conhecer esse monumento tão significativo e marcante, principalmente para os norte-americanos que a apelidaram de Miss Liberty(Senhorita Liberdade).

Ilha Balabac – República das Filipinas

Pense em um paraíso rodeado de ilhas e águas cristalinas… Pensou? As Filipinas, país asiático, é exatamente isso: um arquipélago incrível, composto por piscinas naturais. A Ilha Balabac é uma das ilhas que fazem parte do país e tem uma beleza incrível, encanta qualquer pessoa.

Orlando – Flórida

Famosa por possuir um dos principais pontos turísticos dos EUA, Orlando é uma das maiores cidades da Flórida, considerada um polo turístico e financeiro. Se você tem vontade de conhecer o Walt Disney World Resort, é para Orlando o seu destino!

Praias do Hawaii – EUA

O paraísos dos surfistas: as praias do Hawaii! Considerado o único estado mais isolado dos Estados Unidos, o Hawaii encontra-se no meio de um arquipélago do Oceano Pacífico, ou seja, é um estado completamente litorâneo. Sua economia é baseada no turismo, daí você já imagina a quantidade de turistas que visitam o Hawaii!

Puerto Madero – Buenos Aires, Argentina

Um dos principais bairros nobres de Buenos Aires, o Puerto Madero foi criado no século 19 para fins comerciais e hoje é um dos bairros mais modernos da cidade. Desenvolvido financeiramente, Puerto Madero se destaca pela gastronomia de excelência. Umas das obras de destaque desse porto é a Puente de la Mujer, do arquiteto espanhol Santiago Calatrava.

Praias de Cancún – México, América Central

Belezas Naturais, clima Agradável, Belas Praias e UMA LOCALIZAÇÃO privilegiada: é ASSIM Que se definir Cancún , Uma Cidade Que se tornou UMA das principais atrações Turísticas do Mundo. Tem uma infraestrutura moderna, floresta tropical e Praias de areias Brancas e Águas Azuis e Cristalinas!

Torre Eiffel – Paris, França

Símbolo da cidade de Paris e da França, a Torre Eiffel é um ícone mundial e é uma das construções mais altas da cidade, com mais de 300 metros de altura. A Torre Eiffel é o monumento pago mais visitado do mundo, que recebe milhões de turistas durante o ano! Se você for a Paris, não deixe de visitar essa grande obra!

San Pedro de Atacama – Chile

Comunidade de construção Inca, San Pedro de Atacama é um dos principais pontos turísticos do Chile, que atrai muitos turistas pela sua história e tradição, além de igrejas, anfiteatros e museus. Possui uma paisagem desértica, palco de erupções vulcânicas já formadas!

Toronto – Canadá

Considerada uma das cidades mais multiculturais do mundo, Toronto é referência mundial em globalização. É uma cidade desenvolvida, representando o centro financeiro do Canadá, além de sediar os maiores polos industriais do país. O cartão postal da cidade é o CN Tower, considerada a segunda estrutura mais alta do mundo. O que não falta são opções de lazer e entretenimento em Toronto, como shoppings, museus, cinemas, restaurantes etc! Vale a pena conhecer!

Vancouver – Canadá

Também canadense, Vancouver é uma cidade litorânea e possui um dos maiores portos da América do Norte. O que mais chama atenção em Vancouver é que ela é uma cidade que possui um grande centro urbano rodeado pela natureza: possui muito verde, muitas árvores! Umas das principais atrações é o Stanley Park, que é um dos maiores parques urbanos da América do Norte.

Londres – Inglaterra

Londres, considerada uma cidade global, é um dos maiores centros financeiros do mundo, além de ser influência em excelência na política, educação e cultura, um dos principais pilares para qualquer grande cidade. Cerca de 28 milhões de pessoas visitam Londres, por ano. Um dos pontos que chamam atenção em Londres é a London Eye, uma imensa roda-gigante e a Tower Bridge, uma importante ponte sobre o Rio Tâmisa.

Veneza – Itália

Muitos casais escolhem Veneza como seu destino para passar a lua-de-mel, pois a cidade é encantadora e dá para fazer muitos passeios românticos. Rica em museus, Veneza é uma cidade bastante cultural, onde lazer não falta: há muitas praças, palácios, castelos, igrejas, pontes e bibliotecas para se conhecer!

Autor: Connection Line
Data: 13/05/2014

Lista reúne os dez países mais seguros do mundo e o primeiro é a Nova Zelândia

Segurança, transporte público de qualidade, acesso à saúde e governantes honestos são alguns dos pontos analisados. Foram listados os países que tiveram maiores índices de qualidade de vida, no qual seus moradores não precisam se preocupar com questões ecológicas, guerra, conflito, transporte público, segurança, educação e saúde pública.

Confira a lista e entenda por que foram listados.

10 º Finlândia

Localizada ao Lado da Suecia, a Finlândia Destaca-se POR serviços hum País Muito frio. A Justiça de e honesta e  Reconhecida POR SEUS Habitantes. O SERVIÇO de Segurança oferecido E Eficiente e funcional. Ocupou uma décima  POSIÇÃO.

9 º Áustria

Considerado um excelente lugar para se viver, a Áustria recebe turistas do mundo inteiro que se encantam pelas paisagens cheias de montanhas, áreas verdes e lindas construções. O país foi classificado como um dos mais ricos, sendo que o PIB per capita ultrapassa os R$ 104 mil.

 

8º Suécia

A Suecia E o Terceiro Maior País da União européia, a capital com o SUA los Estocolmo, Que recebe Durante o Ano,  principalmente na primavera muitos Turistas. A Suecia E hum dos countries com Menores Riscos de morte do Mundo. 

 

7 º Austrália

O país foi considerado o mais amigável, o mais próspero e um dos mais seguros, exatamente por ser cercado por fronteiras com outros países, aumentando o nível de segurança. Lá é possível encontrar lindas paisagens naturais além de excelentes praias.

 

6º Irlanda

País da Guinness, Wiskey Jameson e de músicas celtas, a Irlanda conquistou o sexto lugar na pesquisa por ser um país receptivo, amigável e com muita qualidade de vida. A Irlanda preserva muitas tradições, dentre elas o Saint Patrick’s Day que é uma festividade que homenageia o padroeiro da cidade, São Patrício. O transporte público é limpo e eficiente. O ensino público e de qualidade e há incentivo ao ensino. O policiamento é eficiente e os índices de criminalidade são baixos.

 

5º Dinamarca

País que já sofreu repressão por ganhar o título de “preguiçoso”, mas hoje está entre um dos países mais seguros e protegidos do mundo. O policiamento é eficaz com relação ao respeito a todo e qualquer tipo de leis, resultando na segurança máxima aos cidadãos dinamarqueses, que praticamente não correm riscos de serem assaltados, seqüestrados ou mortos.

 

4º Noruega

A Noruega foi classificada como o melhor país do mundo em desenvolvimento humano em todos os relatórios desde 2001. Com sua capital em Oslo, o país carrega a fama de ser um dos mais caros do mundo para se viver. Lá não há índices de criminalidade, tornando-se um lugar recomendável para todas as pessoas.

 

3 º Islândia

Nos últimos anos tem entrado para a lista das nações mais ricas e desenvolvidas do mundo. Pesquisas recentes indicaram que assassinatos, seqüestros, estupros e afins são ocasiões praticamente extintas. 

 

2º Tuvalu

Com 10 mil habitantes, o pequeno paraíso fica localizado próximo a Austrália e é um estado da Polinésia. Lá não há produção de petróleo ou quaisquer outro tipo de energia renovável, o que significa níveis super-baixos de poluição.

 

1º Nova Zelândia

A Nova Zelândia é o país mais seguro do mundo para se viver!

 

Já pensou em viver em um país com o menor índice de corrupção do planeta? Onde a pobreza é algo inexistente? Com o sistema público de saúde e de educação funcionando sem que precisemos brigar por isso? E o melhor, onde não se encontra distinção entre raça, cor, religião ou classe social? Sim, esse país existe e se chama Nova Zelândia.

Além de todas essas qualidades, o país acaba de ser considerado o país mais seguro do mundo para se viver! Lá as pessoas podem desfrutar de uma verdadeira qualidade de vida, onde todos tem seus direitos e atribuições atendidas de fato pelo governo do país. E mais, o país esta classificado entre os 10 países com melhor liberdade de imprensa.

Autor: Connection Line
Data: 09/05/2014

Estudar fora te deixa mais esperto

Pesquisa da escola de pós graduação em negócios INSEAD mostra que quem estuda ou trabalha em outro país desenvolve o pensamento crítico e fica mais criativo

Para quem ainda tinha dúvidas se valeria a pena estudar em outro país, uma pesquisa da escola de pós-graduação em business INSEAD, com campi na Europa e Ásia, vem comprovar cientificamente os benefícios da experiência.

Um estudo conduzido por Willian Maddux, PhD em psicologia social e professor da disciplina de comportamento organizacional na INSEAD, mostra que quem estuda ou mora fora volta para seu país de origem com capacidade para pensar de forma mais complexa e criativa, tornando-se mais esperto. Como consequência do desenvolvimento dessas habilidades, possui também mais chances de obter sucesso profissional. As informações sobre o estudo foram publicadas pela revista TIME.

Maddux pesquisou alunos matriculados em um programa internacional de MBA e constatou que o engajamento multicultural de cada um, ou seja, a capacidade que demonstravam de se adaptar a novas culturas e aprender sobre elas indicavam o quão complexo seu pensamento seria. Em outras palavras, os estudantes que estavam abertos a culturas estrangeiras mostraram-se capazes de conectar melhor ideias distintas ou contraditórias.

Segundo Maddux, o engajamento multicultural de cada um foi um preditivo também do número de ofertas de trabalho que receberiam ao término do mestrado. “As pessoas que têm vivência internacional mostram-se mais criativas e melhores solucionadoras de problemas, sugere nossa pesquisa. Além disso, têm mais chandes de desenvolverem novos negócios e produtos e de serem promovidas”, afirma.

Outro estudo — Maddux não está sozinho na empreitada de descobrir os benefícios de morar fora. David Therriault, professor de psicologia educational na Universidade da Flórida, também conduziu um estudo sobre o assunto. Ele dividiu uma sala de estudantes de graduação em três grupos — aqueles que tinham estudado no exterior, aqueles que pretendiam um dia estudar fora e, por fim, aqueles que nunca tinham morado em outro país e nem planejavam — e aplicou um teste de pensamento criativo. Adivinhem qual foi o resultado? Pois é, aqueles já haviam estudado fora obtiveram o melhor desempenho.

Vale esclarecer, entretanto, que não basta apenas sair do país para ficar mais esperto. Conforme os especialistas, o que vai definir se uma pessoa se tornará mais flexível e criativa ao estudar no exterior é a sua capacidade de se abrir ao novo e de aprender com outras pessoas e culturas.

Autor: Connection Line
Data: 08/05/2014

5 destinos para quem deseja fazer intercâmbio e fugir dos brasileiros

Os brasileiros estão viajando cada vez mais para fazer intercâmbio. Segundo dados da Associação Brasileira de Organizadores de Viagens Educacionais e Culturais, 202 mil brasileiros fizeram intercâmbio em 2013, número 6 vezes maior do que o registrado em 2003.

Por isso, encontrar brasileiros no exterior é cada vez mais comum o que, algumas vezes, pode interferir nos estudos de quem viajou para aprender outro idioma.  “Quando há brasileiros por perto a tentação é muito grande de conversar em português, por isso, quanto mais difícil for a convivência com pessoas que falam a mesma língua, melhor poderá ser o aproveitamento do intercâmbio”.

Para evitar a convivência com os conterrâneos, a Mundo Afora listou 5 destinos na Europa e América do Norte para quem deseja fugir dos brasileiros e ter contato mais efetivo com a cultura e o idioma local.

Victoria - Canadá

O Canadá é um dos destinos favoritos dos brasileiros devido à segurança, estrutura, boas escolas e bons preços dos pacotes. Mas é possível aproveitar tudo isso e ainda manter distância dos conterrâneos em Victoria, por exemplo.

Conhecida como a Cidade dos Jardins, devido às belas paisagens dos Jardins de Butchart e outros espaços verdes que preenchem a cidade, é uma cidade atraente, com diversão e cultura, que tem acesso a Vancouver e a Seatle (EUA) por balsas que mais se parecem com minicruzeiros.

Além da beleza, a cidade sedia importantes escolas e universidades. A principal é a Universidade de Victoria, uma das mais antigas do país, que tem professores que já receberam Prêmio Nobel.

 

Totnes – Inglaterra

Totnes é uma pequena e charmosa cidade localizada no sudoeste da Inglaterra, a 3 horas de trem de Londres. É conhecida por ser epicentro do movimento das cidades autossuficientes e espera fazer a transição para uma economia de baixo carbono, mais integrada a natureza e não dependente do petróleo até 2030.

Além de sustentável tem paisagens maravilhosas, castelos, trilhas, passeios de canoa, bares e muita música e arte. É uma cidade pequena com diversas atrações. É o destino perfeito para quem deseja aprender inglês sem estar cercado por muitos brasileiros e, de quebra, ampliar os conhecimentos sobre ecologia e sustentabilidade.

 

Denver – Estados Unidos

 

Denver é a capital do Colorado e a cidade mais populosa dessa região com mais de 550 mil habitantes. Não é popular entre os brasileiros, mas quem já fez intercâmbio nessa cidade recomenda, especialmente, por ter sol quase todos os dias do ano e temperaturas entre 15°C e 30°C no verão e entre -10°C e 8°C no inverno.

Fica próxima a Aspen, badalada estação de esqui, e está localizada na base da região montanhosa de 'Rock Mountain', um paraíso onde os moradores da cidade costumam passar os finais de semana acampados para esquiar, praticar hiking e pesca.

Com muito verde e parques, há muitas atividades ao ar livre e menos de 20% da população está acima do peso ideal, tanto que a cidade é conhecida como a mais magra dos Estados Unidos.

Os jogos de basquete e de hóquei são uma atração à parte, além dos museus, cervejarias, bares e restaurantes. Outra vantagem de fazer intercâmbio em Denver é que as escolas de idiomas são menores e o atendimento aos alunos é mais personalizado.

 

Dun-Laoghaire – Irlanda

Dublin é outro destino muito procurado por brasileiros, principalmente pelos que querem trabalhar. Mas apenas 11 km ao sul da capital da Irlanda fica Dun-Laoghaire, cidade cercada de colinas e com um belo porto de onde saem ferries com destino a Inglaterra e a França e cruzeiros marítimos.

Assim como em Dublin, a cidade conta com inúmeros pubs com atrações musicais à noite, mas há muitas outras atividades para fazer durante o dia como visitar castelos, o museu marítimo e do escritor James Joyce, o Parque do Povo, mercado com produtos típicos, e praticar esportes marítimos como pesca, mergulho, kite surf, kaiak ou velejar.

 

Gozo - Itália

Gozo é uma ilha paradisíaca que fica no mar Mediterrâneo e faz parte da República de Malta, bem ao sul da Itália. É a segunda maior ilha em extensão territorial que faz parte do arquipélago que compõe o país.  O mar azul e a vida marinha tornam o destino um dos melhores para mergulho no mundo.

Além das atrações subaquáticas e paisagens incríveis, Gozo tem uma riqueza cultural e arqueológica enorme.

A população de cerca de 32 mil habitantes vive da agricultura e da pesca e são muito acolhedores com os visitantes. As escolas de idiomas, além do atendimento mais personalizado, também inclui passeios e diversas outras atividades para que o intercambista pratique o inglês conhecendo todo o arquipélago. É o destino perfeito para quem busca cultura e turismo.

- See more at: http://connectionline.com.br/blog#sthash.A4zYsRqL.dpuf

Autor: Connection Line
Data: 06/05/2014

Mudança no visto de estudante vai facilitar Imigração

No Último dia 12, Novas Regras Para o Visto Canadense parágrafo Estudantes FORAM divulgadas. Todas como Mudanças deverão Influenciar positivamente aqueles Que pretendem imigrar par o Canadá. 

Ouca ágora o podcast de fazer do site Canadá parágrafos Brasileiros e entenda UM Pouco MAIS essas Mudanças. 

Acesse: http://www.canadaparabrasileiros.com/blog/2014/02/mudanca-no-visto-de-estudante-canada/

Autor: Connection Line
Data: 18/04/2014

Cidadanias: Passaporte Europeu, Tenho Direito?

Sem dúvida, a melhor maneira de estudar, morar e até viajar pela Europa é com um passaporte europeu, mais conhecido como passaporte da alegria. Muita gente que tem direito, nem sonha que um dia poderia ter um, como é o caso de um tataraneto italiano, por exemplo. Com o vermelhinho, você não só pode morar em qualquer país da União Européia, mas como também usufruir de todos os direitos concernentes a um cidadão europeu, entre eles trabalhar legalmente e até receber benefícios do governo. Porém, não é só de direitos que se vive! É importante que se tenha em mente quais obrigações têm que ser cumpridas afim de se evitar qualquer problema futuro. Entretanto, a falta de informação também pode atrapalhar na hora de exigir seus direitos. Veja abaixo uma lista contendo alguns dos direitos e deveres de um cidadão europeu:

Direitos:

-Livre circulação de pessoas;

-Capacidade eleitoral;

-Direito à proteção diplomática;

-Direito de Petição;

-Acesso ao provedor de jutiça;

-Direito à transparência;

-Direito à proteção de dados;

-Direito ao serviço público de saúde

Deveres:

- Assumir a identidade européia (dever de compreender a história, dever de identidade e o dever de defesa);

- Aplicar na prática os valores europeus (dever de partilhar, dever de trabalhar e o dever democrático);

-Reclamar o direito à justiça (dever de justiça e dever de contribuir para construir uma ordem mundial mais justa);

-O pagamento de impostos e da segurança social;

- A preservação do meio-ambiente;

- O respeito pela lei

POR DESCENDÊNCIA

Alemanha

Filho de pai ou mãe alemã. No caso do pai, até 30/06/1993, este devia estar casado com a mãe da criança no nascimento da mesma. Após essa data, passa-se a aceitar crianças reconhecidas pelo pai alemão. No caso de mãe alemãsó se tiver nascido após 01/01/1975 de um casamento, e se a mãe for filha de pai alemão. Os nascidos no período de 01/04/1953 e 31/12/1974, apenas os que tiverem declaração feita pela mãe alemã a um orgão alemão ou representação dimplomática no período de 01/01/1975 e 31/12/1977. Quem nasceu após 31/12/1999 só poderá exigir a nacionalidade se o pai ou a mãe alemã tiverem declararado seu nascimento ao consulado alemão no prazo de um ano. É possível adquirir a nacionalidade alemã através da descendência de avô e bisavô alemão, neste caso é necessário requerer um Certificado de Nacionalidade Alemã. Para mais informações sobre como adquirir a nacionalidade alemã, Clique Aqui

Áustria

Os netos de avô austríaco (o avô tem que estar casado!) ou filhos de pais austríacos. As mães solteiras transmitem a nacionalidade austríaca diretamente aos filhos. As casadas, apenas aos que nasceram após 01/09/1983. Para mais informações sobre como adquirir a nacionalidade austríaca, Clique Aqui. 

Bélgica

Filhos de pai ou mãe belgas. Também é possível adquirir a nacionalidade através do avô, caso os pais deste tenham requerido declaração de cidadania até os cinco anos de idade ou então este ter nascido na Bélgica. Para mais informações sobre como adquirir a nacionalidade belga, Clique Aqui.

Bulgária

Para adquirir a nacionalidade búlgara é necessário renunciar à nacionalidade atual, segundo as leis do país. Filhos de pai ou mãe búlgaros podem requerir a nacionalidade sempre e quando estejam dispostos a abdicar de sua nacionalidade original. Para mais informações sobre como adquirir a nacionalidade búlgara , Clique Aqui. 

*Bulgária e Romênia foram os últimos países a entrarem na UE, por isso os cidadãos desses países precisam de uma autorização para trabalhar nos demais estados- membros da UE.

Chipre

Filhos nascido de casamento após 16/08/1960, cujo pai é um nacional de Chipre, independente do país do nascimento. Caso o pai seja desconhecido ou apátrida, a nacionalidade pode ser passada pela mãe. Para mais informações sobre como adquirir a nacionalidade cipriota , Clique Aqui.

Dinamarca

Aos filhos de mães dinamarquesas nascidos após 01/01/1979. Filho de pai dinamarquês CASADO com a mãe da criança (a nacionalidade deve ser requerida antes do filho ter completado 18 anos, sem este estar casado). Para mais informações sobre como adquirir a nacionalidade dinamarquesa, Clique Aqui.

Eslováquia

Filhos de pai ou mãe eslovacos. Geralmente a dupla-nacionalidade não é permitida, salvo em alguns casos, sendo possível quando a pessoa adquiriu uma outra nacionalidade adicional ao nascimento ou através do casamento. Para mais informações sobre como adquirir a nacionalidade Eslováca, Clique Aqui.

Eslovênia

Filhos de pai ou mãe eslovenos. Os descendentes até a quarta geração têm direito à cidadania por meio da naturalização. Apesar da dupla-nacionalidade ser permitida na Eslovênia, há exceções como no caso da aquisição da nacionalidade através do processo de naturalização, onde o naturalizado deve renunciar a sua nacionalidade original. Para mais informações sobre como adquirir a nacionalidade eslovena, Clique Aqui.

Espanha

Filho de pai ou mãe espanhóis, mesmo que um destes tenha nascido fora da Espanha, mas já tenha adquirido a nacionalidade espanhola. Os netos de espanhóis podem também requerer a nacionalidade até a idade de 18 anos. Caso seja maior de 18 anos, o governo espanhol permite ao neto residir no país para que este futuramente possa adquirir a nacionalidade sob determinadas condições e procedimentos, sempre e quando seu pai ou mãe já possuam a nacionalidade espanhola. Para mais informações sobre como adquirir a nacionalidade espanhola, Clique Aqui.

Estônia

Filhos de pai ou mãe estonianos. Para mais informações sobre como adquirir a nacionalidade estoniana, Clique Aqui.

França

Filhos de pai ou mãe francesa (o que estejam adquirindo a sua cidadania) ou filhos de pessoas naturais de um dos territórios pertencentes à França. Netos de franceses podem requerer a cidadania francesa sob determinadas condições e procedimentos, como, por exemplo, serem menores de 18 anos. Para mais informações sobre como adquirir a nacionalidade francesa, Clique Aqui.

Finlândia

Filhos de pai finlandês, sempre e quando este tenha confirmado a paternidade antes do filho completar 18 anos. Para mais informações sobre como adquirir a nacionalidade finlandesa, Clique Aqui. 

Grécia

Filhos de pai ou mãe grega. É necessário que o ascendente tenha registro masculino ou registros municipais na Grécia. A outra maneira de obter a cidadania grega é através da naturalização, que pode ser feita ainda no Brasil (é preciso que o requerinte prove descendência grega) ou na própria Grécia. Para mais informações sobre como adquirir a nacionalidade grega, Clique Aqui.

Holanda

Filhos nascidos após 01/01/1985 de mãe ou pai holandeses (casados) ou de mãe solteira (holandesa) têm direito a cidadania. A criança nascida de pai holandês e mãe não-holandesa, que não sejam casados, deve ser registrada pelo pai antes do nascimento para que esta possa ser reconhecida holandesa (até 2003 a criança podia ser registrada após o nascimento), salvo em casos em que a corte de justiça assim o determine. Até 1985, a cidadania holandesa só era passada através do pai, a não ser que a mãe holandesa não soubesse o paradeiro do pai de seu filho, porém em 2010 foi aprovada uma lei retroativa que reconhece filhos de mãe holandesa com estrangeiros nascidos após 01/01/1964 e antes de 01/01/1985, entretanto, para esse caso, o requerinte deve solicitar a cidadania por “opção” e preencher uma série de requisitos para a solitição da mesma. Para mais informações sobre como adquirir a nacionalidade holandesa, Clique Aqui.

Hungria

Filhos de pai ou mãe húngaros. Para mais informações sobre como adquirir a nacionalidade húngara, Clique Aqui. 

Irlanda

Filho de pai ou ou mãe irlandeses. Para mais informações sobre como adquirir a nacionalidade irlandesa, Clique Aqui. 

Itália

Todo descendente de italiano, até tetraneto, tem direito à cidadania italiana.  Entretanto, é necessário que a linha de transmissão seja seguida. Por exemplo, se sua descendência vem de seu bisavô, que é/era italiano, pai de sua vó, mãe do seu pai ou mãe nascidos antes de 01/01/1948, você, infelizmente, NÃO tem direito. Porém, se o seu bisavô italiano é/foi pai de seu avô, que gerou seu pai ou mãe, independente do ano que nasceram, você, felizmente, TEM direito. Somente uma trisavó (mulher) não transmite a cidadania a ninguém. Já se sua bisavó era italiana ou nasceu no Brasil, filha de italiano (a), ela pode passar a cidadania caso os filhos dela tenham nascido após 01/01/1948. O mesmo vale para a avó italiana ou que seja descente de italianos. Para mais informações sobre como adquirir a nacionalidade italiana, Clique Aqui.

Letônia

Filho de pai mãe letões. Caso apenas um seja letão, a cidadania só é passada quando um dos pais reside na Letônia. Para mais informações sobre como adquirir a nacionalidade letã, Clique Aqui.

Lituânia

Filhos, netos e bisnetos de Lituanos têm direito a cidadania lituana, sempre e quando estes tenham deixado a Lituânia ou foram deportados entre 15/06/1940 e 11/03/1990. Porém, é necessário renunciar a nacionalidade de origem afim de se tornar cidadão lituano. Para mais informações sobre como adquirir a nacionalidade Lituana, Clique Aqui.

Luxemburgo

Descentes de luxemburgueses. Os descendentes por linha materna só para aqueles que tenham nascido após 01/01/1869. No caso de imigrantes, é necessário que estes tenham nascido em território luxemburguês antes de 01/01/1869.Para mais informações sobre como adquirir a nacionalidade luxemburguesa, Clique Aqui.

Malta

Em teoria, todo descente de maltês tem direito. Se a descendência vem da mãe, os maiores de 18 anos devem ter nascido após 1964 e antes de 01/08/1989 para adquirir a cidadania maltesa. Para mais informações sobre como adquirir a nacionalidade maltesa, Clique Aqui. http://maltamigration.com/maltalink/legislation/dualcitizenship/citizenbirth1.shtml?s=56B5FC0B-5775C5A8-7DB827114018-3F18

Polônia

Qualquer descente do lado paterno tem direito a cidadania. Se a pessoa nasceu antes de 08/01/1951 de mãe polonesa e pai estrangeiro, infelizmente, ela NÃO tem direito. Para mais informações sobre como adquirir a nacionalidade polonesa, Clique Aqui. acesse:http://www.consuladopoloniasp.org.br/publicar/view-inf.php?id=28

Portugal

Filhos e netos de pai ou mãe portugueses nascidos em Portugal ou que, embora tenham nascido no Brasil, possuem/possuíam a nacionalidade portuguesa através dos seus pais. Os netos de portugueses que cujo pai ou mãe faleceram sem obter a nacionalidade portuguesa podem pedir a cidadania portuguesa por naturalização. Para mais informações sobre como adquirir a nacionalidade portuguesa acesse:http://www.consuladoportugalsp.org.br/

Reino Unido

Filhos de pai ou mãe britânicos. Entretanto, se o pai obtiver a cidadania britânica por descendência, este só poderá repassá-la ao filho se a criança for registrada até um ano após seu nascimento, além de ter que comprovar que residiu no Reino Unido por um período de três anos consecutivos (sem ter deixado o país por um período específico de tempo durante sua residência no UK). Para mais informações sobre como adquirir a nacionalidade britânica acesse:http://www.londonhelp4u.co.uk/cidadania_britanica.php

República Tcheca

Filhos e netos de tchecos. No caso de netos, é necessário que se solicite primeiro a cidadania do pai ou mãe descendente. Para filhos de pai E mãe tchecos, nascidos no Brasil antes de 01/10/1940 com documentos em ordem, tem direito a cidadania. Para aqueles que nasceram no Brasil  entre 01/10/1940 e 07/05/1969, filhos de pais tchecos (ambos) também tem direito quase que automaticamene à cidadania . Os nascidos entre esse período, mas que só o pai ou a mãe seja/foram tchecos é necessário que tenha sido solicitada a cidadania da criança antes desta ter completado um ano de vida. Para os que nasceram após 08/05/1969, se ambos são tchecos, a cidadania pode ser solicitada. Para aqueles de pai ou a mãe tchecos, é preciso que estes já possuíssem a cidadania no nascimento do descendente. Para mais informações sobre como adquirir a nacionalidade tcheca Acesse:http://www.mzv.cz/saopaulo/pt/Vistos_e_Assuntos_Consulares/informacoes_noticias_e_avisos/cidadania_tcheca_de_descendentes_de/index.html

Romênia

Filhos e netos de romenos. Para mais informações sobre como adquirir a nacionalidade romena acesse: http://www.cons-gen-romania-rio.com/cidadania.htm

*Bulgária e Romênia foram os últimos países a entrarem na UE, por isso os cidadãos desses países precisam de uma autorização para trabalhar nos demais estados-membros da UE.

Suécia

Filhos de pai ou a mãe suecos. Os descendentes devem solicitar a cidadania até os 22 anos. Para mais informações sobre como adquirir a nacionalidade sueca acesse:http://www.swedenabroad.com/Page____59308.aspx

POR NATURALIZAÇÃO / CASAMENTO

Alemanha

Para aqueles que tenham vivido de forma legal no país por pelo menos 8 anos consecutivos. Porém, é necessário renunciar a sua nacionalidade de origem, exceto para cidadãos da União Européia e Suiça. Para os cônjuges de alemães, basta estar casado (a) há dois anos, após três anos de residência legal. As pessoas que tiverem completado um curso de integração podem ter o tempo de residência exigido reduzido para 7 anos. Para mais informações sobre como adquirir a nacionalidade alemã através do processo de naturalização acesse:http://www.bmi.bund.de/SharedDocs/FAQs/EN/Themen/Migration/Staatsang/Erwerb_der_deutschen_Staatsbuergerschaft_durch_Eingbuergerung_en.html

Áustria

Para aqueles que tenham vivido de forma legal no país por pelo menos 10 anos consecutivos. Como na maioria dos outros países, é necessário renunciar a sua nacionalidade de origem. O tempo exigido de residência pode ser reduzido em certas circunstâncias, como, por exemplo, para os cidadãos de outras áreas econômicas da UE, estar na condição de refugiado ou então pessoas de grande destaque nas áreas das ciências, comércio, artes ou esportes. Para os cônjuges, o tempo de casamento deve ter durado, pelo menos, cinco anos, além de seis anos consecutivos de residência legal no país. Para mais informações sobre como adquirir a nacionalidade austríaca através do processo de naturalização acesse: http://www.bmeia.gv.at/en/embassy/consulate-general-new-york/practical-advice/austrian-citizenship.html

Bélgica

Para aqueles que tenham vivido de forma legal no país por pelo menos três anos consecutivos (apesar de ser permitido a pessoa ter se ausentado do país durante esse período sempre e quando esta comprove fortes laços de relação com a Bélgica). Para os cônjuges, o processo é bem mais rápido: basta provar três anos de casamento com permissão de residência legal no país para que o tempo exigido de residência para obter a cidadania por naturalização seja reduzido para seis meses. Para mais informações sobre como adquirir a nacionalidade belga através do processo de naturalização Acesse:http://diplomatie.belgium.be/en/services/services_abroad/nationality/voluntary_acquisition/application_for_naturalisation/

Bulgária

Para aqueles que tenham vivido de forma legal no país por pelo menos cinco anos consecutivos, que não tenham cometido nenhuma ofensa criminal, tenham pleno domínio da língua e meios suficientes para se manter no país. O solicitante deve também renunciar sua nacionalidade de origem. Para os casados, o tempo para obtenção da nacionalidade búlgara através de naturalização por casamento é de três anos, residindo no país de forma legal. Para mais informações sobre como adquirir a nacionalidade búlgara através do processo de naturalização acesse: http://www.bulgarianembassy.org.uk/citizenship/BGCitizenshipAct1.html

*Bulgária e Romênia foram os últimos países a entrarem na UE, por isso os cidadãos desses países precisam de uma autorização para trabalhar nos demais estados- membros da UE.

Chipre

Para aqueles que tenham vivido de forma legal no país por pelo menos 8 anos. Antes de aplicar para a naturalização cipriota é necessário comprovar 5 anos acumulados de residência legal no país, além de um certificado de boa conduta. Para os esportistas ou para os profissionais que trabalham para companhias ou governo cipriota, o tempo de residência legal exigida é de 7 anos. Para os cônjuges, após três anos comprovados de casamento harmonioso, sem o cônjuge ter entrado ou vivido em Chipre de forma ilegal.  É também necessário um certificado de boa conduta para tal solicitação. Para mais informações sobre como adquirir a nacionalidade cipriota através do processo de naturalização acesse:http://www.cyprus.gov.cy/moi/citizenscharter/citizenscharter.nsf/dmlcitizenship_en/dmlcitizenship_en?opendocument

Dinamarca

Para aqueles que tenham vivido de forma legal no país por pelo menos 9 anos consecutivos. O requerente não pode ter dívida com as autoridades dinamarquesas. Além disso, o solicitante deve ser capaz de conversação básica em dinamarquês e com sotaque natural. Como nos outros países, é preciso renunciar a sua nacionalidade anterior, exceto se o requerente vive em seu país de origem. Para os cônjuges, para cada ano de casamento diminui-se um ano do tempo exigido de residência, podendo apenas ser reduzido três anos do mesmo. Um ano prévio de concubinato pode corresponder a um ano de casado. Para os casados com dinamarqueses que moram no exterior a serviço do governo, o tempo de resiência é descontado, mesmo o casal estando fora do país. Para mais informações sobre como adquirir a nacionalidade dinamarquesa através do processo de naturalização acesse:http://www.ambbrasilia.um.dk/br/menu/ConsularServices/assuntosfamiliares/naturalizacao/

Eslováquia

Para aqueles que tenham vivido de forma legal no país por pelo menos 8 anos consecutivos, que possam ler e escrever em Eslováco, além de possuirem bom conhecimento sobre o país. Para os cônjuges, é necessário estarem casados (e morando na mesma casa, também no país) por, pelo menos, cinco anos. Para mais informações sobre como adquirir a nacionalidade eslováca através do processo de naturalização acesse: http://www.slovak-republic.org/citizenship/

Eslovênia

Para aqueles que tenham vivido de forma legal no país por, no total, 10 anos, sendo 5 consecutivos. É necessário renunciar a sua nacionalidade anterior e demonstrar fluência na língua, além de comprovar meios suficientes para se manter no país sem a necessidade da ajuda do governo e boa conduta. Para os cônjuges, é necessário dois anos de casamento e um ano de residência legal no país. Para mais informações sobre como adquirir a nacionalidade eslovena através do processo de naturalização acesse: http://www.immigrationcitizenship.eu/2005/12/slovenian-citizenship.html

Espanha

Para aqueles que tenham vivido no país por pelo menos 10 anos. Para os cidadãos de países pertencentes à Iberoamérica (todos aqueles países que foram colonizados pela Espanha e Portugal), Andorra, Filipínas, Guinea Equatorial e Portugal, o tempo de residência é de um ano. Para os cônjuges, é necessário estarem casados por pelo menos um ano com seu esposo (a) espanhol (a). Para mais informações sobre como adquirir a nacionalidade espanhola através do processo de naturalização acesse: http://www.immigrationcitizenship.eu/2005/12/spanish-citizenship.html

Estônia

Para aqueles que tenham vivido no país de forma legal por pelo menos 5 anos e que tenham familiariedade com a língua. Para a obtenção da cidadania estoniana através do processo de naturalização, é necessário passar por um teste sobre a constituição do país, demonstrar meios suficientes para se manter e fazer um juramento de lealdade. Mulheres casadas com cidadãos estonianos antes de 1992 têm direito a cidadania, as demais tem que comprovar cinco anos de casamento vigente. Para mais informações sobre como adquirir a nacionalidade estoniana através do processo de naturalização acesse: http://www.uta.edu/cpsees/estoncit.htm

França

Para aqueles que tenham vivido no país por pelo menos 5 anos consecutivos, que demonstrem terem se mantido com recursos provenientes do próprio país. Apenas é exigido dois anos de residência legal para aqueles que terminaram estudos de alto nível. Para os cônjuges, é necessário estarem casados por pelo menos cinco anos. Para os casados com franceses que vivem no exterior, é preciso registrar o casamento no consulado do país atual. Também é necessário demonstrar conhecimento na língua francesa (oral e escrita). Para mais informações sobre como adquirir a nacionalidade francesa através do processo de naturalização acesse:http://www.euskosare.org/euskal_herria/euskal_herrian_bizi/french_nationality

Finlândia

Para aqueles que tenham vivido no país por pelo menos 6 anos consecutivos e com conhecimento em uma das seguintes línguas: finlandês, linguagem dos sinais em finlandês ou sueco. Para os cônjuges, o tempo de residência legal é reduzido para quatro anos, sempre e quando estes estêm casados por mais de três anos. Para mais informações sobre como adquirir a nacionalidade finlandesa através do processo de naturalização acesse: http://www.migri.fi/netcomm/content.asp?path=8,2477,2549&language=EN

Grécia

Para aqueles que tenham vivido no país por pelo menos 10 anos, que não tenham sido convictos por um crime com prisão de mais de um ano nos últimos dez anos à soliticação de naturalização grega. Para os cônjuges que tenham dado à luz no país, o tempo de residência legal é de três anos. Para todos os requerentes, é indispensável o conhecimento da língua, da história e da civilização grega. Para mais informações sobre como adquirir a nacionalidade grega através do processo de naturalização acesse: http://www.helleniccomserve.com/greek_citizenship1.html

Holanda

Para aqueles que tenham vivido no país de forma legal por pelo menos 5 anos consecutivos. Os solicitantes da cidadania holandesa por naturalização devem estar completamente integrados à sociedade, passar no teste de língua (leitura, escrita, fala e compreensão) e participar alternativamente de um curso de integração. Nos últimos quatro anos prévios à soliticação, os requerintes não devem ter nenhuma pendência com as autoridades. Também é preciso fazer juramento de lealdade perante os valores do país. Para os cônjuges, é necessário que no momento da solitição estejam há três anos casados, vivendo sob o mesmo teto com o esposo (a). Em alguns casos, o requerinte não deve estar morando em seu país de origem e deve passar por um teste de integração cívica. http://www.minbuza.nl/en/Services/Consular_Services/Dutch_Nationality/How_can_I_acquire_Dutch_nationality#internelink3

Hungria

Para aqueles que tenham vivido no país por pelo menos 8 anos consecutivos e que não conste nenhum registro criminal no momento da solicitação do pedido. Que tenham meios suficientes para se manter no país e que passem no teste de conhecimentos básicos em estudos da língua. Para os cônjuges, o período para solicitar a cidadania húngara é de três anos após o casamento ou no caso de morte do esposo(a) húngaro(a). Para mais informações sobre como adquirir a nacionalidade húngara através do processo de naturalização acesse:http://www.mfa.gov.hu/kulkepviselet/US/en/en_Konzuliinfo/en_ki_magyarallampolgarsag.htm

Irlanda

Para aqueles que tenham vivido no país por 4 anos, nos últimos 8 anos. Na hora do pedido, é necessário ter vivido o último ano no país. É preciso demonstrar intenção de continuar vivendo no país para se tornar elegível , além de ter boa conduta. Também é necessário assinar uma declaração de fidelidade e lealdade ao país. Para os cônjuges, o tempo de casamento deve ser superior a três anos, sendo comprovada a residência do último ano  no país. Também é necessário ter vivido dois dos quatro anos consecutivos exigidos de  residência no país. Para mais informações sobre como adquirir a nacionalidade húngara através do processo de naturalização acesse:http://www.citizensinformation.ie/en/moving_country/irish_citizenship/becoming_an_irish_citizen_through_marriage.html

Itália

Para aqueles que tenham vivido no país de forma legal por pelo menos 10 anos e que possam comprovar renda suficiente para se manter no país . É necessário ausência de antecendentes penais e renúncia à cidadania de origem. Para os cônjuges, basta residir na Itália por 6 meses para que se dê início ao processo de cidadania ou três anos de casados em caso de que morem no exterior. Para mais informações sobre como adquirir a nacionalidade italiana através do processo de naturalização acesse:http://www.ambbrasilia.esteri.it/Ambasciata_Brasilia/Templates/Pagina_Interna.aspx?NRMODE=Published&NRNODEGUID={264F68D9-A753-4D96-A081-4DC9EBDB2E8}&NRORIGINALURL=%2fAmbasciata_Brasilia%2fMenu%2fInformazioni_e_servizi%2fServizi_consolari%2fCittadinanza%2f&NRCACHEHINT=NoModifyGuest

Letônia

Para aqueles que tenham vivido no país de forma legal por pelo menos 5 anos consecutivos desde 1990 e que sejam registrados no Registro de População. É necessário fluência no idioma e conhecimento b&

Autor: Connection Line
Data: 10/02/2014

Trabalhar na Nova Zelândia


A partir de janeiro de 2014, o governo da Nova Zelândia passa a adotar uma nova regra para permissão de trabalho de estudantes que vai facilitar a estada dos intercambistas brasileiros: os alunos que estiverem matriculados em cursos com 14 semanas ou mais de duração já sairão do Brasil com a permissão para trabalhar na Nova Zelândia. A regra vale para os cursos vinculados às escolas chanceladas pela NZQA (New Zealand Qualifications Authority) como de Categoria 1, consideradas as principais instituições do país. O curso deve ser de período integral (minimo de 20 horas de estudo por semana) e duração minima de 14 semanas.

Com a nova permissão, os estudantes brasileiros poderão trabalhar 20 horas semanais durante sua estadia na Nova Zelândia.
Poderão trabalhar em período integral durante as férias do curso apenas estudantes em cursos de duração superior a 12 meses.

Entre os setores da economia neozelandesa que mais contratam estrangeiros estão o agrícola, com destaque para o cultivo de frutas e para a pecuária, a construção civil e o de serviços, como restaurantes, bares e hotéis.

Obs: Regras para escolas Categoria 2 do NZQA permanecem inalteradas, sendo necessário curso com duração de pelo menos 6 meses e obter nota 5.0 no IELTS. Portanto recomendamos estudos de inglês apenas nas escolas Categoria 1 para você já sair com sua permissão de trabalho sem maiores custos e burocracias.

Permissão de trabalho através de cursos técnicos

Estudar um Diploma level 5 ou superior, concede ao estudante a permissão de trabalho. Estes cursos são muito procurados por estudantes que querem trabalhar na Nova Zelândia por um longo período. O estudante deve ter o inglês equivalente ao IELTS 5.5 pelo menos. Nesse caso algumas escolas que oferecem Cursos Técnicos podem avaliar o estudante com a sua prova interna que é gratuita. Essa prova é feita em nossa própria agencia e depois enviada para ser corrigida pela escola. Se o estudante conseguir os 5.5 exigidos poderá ingressar no curso.

Residencia Permanente

Para os estudantes que desejam ficar por um longo período, o curso de business ainda permite que após terminá-lo o estudante pode ficar mais 1 ano só trabalhando, pois é garantido o recebimento de um visto de trabalho aberto chamado Work Job Search Visa. Esse é o pathway para aplicar para a residencia permanente. Se durante o período que o estudante estiver com esse visto de trabalho, conseguir uma oferta de trabalho relacionada a sua formação, ele consegue aplicar para um visto de 2 anos vinculado ao empregador.

Atenção: leis e regras de residencia permanente são alteradas constantemente pelo departamento de imigração da Nova Zelândia, recomendamos que você busque mais informações sobre o Skilled Migrant Category e/ou consulte um agente de imigração.

TRABALHO PARA ESPOSA (A) DO ESTUDANTE

Para os estudantes que ingressam no curso de diploma e tem esposa (o) que deseja viajar junto, a (o) esposa (o) ou companheira (o) pode ficar como turista pelo período em que o estudante estiver estudando, não importa se 1 ou 2 anos, porem não poderá trabalhar. Após a aplicação do visto de trabalho aberto, depois de completar o curso, esse visto é extensível a (o) esposa (o). Para cursos de graduação ou superior, a (o) esposa (a) já obtém o visto de trabalho aberto desde o inicio, ou seja pode trabalhar tempo integral durante todo o período de estudos do cônjuge. Ao termino do curso, o visto de trabalho aberto concedido ao estudante também é extensível a esposa (o).

Detalhes completos de requerimentos de visto e permissões, consultas sobre direitos para trabalho na Nova Zelândia enquanto estiver estudando, e requerimento de pedidos estão disponíveis através do serviço de Imigração da Nova Zelândia, e podem ser vistos na sua página da internet no endereço: www.immigration.govt.nz.

Autor: Connection Line
Data: 06/02/2014

Depoimento!

São depoimentos assim, como o da Mariah, que nos movem. Ela viajou com a gente e montou o blog Diário de intercâmbio, onde ela ela relata tudo sobre a sua experiência. 

Eu sou a Mariah Montenegro, tenho 16 anos e fui intercambista por um ano em Louisiana, EUA. Minha experiência de intercâmbio foi melhor do que esperava! Não seria exagero dizer que foi perfeita, mesmo nos momentos mais difíceis, pois cada momento me fez aprender e ganhar maturidade. Foi, sem dúvidas, a melhor decisão que podia ter feito! O intercâmbio me deu uma segunda família, um segundo lar, duas irmãs (outras intercambistas européias que moraram comigo) e amigos do mundo todo. O intercâmbio me fez rir e chorar, crescer, ganhar independência e sentir na pela como é a vida real. Mas, acima de tudo, o intercâmbio me fez abrir a cabeça e ver o mundo! Desde o momento em que pisei dentro do avião para voltar ao Brasil, eu sinto saudade de lá. Eu não sabia que tinha um sonho, até estar vivendo ele!

Autor: Connection Line
Data: 04/02/2014

Atrações baratas, ou gratuitas, para visitar em Dublin

Dublin Castle

Com passeios guiados ou livres, esse é um dos pontos mais conhecidos e importantes da cidade. Por 700 anos, desde sua construção, no século 13, o Dublin Castle serviu de fortaleza, prisão, casa do tesouro e da justiça e sede da administração inglesa para os ingleses. Foi ao ser redor que Dublin (chamada Dubh Linn) nasceu e se desenvolveu e o prédio que hoje abriga somente uma torre original, de 1226, é onde acontecem as recepções oficiais do país. A entrada custa atualmente €4.50 para adultos e €3.50 para estudantes! 

Kilmainham Gaol

Prisão mais importante da Irlanda, construída em 1796, ela serviu de cenário para execuções, torturas, prisões de rebeldes e o enclausuramento de figuras notórias. É uma maneira inusitada (e um tanto sangrenta) de conhecer a história de Dublin. As visitas pela cadeia são sempre guiadas e o valor de entrada é mínimo comparado à aula de história que ela proporciona. Atualmente a entrada para adultos é de €6.00 e estudantes pagam €2.

The National Museum of Ireland – Natural History

Popularmente conhecido como Dead Zoo, o museu de História Natural é um dos mais legais de Dublin, pois há uma enorme variedade de bichos empalhados e esqueletos que demonstram, em especial, a fauna irlandesa. E se liga, nesse a entrada é gratuita.

St. Patricks Cathedral

A St. Patrick s Cathedral é a mais jovem das duas catedrais de Dublin. Ela foi construída apenas em 1191, enquanto a Christ Church Cathedral data de 1028. Trata-se da maior igreja da Irlanda, ela encontra-se no epicentro da história de Dublin e da Irlanda há mais de 800 anos. Atualmente a entrada é de €5,50.

National Botanic Gardens

O National Botanic Gardens é lindo. Oferece uma variedade enorme de plantas, flores e árvores que enchem os olhos. O espaço é calmo, tranqüilo e um passeio por ele é inesquecível, além de tudo o espaço é muito bem mantido e organizado apoiando iniciativas de preservação, educação e pesquisa. Mais um passeio com entrada gratuita por Dublin.

Casino Marino

O Casino Marino (que significa algo como Casinha de Marino) fica afastado do centro de Dublin e permite um passeio diferente. O prédio é um belíssimo exemplar de construção neo-clássica que carrega inúmeras curiosidades e segredos arquitetônicos. Primeiro que todo o trabalho foi criação de um arquiteto que nunca pisou na Irlanda e se você acha que ele é pequeno vai ficar espantado ao descobrir que seus 3 andares (sim, três andares) contém na verdade 16 cômodos! A entrada custa €3 para adultos e €1 para estudantes.

Phoenix Park

O Phoenix Park possui 702 hectares e é o maior parque fechado da Europa. Localizado a 3 km do centro de Dublin, próximo à Fábrica da Guinness, o Phoenix Park é o lugar ideal para um passeio demorado. Você vai poder admirar os belos jardins, os monumentos, e se estiver com tempo, pode até fazer um piquenique em um dos gramados rodeados de árvores.

No interior do parque, o turista também terá acesso ao Zoológico de Dublin, um dos zoos mais antigos do mundo, com 28 hectares. O zoológico abriga cerca de 400 animais, divididos em diversas áreas ambientadas, como as “Planícies Africanas”, “Margens do ártico”, “Mundo dos Primatas” e “Fazenda urbana”, para os animais típicos de fazenda. O zoológico é um atrativo a mais para quem for visitar o Phoenix Park. A entrada para o parque é gratuita, já para o zoo ela custa €15,50.

Autor: Connection Line
Data: 27/01/2014

Vai de mochila? França e Brasil assinarão acordo para visto mochileiro

Normalmente avesso a qualquer tentativa de imigração para seu país, o governo francês tomou a iniciativa de pedir ao Brasil a criação de um visto que permitirá um intercâmbio de "mochileiros".

O acordo, que deverá ser assinado nesta quinta-feira, 12, durante a visita do presidente François Hollande a Brasília, prevê que jovens entre 18 e 30 anos possam fazer turismo e trabalhar, ainda que limitadamente, no Brasil e na França, por até um ano.

Hoje a França não exige visto de brasileiros para turismo, mas o limite de estadia é de apenas três meses, sem direito a trabalhar. O Brasil adota os mesmos limites para franceses que vêm ao País - assim como para outros europeus -, dentro do princípio de reciprocidade.

De acordo com fontes do Itamaraty, a França já havia pedido há algum tempo a criação de um visto especial para jovens, e há cerca de seis meses o governo brasileiro conseguiu desenvolver uma fórmula jurídica para mudar a legislação, já adotada com a Nova Zelândia.

Em princípio, o visto será limitado pela idade dos viajantes e também na quantidade que poderá ser concedida todos os anos. Também deverá ser exigido seguro-saúde e provas de recursos financeiros suficientes para o jovem viajar, mesmo que a ideia seja que ele possa fazer algum trabalho para complementar essa renda.

O acordo turismo-trabalho - ou visto mochileiro, como está sendo chamado pelo governo - ainda precisa ser ratificado por Câmara e Senado, já que muda a legislação brasileira. A expectativa, no entanto, é que possa entrar em vigor já em 2014, já que, como existe um precedente, o processo pode ser rápido no Congresso.

Apesar de ser o acordo que afeta mais diretamente o dia a dia de brasileiros e franceses, a visita de François Hollande tem implicações econômicas e políticas bem maiores que o visto mochileiro. O presidente francês retribui a visita de Estado feita pela presidente Dilma Rousseff em dezembro de 2012 a Paris e traz consigo entre 40 e 50 empresários do seu país, incluindo representantes da indústria automobilística, de empresas de alimentos, como o grupo Cassino, que trabalha com o Pão de Açúcar no Brasil, e o CEO da Dassault, Eric Trappier, que se junta ao eterno lobby francês para vender os caças Rafale ao Brasil.

Perguntado se, com os constantes adiamentos e a garantia da presidente de que o Brasil não fará a compra agora, em meio à crise econômica que ainda parece longe de terminar, a França tinha deixado o assunto em segundo plano, o embaixador da França no Brasil, Denis Pietton, afirma que seu país "não desistirá jamais".

"Não faremos pressão, mas é evidente que o presidente Hollande vai reiterar que a proposta do Rafale está presente e é muito interessante para o Brasil na questão da transferência de tecnologia. Se trata de uma aeronave que já demonstrou sua capacidade em operações", disse o embaixador.

Fontes do governo brasileiro, no entanto, confirmam que nada deve sair dessa visita. O Brasil não tem orçamento em 2014 para compra dos caças e o negócio continua congelado.

Acordos

A visita deverá trazer frutos na área de educação. Serão assinados acordos para criação de um mestrado profissional na França para brasileiros, do programa Francês sem Fronteiras, para ampliar o ensino da língua no Brasil, e da inserção de mil jovens universitários brasileiros em um programa de estágio em empresas francesas - 500 na França e 500 em empresas com filiais no Brasil.

Também está previsto um acordo entre a Fundação Osvaldo Cruz e o Instituto Pasteur para produção de uma vacina heptavalente, a ser distribuída no sistema de saúde pública dos dois países.

Autor: Revista Exame
Data: 16/12/2013

High School: um primeiro passo para um mundo maior

Estudar no exterior é o sonho da maioria dos jovens brasileiros e essa experiência tem um impacto em diversos aspectos na vida do intercambista. Aspectos pessoais e profissionais: o intercâmbio pode significar um salto na futura carreira, o aprimoramento de um idioma, networking internacional e crescimento pessoal.

O High School é o intercâmbio de Ensino Médio no exterior, ideal para estudantes entre 15 e 19 anos que já possuem um conhecimento intermédiário do idioma escolhido. O programa é um verdadeiro mergulho em uma nova cultura e substitui o mesmo período de estudo do Ensino Médio no Brasil. 

Como funciona? Você vai frequentar as aulas em uma escola e morar como se fosse filho com uma família local – literalmente. Você passa a ver o mundo de outra forma, aperfeiçoa um idioma, aprende expressões, gírias e a maneira cotidiana de falar que só é possível morando em outro país.

Além disso, você conquista sua independência, autoconfiança, responsabilidade e amadurecimento. Aprende que estar distante dos parentes e amigos brasileiros é fundamental para deixar a timidez de lado e fazer novas amizades.

Você vai descobrir que o contato com uma cultura diferente abre a cabeça, nos torna mais flexíveis e adaptáveis para enfrentar o mundo com mais segurança.

O High School é a maneira mais completa e acessível de aprender a cultura e a língua de um país e adquirir uma formação diferenciada. São mais de 10 destinos a sua escolha e tudo isso é muito mais simples do que você imagina, principalmente com o apoio da Connection Line.

Autor: Connection Line
Data: 30/10/2013

O melhor caminho é o seu caminho pessoal

Queridos amigos e amigas: nessa etapa da sua jornada, em que está planejando fazer um intercâmbio e ficar longe de seu país, nós da Connection Line e da Equipe Andrea Sebben, viemos lhe desejar um caminho. Um caminho espontâneo e genuíno, no qual você encontre na saudade, a força interna para transpor obstáculos e outras coisas importantes da vida.

Então, quer saber? Percorra um caminho exclusivamente seu. Construa seu caminho. Queremos apenas lhe desejar um caminho longo, largo, cheio de gratificações – e sabemos que por mais lindo que seja o nosso caminho, jamais chegará à beleza de sua criatividade, de seu caminho pessoal.

Podemos apenas desejar-lhe o que nossa limitada imaginação pode oferecer. E talvez por mais que nos esforcemos, não conseguiremos nunca oferecer o caminho que você precisa, que você deseja fazer. Por isso apenas imaginamos, desejamos. Como saber a necessidade de cada pessoa? Não temos esse poder. Mas VOCÊ tem o poder de descobrir o que faz sua alma cantar e que traz sentido para o despertar diário do seu relógio. Como sempre falamos, em qualquer lugar do mundo.  Esse é um direito que ganhamos ao nascer para se aventurar neste planeta. Se aproprie dele!

Bem, mas você sabe o que é, de fato, importante para você?

Nesta resposta, inteiramente sua, estão a aquarela, os pincéis e todos os instrumentos necessários para fazer seu caminho pessoal se tornar uma bonita obra de arte. A obra-prima da sua vida, que nada mais é o caminho que você escolher percorrer. Os instrumentos estão dentro de você, mas eles somente resultarão numa linda obra, se o seu coração escolher as cores e as suas mãos trabalharem para isso.

Mesmo que no caminho longo e farto de surpresas, onde você dará as mãos para pessoas especiais, terá suas crenças e seus protetores, onde passará por rios, oceanos, terras desconhecidas e muitos acontecimentos balancem suas verdades, desarrumem os cômodos... Sempre haverá uma clareira, um lugar de aconchego onde você possa descansar quando quiser. Pare de vez em quando... O caminho é seu, afinal! Aproveite-o como quiser!

Sugerimos apenas que, por mais caloroso e confortante que seja esta clareira, não se mantenha nela por muito tempo. Há muito ainda a ser percorrido... Talvez buracos, tempestades, talvez centenas de pegadas áridas você encontre... Não se atormente: é o seu caminho!

Há passagens que não há como evitar. Mas também não perpetue seus dias a lamentar por um pedaço arenoso. Saia dele, não fique parado ali... Coisa melhor o espera bem ali! Ali adiante, depois da curva, a paisagem de um rio. Ali há rochas, pequenas cascatas, árvores pródigas em flores e furtos.

Queremos desejar-lhe alegria, descanso, serenidade! Lembrará apenas que cada pegada é uma nova promessa, que devemos saber desfrutar de todas as etapas – aproveitar nosso caminho e confiar na nossa capacidade de percorrê-lo da melhor maneira!

Uma boa viagem e seja muito feliz!

Autor: Connection Line
Data: 28/10/2013

Choque cultural: entenda e aprenda a lidar com ele


 

Choque cultural é um tema muito discutido entre intercambistas e, sim, ele sempre acontece. Entenda um pouco mais sobre o assunto com o texto do Lucas Hackradt, especialista em Aprendizagem Intercultural e colunista do Estudar Fora, reproduzido aqui. Sem fronteiras: Choque Cultural Esta semana resolvi falar sobre um tema que já virou até jargão. O tal do choque cultural. Muito provavelmente nove em cada dez pessoas que já tiveram, ou terão, alguma experiência no exterior já ouviram falar nessa expressão e já foram de alguma forma introduzidos a este conceito. Para entender melhor o que é choque cultural, minha analogia favorita é a do modelo de cultura desenvolvido pelo antropólogo estadunidense Edward T. Hall. Ele metaforizou o conceito de cultura como sendo um Iceberg. Sobre a superfície do oceano está apenas a ponta do Iceberg; só 10% da grande pedra de gelo, que é o que nós conseguimos enxergar. Abaixo da superfície, nas profundezas, os outros 90% se escondem. A imagem, famosa mundo afora, é esta: (não consegui achar uma versão em português, mas é um inglês simples). Choque cultural é um tema muito discutido entre intercambistas e, sim, ele sempre acontece. Entenda um pouco mais sobre o assunto com o texto do Lucas Hackradt, especialista em Aprendizagem Intercultural e colunista do Estudar Fora, reproduzido aqui. Sem fronteiras: Choque Cultural Esta semana resolvi falar sobre um tema que já virou até jargão. O tal do choque cultural. Muito provavelmente nove em cada dez pessoas que já tiveram, ou terão, alguma experiência no exterior já ouviram falar nessa expressão e já foram de alguma forma introduzidos a este conceito. Para entender melhor o que é choque cultural, minha analogia favorita é a do modelo de cultura desenvolvido pelo antropólogo estadunidense Edward T. Hall. Ele metaforizou o conceito de cultura como sendo um Iceberg. Sobre a superfície do oceano está apenas a ponta do Iceberg; só 10% da grande pedra de gelo, que é o que nós conseguimos enxergar. Abaixo da superfície, nas profundezas, os outros 90% se escondem. A imagem, famosa mundo afora, é esta: (não consegui achar uma versão em português, mas é um inglês simples).


 

O Iceberg cultural, assim como imaginou Edward T. Hall Como vocês podem ver, de acordo com a definição de Hall, quando nós vamos estudar fora e conhecemos pessoas de outros lugares, a princípio nós só conseguimos enxergar o que existe de mais superficial em suas culturas. Não é à toa que costumamos cair em estereótipos e dizer que americanos só comem fast-food, ou que alemães são sempre pontuais, ou que franceses não gostam de tomar banho. A verdade, no entanto, é que os valores realmente importantes das culturas estão baixo da superfície, em um lugar que nós dificilmente conseguimos enxergar. Voltando à imagem do iceberg, imaginem como seria o iceberg brasileiro. Teríamos no topo coisas como samba, carnaval, caipirinha, futebol… E na nossa base? Alguns valores do brasileiro, como informalidade, coletivismo e família comporiam a parte maior a mais sólida do nosso iceberg, e estariam todas escondidas. Imaginem agora, por exemplo, o iceberg dos Estados Unidos, país para o qual muitos podem ir estudar. No topo estaria o fast-food, seriados, mas na base, sólida e maciça, estariam valores como o individualismo, capitalismo e a formalidade para negócios. A graça desse modelo é que imaginar como é a situação de “choque” – e daí a expressão choque cultural – é fácil. A cultura brasileira, ou o iceberg brasileiro, está calmamente flutuando no oceano em direção à cultura americana – o iceberg dos EUA. Para quem vê de cima da superfície, as duas pedras de gelo podem até estar próximas, porém sem se encostar. Mas quem está mergulhando verá que é justamente as bases dos icebergs, os valores mais enraizados em cada cultura, que se colidem primeiro. Usando o meu exemplo, dois valores que se chocariam seriam o individualismo americano e o coletivismo brasileiro. Para o estudante brasileiro que vai aos EUA, esse choque de valores pode ser sentido rapidamente pela dificuldade em se fazer amigos de verdade, pelo alto grau de independência e pela forma como a maioria dos americanos encara a vida. Já para eles, pode soar estranho que aos 20 e poucos anos muitos de nós ainda more em casa. O importante, em um caso de choque como este, é conversar sobre o assunto e procurar entender os diferentes valores de cada cultura – que nem sempre serão tão claros como o exemplo que acabo de dar. É claro também que a expressão “choque cultural” tem inúmeras outras interpretações de diversas outras áreas de estudo. O termo também pode ser compreendido pela fase de turbulência emocional pela qual toda e qualquer pessoa que vive no exterior passa durante sua adaptação. Mas, com o Iceberg, é importante perceber que, não importa por quanto tempo você esteja se predispondo a estudar fora, inevitavelmente um choque entre duas culturas acontecerá. E para conseguir superá-lo e aprender com sua experiência, você deve ter consciência de que não é a língua, a dança ou a comida brasileira versus a de seu país hospedeiro que mais vai lhe dar dor de cabeça, mas os valores mais intrínsecos àquela cultura. Se alguém quiser ler mais sobre o assunto ou se inteirar, recomendo visitar o website do AFS Intercultural Programs e ler algumas das matérias intitulados “IC"

Autor: Connection Line
Data: 16/08/2013

Cada cidade do mundo é única

Quando decidimos fazer um intercâmbio e começamos a procurar uma cidade destino nós nos deparamos, geralmente, com duas situações: uma cidade com características totalmente opostas a nossa cidade de origem ou uma cidade mais “parecida” – talvez com o mesmo clima ou estilo de vida.

Porém, devemos sempre lembrar-nos que cada cidade no mundo é única. Cada uma tem suas características, ritmo e personalidade.

Vamos destacar hoje por aqui uma cidade da qual muitas vezes ouvimosé igual a São Paulo”.Essa cidade é Toronto.

Confira alguns aspectos que fazem de Toronto uma cidade única e um ótimo destino para quem quer morar, estudar, conhecer uma nova cultura e, claro, se divertir!

***

Toronto é a maior cidade do Canadá, e 4ª maior da América do Norte, atrás apenas da Cidade do México, Los Angeles e Nova York.

Cidade segura e povo tolerante

99% da cidade é muito segura em qualquer hora do dia ou da noite, e as pessoas podem andar à pé ou de transporte público, sem se preocupar em serem abordadas. A população é acostumada com turistas, estudantes e imigrantes, e assim tolerante com as pessoas que não falam bem Inglês.

Centro comercial do Canadá

Os centros comerciais, chamados de “plazas” estão espalhados por toda cidade, sem distinção: todas as regiões da cidade têm bom comércio. Além disso, Toronto tem a maior cidade subterrânea do mundo, com 28km de extensão, que é como um imenso Shopping Center debaixo da terra, e 5 Shopping Centers de grande tamanho, além dos Outlets em cidades da região metropolitana.

Centro de cultura e de entretenimento do Canadá

Durante o ano todo Toronto tem muitos eventos acontecendo como shows, teatros e os mais variados festivais. A cidade tem também muitas atrações permanentes, dentre elas: CN Tower, Royal Ontario Museum, Casa Loma, Zoológico, Ontario Science Centre, Art Galery of Ontario.

Natureza em todo lugar

Toronto tem mais de 400 parques dentro da cidade, de variados tamanhos, que são opção de lazer gratuita. A cidade está localiza às margens do Lago Ontário, um dos grandes lagos da América do Norte, que oferece algumas praias com vôlei de areia, e onde fica a Toronto Island, com mais opções de lazer.

Cidade multi-cultural

Você sabia que em Toronto pode-se provar da comida de todos os cantos do mundo? Toronto é conhecida pelo multi-cultu-ralismo e você pode experimentar novos sabores por preços acessíveis, e conhecer diferentes culturas. Existem opções para todos os gostos e bolsos!

Centro esportivo do Canadá

É a única cidade do Canadá com 5 grandes times profissionais: Toronto Blue Jays (baseball); Toronto FC (futebol); Toronto Raptors (basquete); Toronto Maple Leafs (hockey), Toronto Argonauts (futebol americano); além de outros times profissionais em ligas menores de diversos esportes.

Autor: Cornerstone Academic College
Data: 03/07/2013

Concurso Cultural - Quer estudar em Montreal?

A Connection Line e a escola ATPAL lança concurso cultural em sua fanpage.

Para concorrer, você terá que formar uma frase contendo as palavras Connection Line e Montreal.

O Vencedor que formar a frase mais criativa, ganhará um intercâmbio de 12 semanas com 2 semanas de acomodação em Montreal, Canadá

Até o dia 20 de junho estaremos recebendo as frases

E até o dia 30 de junho teremos o resultado, que será divulgado no Facebook

Para participar você deve compartilhar este post, visualizando como público, curtir a página oficial da Connection Line no Facebook e enviar a frase no e-mailmkt@connectionline.com.br e colocando o link do seu Facebook sobre este post no seu perfil.

O Regulamento do concurso está no nosso Blog -http://www.connectionline.com.br/blog.php


REGULAMENTO DO CONCURSO CULTURAL - QUER ESTUDAR EM MONTREAL?


1- Este concurso cultural, promovido pela Connection Line Intercâmbio Cultural e Viagens com sede na Av. Paulista, 807 - conjunto 718, Cerqueira César, CEP 01311-915, inscrita no CNPJ 64.606.759/0001-03, tem por finalidade a interação dos usúarios do Facebook com a marca Connection Line, por meio de geração e envio do material criativo.

2- Cada usúario poderá participar apenas uma única vez. Para participar você deve compartilhar este post, visualizando como público, curtir a página da Connection Line no Facebook e enviar a frase no e-mail mkt@connectionline.com.br e colocando o link do seu Facebook sobre este post no seu perfil.

3- Este concurso possui caráter exclusivamente cultural, não envolve qualquer modalidade de sorteio ou pagamento por parte dos participantes, não requer a aquisição ou uso de qualquer direito, bem como serviço ,em consonância com os artigos 3º, inciso II, da Lei nº 5.768/71 e o 30 do Decreto-Lei nº 70.951/72.

4- É vedada a participação de: empregados, administradores e diretores da Connection Line, bem como seus respectivos cônjuges e familiares em até 1 grau

5- Este concurso é destinado exclusivamente a pessoas físicas, residentes e domiciliados em território brasileiro, que tenham mais de 18 anos. A participação de pessoas jurídicas é afastada deste concurso.

6- A participação do concurso é livre a todos os usuários que possuem acesso a internet e cadastro no Facebook, e que se adéquam aos ítens 4 e 5 do presente regulamento.

7- O concurso terá inicio as 00h30m do dia 17 de maio de 2013, quando será divulgado no Facebook e vigorará até as 23h59m do dia 20 de junho de 2013.

8 - O vencedor será anunciado no dia 30 de junho de 2013 no Facebook.

9 - Somente serão aceitas participações que preencham todas as condições aqui previstas e estejam de acordo com o procedimento previsto neste regulamento. Os dados do participante serão coletados por meio do seu próprio perfil e e-email. Os dados deverão ser corretos, atualizados e precisos, sendo que a sua veracidade será de total responsabilidade do participante sob pena de desclassificação de acordo com os termos do presente regulamento.

10 -Será considerado ganhador o participante que cumprir a mais criativa frase. O ganhador será contemplado os os seguintes ítens :

10.1 - 12 semanas de curso de Inglês ou Francês em Montreal, Canadá na escola ATPAL-www.atpalcanada.com

10.2 - 2 semanas de acomodação em Residência estudantil, quarto duplo sem refeição

10.3 - Não estão incluídos nesta premiação: passagem aérea, acomodação para o restante do periodo (10 semanas), material didático, traslados, emissão de passaporte, visto e despesas pessoais.

10.4 - O curso deverá ter início no máximo até o dia 16/setembro/2013.

10.5 -Caso o prêmio não seja reclamado em até 30 (30 dias) dias após o julgamento ou o ganhador não seja localizado no mesmo período, este perderá o direito ao prêmio e será substituído por aquele ganhador subseqüente, de acordo com os critérios já estabelecidos conforme sua classificação.

11 - A premiação deverá necessariamente ser usufruída unicamente pelo vencedor, sendo intransferível e em hipótese alguma poderá ser trocada ou negociada por qualquer valor, seja monetário ou de outra natureza.

12 - No decorrer do dia 20 de junho de 2013, o concurso será oficialmente finalizado, e será selecionado o vencedor do concurso. A divulgação do resultado será no Facebook após essa data.

13 - Uma vez divulgado o resultado do concurso, a Connection Line entrará em contato com o ganhador em até 05 dias úteis e indicará um endereço eletrônico para comunicação entre o ganhador e a Connection Line. Por meio de referido endereço eletrônico, o ganhador deverá agendar a solicitação do prêmio a que faz jus de acordo com o presente Regulamento. Para a operacionalização da viagem de prêmio, devendo o próprio ganhador assinar o recibo de entrega do prêmio, apresentando todos os documentos necessários para viagem.Caso o agendamento da entrega do prêmio não seja realizado de maneira a permitir o cumprimento do referido prazo, o ganhador perderá o direito ao prêmio.

14 - Na hipótese do ganhador não ser localizado após 3 (três) tentativas em razão de inexistência, inexatidão ou insuficiência das informações extraídas do seu perfi no Facebook pelo ganhador do concurso, ou, ainda, na hipótese de localização do ganhador sem que, contudo, na disponibilidade do premiado, seja comprovada a sua identidade (apresentação de identidade com foto) a entrega do prêmio não será efetivada.

15 - No caso de indícios de fraude ou de qualquer outro ato de má fé, desrespeito ou ofensa durante a participação no concurso, o participante será excluído automaticamente da competição. Caso o fato tenha sido apurado após a indicação de um ganhador, o mesmo perderá o direito ao prêmio e a Connection Line premiará o participante subsequente, conforme a apuração dos resultados do concurso.

16 - A Connection Line não se responsabiliza pela obtenção e aprovação de vistos que venham a ser necessários, assim como emissões de passaporte ou qualquer outro documento pessoal que seja necessário para o ganhador poder usufruir da viagem. Caso o premiado tenha seu visto negado ou não possua documentação completa até o final do período limite para gozar do prêmio, este perderá o direito a premiação.

17 - Os participantes autorizam o uso pela Connection Line seu exclusivo critério de forma definitiva, ou seja, por prazo indeterminado, de suas imagens, som de voz e nomes em filmes, vídeos, fotos, anúncios em jornais e revistas para divulgação dos resultados deste concurso, inclusive na internet, além da utilização e publicação dos resultados nos canais de comunicação oficiais da Connection Line para promoção institucional, divulgação, apresentação de cases e finalidades assemelhadas, sem nenhum ônus para a Connection Line.

18 - A participação neste concurso não gerará ao participante e/ou ganhador qualquer outro direito ou vantagem que não estejam expressamente previstos neste regulamento.

19 - A participação no concurso, objeto desta atividade cultural, implica a ciência e a aceitação total e irrestrita de todos os itens deste Regulamento e serve como comprovação de que o participante não possui qualquer impedimento legal para participar do concurso e usufruir da premiação.

20 - A Connection Line reserva-se o direito de usar as informações obtidas no perfil do participante, ou eventualmente demandadas com a única e exclusiva finalidade de localização e identificação do ganhador e para divulgar suas ações/promoções. Ressalva-se, entretanto, que tais informações não serão comercializadas.

21 - Eventuais dúvidas relacionadas a este concurso e seu regulamento podem ser esclarecidas por meio do e-mail:mkt@connectionline.com.br

22 - Tendo em vista as características inerentes ao ambiente da Internet e de redes sociais, a Connection Line não se responsabiliza por interrupções ou suspensões de conexão ocasionadas por casos de força maior ou outros casos não integralmente sujeitos ao seu controle.

23 - A Connection Line reserva-se no direito de alterar qualquer ítem deste regulamento, bem como interromper o concurso, se necessário for, mediante prévio aviso de 2 (dois)dias, por meio de comunicação destinadas a todos os participantes, através de nota no Blog Connection Line, os quais, caso não concordem com os termos alterados, poderão a qualquer momento solicitar o cancelamento de sua inscrição e exclusão do concurso.

Autor: Connection Line
Data: 17/05/2013

Mitos sobre viagens em aviões

Para muitas pessoas viajar em avião é a coisa mais prazerosa que existe, e de fato é muito gostoso, porém existem situações que podem fazer desse momento um pesadelo. Muitas delas são mitos, que ficam no imaginário popular, por isso é bom desvenda-las:


* Pode se abrir a porta dos vôos comerciais: Mito
A porta do avião se mantém completamente fechada durante os vôos, sendo impossível abri-las quando o avião esta no ar e se mantém a pressurização da cabine. É por causa da pressão que a cabina se lacra e não há forma de abri-las.

* Se a cia aérea perde a sua bagagem paga pelo prejuízo: Mito.
Na letra pequena da nossa passagem podem haver surpresas desagradáveis. As cia aéreas pagam uma quantia pelo fato de perder a sua bagagem, mais essa quantia cobre um custo promédio do conteúdo em caso de que não se recupere. Faça um inventário dos seus pertences e leve um recibo das coisas que tenha comprado. Porém a situação que descrevemos se tem registrado que só 1 ou 2% das bagagens transportadas se perde.

* Se usar telefone celular no avião o fará explodir. Mito.
Na década dos 90 existia a proibição do uso dos telefones celulares, pelo fato de que interferissem nos aparelhos do piloto, o que poderia causar uma tragédia. Mas um estudo feito pela Administração Federal de Aviação, não pode comprovar nada disto, e a proibição se manteve em algumas cia aéreas, porém outras liberaram o seu uso.

* Viajar em primeira classe custa caríssimo: tem muito de verdade nisso, mas os preços se tornaram muito competitivos pela oferta, por isso é um luxo viajar em primeira classe. Para obter pouca diferença entre classe turista e primeira classe, fique atento as ofertas que possam surgir. Se você comprar a sua passagem com tempo saíram mais baratos.

* Todo o mundo fala inglês: Mito.

O inglês é o idioma mais usado no mundo, porém nao é garantia que se fale em todo lugar que você visitará. As pesquisas indicam que 1,8% da população

Autor: Connection Line
Data: 02/05/2013

Descubra Ontário

Festivais e eventos de verão

Quando chega o verão, Ontário promove a diversão em centenas de festivais e eventos especiais. Desde festivais e desfiles exuberantes até eventos de arte e música fascinantes e competições e jogos animados, há uma ocasião festiva para todos.

Toronto está repleto de eventos empolgantes. Experimente o multiculturalismo da cidade no Krinos Taste of the Danforth, Corso Italia Toronto Fiesta e Scotiabank Caribana Festival – um caleidoscópio de fantasias cintilantes, pratos e ritmos do Caribe. Comemore a diversidade da comunidade LGBT durante a Pride Week (Semana do Orgulho) de Toronto, uma das maiores celebrações desse gênero da América do Norte. Em julho, os carros da corrida Honda Indy Toronto queimam o asfalto das ruas do centro da cidade.

Comemore o aniversário da nossa nação em 1o de julho com eventos de entretenimento, fogos de artifício e festividades no Dia do Canadá. Cada comunidade comemora de sua própria maneira – e a maior festa é em Ottawa, a capital da nação. Entre Ottawa e Toronto, aproveite a diversão e o sol em dezenas de festivais e regatas.

Curta o swing, be-bop e todo o jazz possível em seis festivais diferentes na Área da Grande Toronto (GTA), no Festival Internacional de Jazz de Ottawa e no Festival de Blues Cisco de Ottawa. Deixe-se levar pelas relaxantes melodias da música clássica no Festival do Som em Parry Sound, na região de Muskoka, ou pelo Festival das Raizes Celtas em Goderich, às margens do Lago Huron.

Mais ao norte, receba comerciantes de peles em trajes típicos no Grande Rendezvous do Parque Histórico de Forte William, em Thunder Bay, ou seja recebido por dançarinos aborígenes com trajes coloridos no Festival Cultural de Wikwemikong, na Ilha Manitoulin.

O verão não estaria completo sem os 10 dias de tietagem quando Hollywood vem para o norte durante o Festival Internacional de Cinema de Toronto.

Atrações

Desde a ponta de Pelee Island até as margens da Baía de James, alista de coisas para ver e fazer em Ontário é quase inimaginável. Descubra um mundo de atrações em Toronto. Aviste a cidade de Ottawa a partir do Morro do Parlamento. Explore galerias de arte, museus e locais históricos. Descubra Niagara Falls por terra, água ou ar. Busque a aventura em incontáveis atrações ao ar livre, parques, áreas de preservação da natureza e em milhares de lagos e rios.

Com tantas atrações na Área da Grande Toronto, o difícil não é decidir o que fazer, mas por onde começar.

Suba ao topo da Torre CN – uma das Sete Maravilhas do Mundo Moderno – em 58 segundos exatos e deixe-se deslumbrar com as vistas espetaculares da nossa cidade às margens do Lago Ontário. Não perca o piso de vidro!

Com quase seis milhões de objetos, o Royal Ontario Museum (ROM) é um dos maiores museus da América do Norte. Explore aspectos relacionados ao Canadá em coleções abrangentes que vão desde artes até a ciência e a arqueologia, e aprenda sobre as culturas mundiais e a história natural. Admire o espetacular novo projeto de Frank Gehry, arquiteto nascido em Toronto, da Art Gallery of Ontario, que abriga mais de 79.000 obras de arte, incluindo uma incrível coleção de arte canadense. Gaste as solas dos sapatos no Bata Shoe Museum (Museu do Sapato), com mais de 10.000 artigos, desde botas de pele de rena siberianas até as botas plataforma de Elton John. Volte no tempo e visite a Casa Loma, um castelo romântico da virada do século no coração da cidade.

Leve as crianças para um passeio de barco para famílias ou pegue uma balsa para a Centre Island, a ilha "verde" com um parque de diversões e lindas praias. Passeie de pedalinho ou reme em uma canoa no Ontario Place, um complexo de entretenimento e atrações temáticas que também fica às margens do lago. Aprenda um pouco a respeito do esporte mais popular do Canadá no Hall da Fama do Hóquei.

Reserve algum tempo para passear fora do centro da cidade. Explore o fascinante mundo da ciência e tecnologia no Ontario Science Centre. Observe mais de 5.000 animais no Zoológico de Toronto, localizado na região nordeste da cidade. E feche seus olhos ao antecipar a descida em uma montanha-russa no Canadas Wonderland, que fica a apenas 40 minutos do centro da cidade. Não deixe de reservar um pouco de tempo para fazer compras no Vaughan Mills, que fica perto!

Há diversas opções de passeios turísticos na cidade, incluindo passeios de ônibus, passeios com direito a descer e subir do veículo em pontos de parada específicos e o original "Hippo Tour" (ônibus anfíbio).

Autor: Connection Line
Data: 19/04/2013

Autor:
Data: 00/00/0000

Estudantes podem levar Conjugue e filhos para Trabalhar e Estudar no Canada


 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Profissionais hoje em dia não precisam abandonar o sonho de estudar um College ou uma pós graduação no Canadá após o casamento ou o nascimento dos filhos. Atualmente é sim  possível, passar uma temporada de estudos fora, junto com a família. A atual política de imigração Canadense permite que cônjuge e filhos menores em idade escolar acompanhem o estudante para também trabalhar e estudar.
Ao solicitar o visto de estudante, deve ser informado os dados de todos os membros da família que acompanharão o estudante para o Canadá. É importante frisar a importância que o aluno e sua família devem ter ao mostrar que possuem recursos suficientes para se manter durante a estadia no país, para que então a aplicação seja aprovada.
Conjugue   Para as pessoas que estão casadas ou estão em uma união estável (commom-law), o seu  cônjuge poderá estar com você no Canadá como residente temporário com direito a trabalho remunerado, por meio do Open Work Permit.  Para ter direito a solicitar a permissão de trabalho, algumas regras se aplicam aos seguintes perfis:   Cônjuge de estudantes que estejam matriculados em uma instituição pública de ensino pós-secundário, como universidade ou College e em período integral. No caso de instituições particulares, é preciso que elas estejam autorizadas por cada província a fornecer diplomas ou que recebam pelo menos 50 por cento de financiamento do governo, como acontece com alguns colleges em Quebec.  Cônjuges de trabalhadores temporários (NOC 0, A ou B) ou High Skill ability; Cônjuges de estudantes que se formaram em uma Instituição de Ensino canadense (Post Graduate Work Permit).
O cônjuge ou companheiro poderá aplicar para um visto de trabalho que permite  trabalhar legalmente em qualquer emprego no país. O Candidato não precisará de uma oferta de trabalho formal.  A duração desta permissão será a mesma ao período de estudo ou trabalho do(a) parceiro(a). Desta forma, os cônjuges ou parceiros de estudantes internacionais podem adquirir não só uma grande experiência no mercado de trabalho canadense, mas também podem ajudar a sustentar a família financeiramente.
FILHOS   A idade escolar no Canadá é de 5 anos, com exceção da província de Ontario que é a partir dos 4 anos de idade. Portanto, em idade escolar, os filhos possuem direito a escola gratuita, contanto que um dos pais possuam um visto de estudo, sem ser curso de inglês ou vocacional, ou um visto de trabalho atrelado a alguma empresa. Os filhos não precisam de uma autorização para frequentarem a escola. Porém quando este filho atinge a maioridade na sua província, você deve solicitar um Study Permit para que ele possa continuar estudando legalmente dentro do Canadá.
Maioridade no canadá   A maioridade varia de acordo com cada  província e território Canadense. Em Alberta, Manitoba, Ontario, Prince Edward Island, Quebec, Saskatchewan é 18 anos Já em British Columbia, New Brunswick, Newfoundland and Labrador, Northwest Territories, Nova Scotia, Nunavut, Yukon, a maioridade é de 19 anos.  
A família não precisa ser obstáculo para estudar no exterior   O Canadá possui algumas das faculdades e universidades mais conceituadas do mundo, e o interesse do país em juntar a família significa que os estudantes internacionais e seus dependentes têm a oportunidade de experimentar a vida canadense juntos.
 
Muitos alunos permanecem no país após a formatura e se tornam membros valiosos da força de trabalho e na sociedade em geral imigrando para o país.  
 
Autor: Marta
Data: 00/00/0000